Educação e sustentabilidade: o porvir dos povos indígenas no ensino superior em Mato Grosso do Sul

  • Marta Regina Brostolin
  • Simone Figueiredo Cruz
Palavras-chave: Educação superior. Sustentabilidade e interculturalidade.

Resumo

Nos últimos anos, o governo brasileiro tem adotado medidas de ações afirmativas na área educacionalvisando promover a equidade e a inclusão social das populações desfavorecidas e, entre elas, os povos indígenas.Passados os anos e, com os avanços na implementação dos direitos constitucionais dos povos indígenas, aumenta aprocura destes por educação, inclusive o ensino superior que, até três a quatro anos atrás, apresentava uma demandamuito tímida. Neste cenário, duas Universidades vêm se destacando, a Universidade Católica Dom Bosco (UCDB),pela sua trajetória histórica no trabalho dos salesianos com os povos indígenas e a Universidade Estadual de MatoGrosso do Sul (UEMS) que, a partir de 2003, instituiu uma política de cotas e de bolsas para esse importantesegmento no Estado de Mato Grosso do Sul. Este trabalho se insere neste contexto, apresentando dados relativos àsituação dos acadêmicos indígenas em MS e se propõe também a contribuir para o debate sobre o porvir daspopulações indígenas no ensino superior, entendendo ser a educação reconhecida por eles como um dos elementoschaves para a viabilização de seus projetos de autonomia e sustentabilidade e o grande desafio posto as instituiçõesde ensino superior no que tange à construção de relações mais simétricas e à promoção do diálogo intercultural emseus espaços acadêmicos.

Referências

BRAND, A. Autonomia e globalização, temas fundamentais no debate sobre educação escolar indígena no contexto do MERCOSUL. Série-Estudos – Periódico do Mestrado em Educação da UCDB, n. 7, abr. 1999.

______. Indígenas no ensino superior ou ensino superior indígena: experiências e perspectivas. In:

CONGRESSO DE LEITURA DO BRASIL - COLE, 15., Campinas. Anais... Campinas: [s.n.], 2005.

______. Formação de professores indígenas em nível superior. QUAESTIO – Revista de Estudos de Educação, Sorocaba-SP, v. 8, n. 1, p. 73-82, maio 2006.

BRAND, A. J.; NASCIMENTO, A. C. A escola indígena e sustentabilidade - perspectivas e desafios. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL: EDUCAÇÃO INTERCULTURAL MOVIMENTOS SOCIAIS E SUSTENTABILIDADE - PERSPECTIVAS EPISTEMOLÓGICAS E PROPOSTAS METODOLÓGICAS, 3. Anais... Florianópolis: [s.n.], 2006.

BROSTOLIN, M. El papel da educación en programas de desarrollo local en populacions indígenas. 2005. Tese (Doutorado) - Universidade Complutense de Madri, Espanha, 2005.

BROSTOLIN, M. R.; CRUZ, S. F. Estilos de ensinagem e aprendizagem na escola indígena Terena. Revista Construção Psicopedagógica, v. 17, n. 14, p. 24-43, jun. 2009.

CRUZ, S. F. A criança Terena: o diálogo entre a Educação indígena e a Educação escolar na aldeia Buriti. 2009. 191p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande- MS, 2009.

LIMA, A. C. S.; HOFFMANN, M. B. Seminário: Desafios para uma educação superior para os povos indígenas no Brasil: políticas públicas de ação afirmativa e direitos culturais diferenciados. Relatórios de Mesas e Grupos. Brasília, out. 2004.

MANGOLIM, O. Da escola que o branco faz à escola que o índio necessita e quer: uma educação indígena de qualidade. 1999. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande-MS, 1999.

NASCIMENTO, A. C. Populações indígenas, universidade e diferença. In: ANPED - CENTRO OESTE. Anais... Cuiabá, 2006.

SANTOS, M. (Org.) Território: globalização e fragmentação. São Paulo: Hucitec/Ampur, 1994.

SILVA, T. T. (Org.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

TAUKANE, D. A história da educação escolar entre os Kurâ- Bakairi. Cuiabá: Gráfica Print, 1998.

URQUIZA, A. H. A. Educação indígena e sustentabilidade: questões para a antropologia. In: ABA. Anais... Goiânia, 2006.

______. Relatório do Programa Rede de Saberes. Campo Grande: UCDB, 2007.

Publicado
2016-02-16