Redes interorganizacionais nas Comunidades que Sustentam a Agricultura no Distrito Federal

Palavras-chave: agricultura familiar, redes interorganizacionais, comprometimento, compartilhamento, desenvolvimento

Resumo

A agricultura familiar vem passando por significativas transformações que têm impulsionado a criação de novas formas organizativas, entre elas as Comunidades que Sustentam a Agricultura (CSA), um modelo de economia associativa e comunitária. Buscou-se identificar como as redes interorganizacionais de compartilhamento e de comprometimento podem influenciar na manutenção e no desenvolvimento do modelo produtivo das CSAs no Distrito Federal. Para isso, foi realizada uma revisão bibliográfica e análise documental. Posteriormente, foi aplicado um questionário aos agricultores, e os dados foram analisados por meio do software UCINET. A ferramenta NETDRAW foi usada para gerar os gráficos das redes. Os resultados encontrados permitem inferir que a rede de compartilhamento parece coesa, o que pode influenciar na capacidade de gerar valor e fomentar a aprendizagem organizacional. Além disso, a rede de comprometimento registrou os maiores índices de densidade e coesão, sinalizando grau de conformidade do grupo em relação aos princípios da CSA, podendo influir nos processos de inovação, na produtividade e no atendimento aos coagricultores. Inferiu-se que o modelo produtivo de CSA no Distrito Federal pode ser uma alternativa viável para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar. Para estudos futuros, recomenda-se a inclusão da rede de confiança e ampliação da amostra, incorporando atores de comércios locais e órgãos públicos onde se localizam os pontos de convivência das CSAs, bem como empresas de assistência técnica, os quais podem estar envolvidos com as CSAs.

Biografia do Autor

Joelma Melo da Silva, Universidade de Brasília (UnB)

Mestranda em Agronegócios na Universidade de Brasília (UnB). Bacharela em Gestão de Agronegócios pela UnB.

Maria Júlia Pantoja, Universidade de Brasília (UnB)

Doutora em Psicologia Organizacional e do Trabalho pela Universidade de Brasília (UnB). Mestra e graduada em Psicologia pela UnB. Professora associada na UnB com atuação nos programas de pós-graduação em Agronegócios, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária; e Gestão Pública na UnB.

Sergio Ricardo Franco Vieira, Universidade de Brasília (UnB)

Mestre em Psicologia Social, Organizacional e do Trabalho pela Universidade de Brasília (UnB). Graduado em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Referências

AGUILAR-GALLEGOS, N.; MARTÍNEZ-GONZALEZ, E. G.; AGUILAR-ÁVILA, J.; SANTOYO-CORTÉS, H.; MUÑOZ-RODRÍGUES, M.; GARCÍA-SÁNCHES, E. I. Análisis de redes sociales para catalizar la innovación agrícola: de los vínculos directos a la integración y radialidad. Estudios Gerenciales, Cali, v. 32, n. 140, p. 197-207, set. 2016. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0123-59232016000300002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 24 jan. 2019.

ALVES, R. A. Redes sociais no processo de gestão coletiva: o caso dos projetos de assentamento do programa nacional de crédito fundiário no município de Unaí – MG. 2016. 125 f. Dissertação (Mestrado em Agronegócios) – Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2016. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/20539. Acesso em: 12 jun. 2019.

ALVES, J. N.; PEREIRA, B. A. D.; ANDRADE, T.; REIS, E. Confiança, aprendizagem e conhecimento nos relacionamentos interorganizacionais: diagnóstico e análise dos avanços sobre o tema. REAd: Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 19, n. 3, p. 709-37, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-23112013000300007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 29 jan. 2019.

ASATO, T. A.; MARQUES, H. R.; BUZARQUIS, R. M; BORGES, P. P. Perspectivas da economia criativa e do desenvolvimento local no corredor bioceânico. Interações, Campo Grande, v. 20, n. especial, p. 193-210, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-70122019000500193&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 9 abr. 2020. doi: https://doi.org/10.20435/inter.v20iespecial.2559

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Plano safra 2017/2020. Brasília-DF: MDA, 2018. Disponível em: http://www4.planalto.gov.br/consea/eventos/plenarias/apresentacoes/2017/plano-safra-da-agriocultura-familiar-2017-2020-secretaria-especial-de-agricultura-familar-e-desenvolvimento-agrario-4a-plenaria-27-de-setembro-de-2017.pdf/view#acontent. Acesso em: 7 jan. 2019.

COMUNIDADE QUE SUSTENTA A AGRICULTURA [CSA]. CSA Brasil, 2015. Comunidades que sustentam a agricultura: da cultura do preço para a cultura do apreço. Disponível em: http://csabrasil.org. Acesso em: 4 jan. 2019.

COMUNIDADE QUE SUSTENTA A AGRICULTURA EM BRASÍLIA [CSA BRASÍLIA]. CSA Brasília, 2018. Comunidades que sustentam a agricultura: da cultura do preço para a cultura do apreço. Disponível em: https://csabrasilia.wordpress.com. Acesso em: 19 jan. 2019.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS NA AGRICULTURA FAMILIAR DO BRASIL [CONTRAF-BRASIL]. Contraf Brasil, 2018. Agricultura familiar. Disponível em: https://contrafbrasil.org.br. Acesso em: 5 jan. 2019.

