Os resíduos de serviço de saúde e seus impactos ambientais: uma revisão bibliográfica

  • Vera Araujo Cafure UNIGRAN CAPITAL, Campo Grande, Mato Grosso do Sul
  • Suelen Regina Patriarcha-Graciolli Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e UNIGRAN CAPITAL. Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: RSS. Meio Ambiente. Materiais infectantes.

Resumo

As normas brasileiras de resíduos de serviços de saúde (RSS) definem o descarte dos resíduos de serviços de saúde. Com o objetivo de discorrer sobre os RSS e seus impactos ambientais, foi realizada uma pesquisa bibliográfica. Doze artigos foram encontrados, e observou-se uma discreta elevação dos artigos publicados entres os anos de 2005 e 2011. Na região sul, encontrou-se a maior concentração de pesquisas relacionadas ao tema, e também as maiores taxas de processamentos desses resíduos. Percebeu-se a necessidade de desenvolvimento de ações com os órgãos geradores dos RSS, já que existe um distanciamento entre a teoria e o que é realizado nos estabelecimentos de saúde.

 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT. NBR 12808: Resíduos de Serviços de Saúde: classificação. São Paulo, 1993a.

______. NBR 12810: Resíduos de Serviços de Saúde: especificação técnica transporte interno e externo:. São Paulo, 1993b.

______. NBR 9190: Classifica sacos plásticos para acondicionamento de lixo. São Paulo, 1994.

______. NBR 7500: Símbolos de risco e manuseio para o transporte e armazenamento. São Paulo, 2000.

______. NBR 10.004: Classificação de resíduos sólidos: Rio de Janeiro, 2004.

______. NBR 9191: Especificação de sacos plásticos para acondicionamento de lixo para coleta. São Paulo, 2008.

______. NBR 12807: Resíduos de Serviços de Saúde: terminologia. São Paulo, 2013a.

______. NBR 12809: Resíduos de Serviços de Saúde: procedimentos necessários ao gerenciamento intraestabelecimento. São Paulo, 2013b.

ALMEIDA, M. de S. Elaboração de projeto, TCC, dissertação e tese: uma abordagem simples, prática e objetiva. São Paulo: Atlas, 2011.

ALVES, M. Como escrever teses e monografia: um roteiro passo a passo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

BRASIL. Ministério de Estado do Interior. Portaria MINTER nº 53, de 1º de março de 1979. Disponível em: <http://www.ima.al.gov.br/legislacao/portarias-ministeriais/Portaria%20nb0%2053.79.pdf>. Acesso em: 20 maio 2013.

______. Presidência da República. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6938.htm>. Acesso em: 20 maio 2013.

______. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 6, de 19 de setembro de 1991. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res91/res0691.html>. Acesso em: 20 maio 2013.

______. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 5, de 5 de agosto de 1993. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=130>. Acesso em: 20 maio 2013.

______. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Projeto Reforço à reorganização do Sistema Único de Saúde (REFORSUS). Gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2001a.

______. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 283, de 12 de julho de 2001b. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res01/res28301.html>. Acesso em: 20 maio 2013.

______. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 306, de 7 de dezembro de 2004. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/anvisa/2004/res0306_07_12_2004.html>. Acesso em: 20 maio 2013.

______. Ministério do Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA). Resolução nº 358, de 29 de abril de 2005. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res05/res35805.pdf>. Acesso em: 20 maio 2013.

______. Presidência da República. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm>. Acesso em: 21 maio 2013.

CAMARGO, M. E. et al. Resíduos Sólidos de Serviço de Saúde: um estudo sobre o gerenciamento. Scientia Plena, v. 5, n. 7, p. 1-14, 2009.

CAMPONOGARA, S.; RAMOS, F. R. S.; KIRCHHOF, A. L. C. Um olhar sobre a interface trabalho hospitalar e os problemas ambientais. Rev. Gaúcha Enf., Porto Alegre, RS, v. 30, n. 4, p. 724-731, 2009.

