Limites e desafios das organizações de catadores: uma análise da ASMARE

an analysis by ASMARE

Palavras-chave: catadores de materiais recicláveis, cooperativas, ASMARE

Resumo

A última década registrou o significativo aumento de empreendimentos coletivos de materiais recicláveis. Em Belo Horizonte, a ASMARE, vista como uma experiência pioneira,  tornou-se referência na articulação de novas organizações. Contudo crises econômicas e alternâncias governamentais impactaram a organização. Neste sentido, este artigo tem o objetivo de analisar a trajetória da ASMARE, evidenciando os limites e os desafios enfrentados em seu processo histórico de lutas e resistência. Em termos metodológicos, a abordagem qualitativa adotada englobou a realização de entrevistas semiestruturadas e a Análise de Conteúdo para a apreciação dos dados. Os resultados evidenciaram que a Associação enfrenta uma crise que não se restringe aos aspectos financeiros, uma vez que suas implicações têm impactado negativamente a formação política dos associados. Embora a cadeia de reciclagem brasileira seja reconhecida e admirada, contando com a atuação de várias empresas, associações e cooperativas, muitas vezes são os empresários e atravessadores que mais se beneficiam a partir de um ciclo vicioso de exploração do trabalho precarizado dos catadores. A trajetória de luta dos membros da ASMARE representa um importante marco para a história do movimento de catadores no Brasil, porém se depara com o constante desafio de sustentar as ações coletivas em uma sociedade marcada pela desigualdade e exclusão.

Biografia do Autor

Romário Rocha Sousa, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Bacharel em Administração pela UFMG. Professor do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG).

Rafael Diogo Pereira, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutor e mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Graduado em Turismo pela UFMG. Docente e orientador do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFMG (CEPEAD/UFMG). Docente adjunto na UFMG.

Daniel Calbino, Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ)

Doutor e mestre em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais. Graduado em Administração pela Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Docente e orientador do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Vale do Jequitinhonha e Mucuri (PPGED/UFVJM). Docente adjunto na Universidade Federal de São João del-Rei.  

Referências

BAPTISTA, V. F. As políticas públicas de coleta seletiva no município do Rio de Janeiro: onde e como estão as cooperativas de catadores de materiais recicláveis? Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 49, n. 1, p. 141-64, 2015.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2004.

BARTOLI, M. A. Processos de organização de catadores de materiais recicláveis: lutas e conformações. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 248-57, 2013.

BRAGA, N.; MACIEL, R. Desafios e contradições de um projeto solidário: o caso da associação de catadores de materiais recicláveis. Interações, Campo Grande, MS, v. 19, n. 3, p. 557-68, 2018.

BRANDÃO, H. H. N. Introdução à análise do discurso. Campinas: Editora Unicamp, 2002.

BASTOS, H. M.; ARAÚJO, G. C. Cidadania, empreendedorismo social e economia solidária no contexto dos catadores cooperados de materiais recicláveis. Revista Capital Científico-Eletrônica, v.13, n.4, p.62-79, 2015.

CARDOSO, M. B. R. A Asmare e seus parceiros públicos e privados: uma rede de cooperação para a geração de trabalho e renda. 2003. Dissertação (Mestrado em Administração) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2003.

CARDOZO, B. D.; ARAÚJO, G. C.; MARIANI, M. A. Comprometimento organizacional em uma cooperativa de reciclagem. Interações, Campo Grande, v. 18, n. 3, p. 107-20, 2017.

COMISSÃO EMPRESARIAL PARA A RECICLAGEM [CEMPRE]. Review. CEMPRE: São Paulo, 2015. Disponível em: https://cempre.org.br/wp-content/uploads/2020/11/CEMPRE-Review2019.pdf. Acesso em: 19 jan. 2019.

COSTA, C. M.; PATO, C. A constituição de catadores de material reciclável: a identidade estigmatizada pela exclusão e a construção da emancipação como forma de transcendência. In: PEREIRA, B. C. J.; GOES, F. L. Catadores de materiais recicláveis: um encontro nacional. Rio de Janeiro: IPEA, 2016. p. 99-122.

DIAS, S. M. Construindo a cidadania: avanços e limites do projeto de coleta seletiva em parceria com a Asmare. 2002. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2002.

FERRAZ, D. L. S.; BURIGO, L. A gestão em empreendimentos populares e o processo de trabalho no setor de reciclagem. In: ENCONTRO DE ESTUDOS ORGANIZACIONAIS DA ANPAD, 4., maio, 2012, Curitiba. Anais [...]. Rio de Janeiro: ANPAD, 2012.

FERRAZ, D. L. S.; MUELLER, R. R. Assistencialismo e empreendimentos populares de trabalho: relações para a erradicação da pobreza? Gestão e Sociedade, Belo Horizonte, v. 7, n. 17, p. 186-219, 2013.

GONZÁLEZ REY, F. Pesquisa qualitativa e subjetividade: os processos de construção da informação. São Paulo: Editora Thomson, 2005.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA [IPEA]. A organização coletiva de catadores de material reciclável no Brasil: dilemas e possibilidades sob a ótica da economia solidária. Brasília: IPEA, 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA [IPEA]. Situação social das catadoras e dos catadores de material reciclável e reutilizável. Brasília: IPEA, 2013.

JACOBI, P.; TEIXEIRA, M. A. C. Criação do capital social: o caso da Asmare. Cadernos de gestão pública e cidadania, São Paulo, v. 2, n. 2, 1997.

MAGALHÃES, B. J. Liminaridade e exclusão: caracterização permanente ou transitória das relações entre os catadores e a sociedade brasileira? In: PEREIRA, B. C. J.; GOES, F. L. Catadores de materiais recicláveis: um encontro nacional. Rio de Janeiro: IPEA, 2016. p. 123-50.

PEREIRA, M. C. G.; TEIXEIRA, M. A. C. A inclusão de catadores em programas de coleta seletiva: da agenda local à nacional. Cadernos EBAPE. BR, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, p. 895-913, 2011.

SANT’ANA, D.; METELLO, D. Reciclagem e inclusão social no Brasil: balanço e desafios. In: PEREIRA, B. C. J.; GOES, F. L. Catadores de materiais recicláveis: um encontro nacional. Rio de Janeiro: IPEA, 2016.

SILVA, C. M. Trabalho, cidadania e reconhecimento: a rede Cataunidos e o protagonismo sociopolítico de catadores de recicláveis na RMBH. 2014. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2014.

SILVA, C. L. ; BOLSON, C. R. ; FERRIGOTI, C. M. Tecnologia e inclusão social: cooperativa Catamare. Interações, Campo Grande, v. 17, n. 3, p. 516-27, 2016.

TORRES, H. R. As organizações dos catadores de material reciclável: inclusão e sustentabilidade. O caso da associação dos catadores de papel, papelão e material reaproveitável, Asmare, em Belo Horizonte, MG. 2008. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) – Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2008.

Publicado
2021-09-15
Como Citar
Rocha Sousa, R., Diogo Pereira, R., & Calbino, D. (2021). Limites e desafios das organizações de catadores: uma análise da ASMARE: an analysis by ASMARE. Interações (Campo Grande), 22(2), 583-596. https://doi.org/10.20435/inter.v22i2.2404