CUNHA, J. A. C.; PASSADOR, J. L.; PASSADOR, C. S. A presença de agentes intermediadores na formação de redes interorganizacionais: uma análise sob a perspectiva temporal. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 108-28, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512012000100008&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 28 jan. 2019.

DE ROLT, C. R.; DIAS, J. S.; PEÑA, F. T. G. Análise de redes como ferramenta de gestão para empreendimentos interorganizacionais. Gestão & Produção, São Carlos, v. 24, n. 2, p. 266-78, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-530X2017000200266&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 4 jan. 2019.

DORSA, A. C. Desenvolvimento local e processos participativos. Interações, Campo Grande, v. 20, n. 1, p. 1-2, 2019. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-70122019000100001&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 9 abr. 2020. doi: https://doi.org/10.20435/inter.v20i1.2444

ESTIVALETE, V. F. B; PEDROZO, E. A; BEGNIS, H. S. M. O processo de aprendizagem em redes horizontais do elo varejista do agronegócio: uma análise sob a perspectiva das estratégias, dos métodos e dos estágios evolutivos. REAd: Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 18, n. 1, p. 161-90, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-23112012000100006&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 27 jan. 2019.

GENARI, D.; FACCIN, K.; MACKE, J. Mensuração do comprometimento organizacional em redes de indústrias vitivinícolas brasileiras. REAd: Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 19, n. 2, p. 351-83, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-23112013000200004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 19 jan. 2019.

GUANZIROLI, C. E; BUAINAIN, A. M; DI SABBATO, A. Dez anos de evolução da agricultura familiar no Brasil: (1996 e 2006). Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 50, n. 2, p. 351-70, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032012000200009&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 1º fev. 2019.

JORDÃO, R. V. D. Práticas de gestão da informação e do conhecimento em pequenas e médias empresas organizadas em rede: um estudo multicasos na indústria brasileira. Perspectivas em Ciências da Informação, Belo Horizonte, v. 20, n. 3, p. 178-99, set. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-99362015000300178&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 jan. 2019.

KLEIN, L. L.; PEREIRA, B. A. D. Contribuições para a gestão de redes interorganizacionais: fatores determinantes para a saída de empresas parceiras. REAd: Revista Eletrônica de Administração, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 305-40, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-23112014000200305&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 4 fev. 2019.

LAVILLE, C.; DIONNE, J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Adaptação da obra de Lana Mara Siman. Porto Alegre: Artmed, 1999.

MARTINS, A. L. B. Agricultura apoiada pela comunidade ou comunidade apoiada pela agricultura? A relação campo-cidade pela ética da solidariedade. 2017. 413 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2017.

NEIVA, E. R.; PANTOJA, M. J. Redes sociais e mudança em um grupo de produtores rurais do planalto central. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 5-24, dez. 2008. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rpot/article/view/9067. Acesso em: 5 jan. 2019.

OLIVEIRA, B. G.; LIBONI, L. B. Proposta de indicador de eficiência da gestão pública municipal em promover desenvolvimento local. Interações, Campo Grande, v. 20, n. 3, p. 815-30, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-70122019000300815&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 9 abr. 2020. doi: https://doi.org/10.20435/inter.v0i0.1831

PADUA, J. B.; SCHLINDWEIN, M. M.; GOMES, E. P. Agricultura familiar e produção orgânica: uma análise comparativa considerando os dados dos censos de 1996 e 2006. Interações, Campo Grande , v. 14, n. 2, p. 225-35, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-70122013000200009&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 1º Fev. 2019.

RIBEIRO, E. M. B. de A.; BASTOS, A. V. B. Redes sociais interorganizacionais na efetivação de projetos sociais. Psicologia & Sociedade, Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 282-92, ago. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822011000200009&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 jan. 2019.

ROTH, A. L.; WEGNER, D.; ANTUNES JUNIOR, J. A. V.; PADULA, A. D. Diferenças e inter-relações dos conceitos de governança e gestão de redes horizontais de empresas: contribuições para o campo de estudos. Revista de Administração, São Paulo, v. 47, n. 1, p. 112-23, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-21072012000100009&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 18 jan. 2019.

SANTOS, V. G. Configurações das redes sociais de uma associação em diferentes períodos da gestão. 2015. 69 f. Monografia (Graduação em Gestão de Agronegócios) – Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2015. Disponível em: http://bdm.unb.br/bitstream/10483/17166/1/2015_ValeriaGomesdosSantos_tcc.pdf. Acesso em: 12 jun. 2019.

VERANO, T. C.; MEDINA, G. S. Comercialização por agricultores familiares em feiras municipais: quantificação, participação, e localização no estado de Goiás. Interações, Campo Grande, v. 20, n. 4, p. 1045-56, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-70122019000401045&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 9 abr. 2020. doi: https://doi.org/10.20435/inter.v20i4.1984

VIEIRA, S. R. F. Redes sociais no contexto de mudança organizacional. 2008. 133 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) – Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2008. Disponível em: http://repositorio.unb.br/handle/10482/8316. Acesso em: 1º jan. 2019.

Publicado
2021-11-03
Como Citar
Silva, J. M. da, Pantoja, M. J., & Franco Vieira, S. R. (2021). Redes interorganizacionais nas Comunidades que Sustentam a Agricultura no Distrito Federal. Interações (Campo Grande), 22(3), 925-939. https://doi.org/10.20435/inter.v22i3.3055