CORRÊA, L. B.; LUNARDI, V. L.; CONTO, S. M. de. O processo de formação em saúde: o saber resíduos sólidos de serviços de saúde em vivência práticas. Rev. Bras. Enf., Brasília, DF, v. 60, n. 1, p. 21-25, jan./fev. 2007.

CORRÊA, L. B.; LUNARDI, V. L.; SANTOS, S. S. C. Construção do saber sobre resíduos sólidos de serviços de saúde na formação em saúde. Rev. Gaúcha Enf., Porto Alegre, RS, v. 29, n. 4, p. 557-564, dez. 2008.

DOI, K. M.; MOURA, G. M. S. S. de. Resíduos sólidos de serviços de saúde: uma fotografia do comprometimento da equipe de enfermagem. Rev. Gaúcha Enf.; Porto Alegre, RS, v. 32, n. 2, p. 338-344, jun. 2011.

FERRAREZE, M. V. G. et al. Gerenciamento de resíduos de serviços de saúde: avaliação de um centro de terapia intensiva. REME – Rev. Min. Enf., Ribeirão Preto, SP, v. 9, n. 2, p. 133-139, abr./jun. 2005.

FERREIRA, J. A. Solid Waste and Nosocomial Waste: An Ethical Discussion. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 314-320, apr./jun. 1995.

GARCIA, L. P.; ZANETTI-RAMOS, B. G. Gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde: uma questão de biossegurança. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, p. 744-752, maio/jun. 2004.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2008. Rio de Janeiro, 2010.

MARTINS, G. de A.; LINTS, A. Guia para elaboração de monografias e trabalhos de conclusão de curso. São Paulo: Atlas, 2000.

NAIME, R.; RAMALHO, A. H. P.; NAIME, I. S. Avaliação do sistema de gestão dos resíduos sólidos do hospital de clínicas de Porto Alegre. Revista Espaço para a Saúde, Londrina, PR, v. 9, n. 1, p. 1-17, dez. 2008.

PFITSCHER, E. D. et al. A situação dos hospitais quanto ao gerenciamento dos aspectos e impactos ambientais. Cadernos EBAPE.BR, v. 5, n. 3, 2007.

RAMOS, Y. S. et al. Vulnerabilidade no manejo dos resíduos de serviço de saúde de João Pessoa (PB, Brasil). Ciências & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 8, p. 3553-3560, ago. 2011.

RIBEIRO, C. da S. Análise das tecnologias de tratamento de resíduos biológicos de serviço de saúde em hospitais públicos no Município do Rio de Janeiro. 2008. 145f. Dissertação (Mestrado em Ciências na Área de Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Rio de Janeiro.

SALES, C. C. de L. et al. Gerenciamento dos resíduos sólidos dos serviços de saúde: aspectos do manejo interno no município de Marituba, Pará, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 6, p. 2231-2238, dez. 2009.

SCHNEIDER, V. E. et al. Manual de gerenciamento de resíduos sólidos em serviços de saúde. 2. ed. rev. e ampl. Caxias do Sul, RS: EDUCS, 2004.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho cientifico. São Paulo: Cortez, 2007.

SHINZATO, M. P. et al. Análise preliminar de riscos sobre o gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde de uma instituição de ensino em Mato Grosso do Sul: um estudo de caso. Rev. Bras. Saúde Ocup., v. 35, n. 122, p. 340-352, 2010.

SILVA, C. E.; HOPPE, A. E. Diagnóstico dos Resíduos de Serviço de Saúde no interior do Rio Grande do Sul. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 10, n. 2, p. 146-151, 2005.

TEIXEIRA, P. Biossegurança: uma questão multidisciplinar. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1996.

VASCONCELLOS, E. A. de; et al. Diagnóstico do problema dos resíduos sólidos hospitalares: O caso de campina Grande (PB). HYGEIA - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 2, n. 3, p. 28-34. 2006.

Publicado
2015-11-23