Grau de desenvolvimento regional dos municípios da mesorregião oeste catarinense: caracterização e classificação

  • Sérgio Begnini Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS
  • Lirane Elise Defante Ferreto de Almeida Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.
Palavras-chave: desenvolvimento regional, análise fatorial, microrregião.

Resumo

O objetivo deste estudo é classificar os municípios das cinco microrregiões que formam a mesorregião oeste catarinense segundo o grau de desenvolvimento regional, utilizando a análise fatorial. Por meio da análise fatorial, possibilitou-se extrair as cargas fatoriais para a construção do índice e do grau de desenvolvimento. As microrregiões assemelham-se, tanto nos aspectos culturais, produtivos, econômicos e de colonização, quanto na classificação, segundo o grau de desenvolvimento regional calculado. Conclui-se que ainda há muito que fazer para alcançar um desenvolvimento regional equitativo, considerando os municípios de cada microrregião da mesorregião.

Biografia do Autor

Sérgio Begnini, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS
Mestre em Gestão e Desenvolvimento Regional. Professor Substituto e Administrador na UFFS.
Lirane Elise Defante Ferreto de Almeida, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.
Doutora em Saúde Coletiva. Professora na Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.

Referências

ALVES, A. S. Paralelo do desenvolvimento socioeconômico das microrregiões de Rio do Sul, São Bento e Concórdia. 2008. 128f. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) - Centro Sócio Econômico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2008.

AREND, S. C.; ORLOWSKI, R. F. O desenvolvimento regional da Amosc a partir das teorias da base exportadora e dos polos de crescimento. REDES, Santa Cruz do Sul, v. 17, n. 1, p. 141-163, jan./abr. 2012.

ARRUDA, C. S. Índice de desenvolvimento sustentável e agronegócio nos municípios do estado de Goiás: uma análise multivariada. 2010. 126f. Dissertação (Mestrado em Agronegócio) - Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, 2010.

BAKKE, H. A.; LEITE, A. S. M.; SILVA, L. B. Estatística multivariada: uma aplicação da análise fatorial na engenharia da produção. Revista Gestão Industrial, Ponta Grossa, v. 4, n. 4, p. 1-14, 2008.

BLUESTONE, B. UMASS/BOSTON: an economic impact analysis. Boston: University of Massachusetts, jan. 1993.

BRESSER-PEREIRA, L. C. Crescimento e desenvolvimento econômico. BRESSER-PEREIRA Website, 2008. Disponível em: <http://www.bresserpereira.org.br>. Acesso em: 10 set. 2015.

CANODÁ, L. A. Índice de Desenvolvimento Rural Sustentável. 2013. 170f. Tese (Doutorado em Ciências) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP. 2013.

CONTERATO, M. A.; SCHNEIDER, S.; WALQUI, P. D. Desenvolvimento rural no estado do Rio Grande do Sul: uma análise multidimensional de suas desigualdades regionais. Redes, Santa Cruz do Sul, v. 12, n. 2, maio/ago. 2007.

FÁVERO, L. P. et al. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HENRIQUES, F. MATTEI, L. F. O processo migratório em Santa Catarina: evidências a partir da microrregião de Joaçaba. Geosul, Florianópolis, v. 28, n. 56, p. 65-88, jul./dez. 2013.

HIRSCHMAN, A. O. The strategy of economic development. New Haven: Yale University Press, 1958.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE), 2015. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 2 jul. 2015.

KAGEYAMA, A. Desenvolvimento rural: conceito e medida. Cadernos de Ciência e Tecnologia, Brasília, v. 21, n. 3, set./dez. 2004.

KAVESKI, I. S.; MAZZIONE, S.; HEIN, N. A eficiência na utilização de recursos no setor de saúde: uma análise dos municípios do Oeste Catarinense. In: ENCONTRO NACIONAL DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO (ENANGRAD), 24., 29 jul. - 2 out. 2013, Florianópolis. Anais... Florianópolis, SC, 2013.

LOPES, A. S. Desenvolvimento regionalproblemática, teoria, modelos. 5. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkiam, 2001.

MARQUES, A. F. Paralelo de desenvolvimento socioeconômico das microrregiões de Criciúma, Canoinhas e de São Miguel D’Oeste. 2007. 161f. Monografia (Graduação em Ciências Econômicas) – Departamento de Ciências Econômicas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2007.

MATTEI, L. Economia catarinense: crescimento com desigualdades regionais. In: ENCONTRO DE ECONOMIA CATARINENSE, 4., 29 a 30 abr. 2010, Criciúma, SC. Anais... Criciúma: UNESC, 2010. Disponível em: <http://www.apec.unesc.net>. Acesso em: 5 ago. 2015.

MELO, C. O. Caracterização do desenvolvimento rural dos municípios paranaenses: uma análise com base na estatística multivariada. 2006. 127 f. Dissertação (Mestrado em Economia) - Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Estadual de Maringá. Maringá, PR, 2006.

MELO, C. O. PARRÉ, J. L. Índice de desenvolvimento rural dos municípios paranaenses: determinantes e hierarquização. Revista de Economia e Sociologia Rural, Rio de Janeiro, v. 45, n. 2, p. 329-265, abr./jun. 2007.

MELO, C. O. SILVA, G. S. Desenvolvimento rural dos municípios da região sudoeste do Paranaense: uma proposta de medida através da Análise Fatorial. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, v. 16, n. 1, p. 33-45, 2014.

MYRDAL, G. Teoria econômica e regiões subdesenvolvidas. Rio de Janeiro: Saga, 1965.

PAZ, D. Nível de desenvolvimento sócio econômico dos municípios paranaenses em 2010: análise fatorial. 2012. 100f. Dissertação (Mestrado em Economia Regional) – Centro de Estudos Sociais Aplicados, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, 2012.

RAMMÉ, J. Desenvolvimento municipal: análise populacional da Mesorregião do Oeste Catarinense. Revista Estudos do CEPE, Santa Cruz do Sul, n. 34, p. 242-262, jul./dez. 2011.

SOUZA, N. J. Desenvolvimento econômico. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

THEIS, I. NODARI, T. S. A agroindústria de aves e o desenvolvimento regional do meio oeste de Santa Catarina. Cadernos de Economia, Chapecó, n. 7, p. 07-28, jul./dez. 2000.

Publicado
2016-12-18