Signos distintivos territoriais e indicação geográfica: uma avaliação de experiências com a aplicação de instrumental metodológico

Palavras-chave: signos distintivos territoriais, indicação geográfica, associativismo territorial.

Resumo

A avaliação de experiências de associativismo territorial, sob a forma de signos distintivos territoriais, como as de Indicação Geográfica, precisa centrar-se nas questões relacionadas à dinâmica territorial, às condições socioeconômicas, históricas, culturais e ambientais do território. Utilizando de forma experimental um instrumento de pesquisa, direcionado aos atores envolvidos na experiência, validou-se a metodologia e evidenciaram-se os aspectos positivos da experiência em estudo e os avanços necessários.

Biografia do Autor

Valdir Roque Dallabrida, Universidade do Contestado (SC), Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional
Geógrafo, Doutor em Desenvolvimento Regional, com atuação no Programa de Mestrado em Desenvolvimento Regional da Universidade do Contestado (SC-Brasil).
Kelly Samantha Baukart, Universidade do Contestado.
Graduanda em Administração e bolsista de Iniciação Científica na Universidade do Contestado - Santa Catarina - Brasil.
Walison Guinzani, Universidade do Contestado.
Graduando em Engenharia Elétrica e bolsista de Iniciação Científica na Universidade do Contestado - Santa Catarina - Brasil.

Referências

ARANDA CAMACHO, Y. V. Productos agroalimentarios e identidade del território: un modelo de decisión para orientar la seleción de selos de origen. 2015. 325p. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Rural) - Departamento de Economía, Sociología y Política Agrarias, Universidad de Córdoba, Espanha, 2015.

BRUCH, K. L. B. Signos distintivos de origem: entre o velho e o novo mundo vitivinícola. 2011. Tese (Doutorado em Direito) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Université Rennes I, Porto Alegre, RS; Rennes, France, 2011.

CHAMPREDONDE, M. La valorización de la tipicidad cultural y territorial de productos mediante certificaciones en países de América Latina. In: FROEHLICH, J. M. (Org.). Desenvolvimento territorial: produção, identidade e consumo. Ijuí (RS): Editora UNIJUÍ, 2012. p. 119-65.

CHAMPREDONDE, M.; CASIOROVSKI, J. G. Agregado de valor o valorización? Reflexiones a partir de denominaciones de origen en América Latina. RIVAR, Santiago do Chile, v. 3, n. 9, p. 147-72, set. 2016.

COVAS, A. A. Os territórios digitais: o decálogo da smartificação. Jornal Público, Lisboa, Portugal, 17 de fevereiro de 2018. Disponível em: https://www.publico.pt/2018/02/17/sociedade/opiniao/os-territorios-digitais-o-decalogo-da-smartificacao-1803261. Acesso em: 14 maio 2018.

DALLABRIDA, V. R. Valorização do território, signos distintivos e desenvolvimento territorial: uma aproximação teórica e indicativos metodológicos. In: ENANPUR, 18., Natal, 27-31 maio 2019. Anais [...], Natal, 2019a. Disponível em: http://anpur.org.br/xviiienanpur/anaisadmin/capapdf.php?reqid=23. Acesso em: 16 jan. 2020.

DALLABRIDA, V. R. “Significar territórios” para reafirmar sua especificidade e identidade territorial: aproximações teóricas e indicativos metodológicos. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE DESENVOLVIMENTO REGIONAL, 9., Santa Cruz do Sul, RS, 11-13 set. 2019. Anais [...]. Santa Cruz do Sul, RS: Unisc, 2019b. Disponível em: https://online.unisc.br/acadnet/anais/index.php/sidr/article/view/18987. Acesso em: 16 jan. 2020.

DALLABRIDA, V. R. Teorias do desenvolvimento: aproximações teóricas que tentam explicar as possibilidades e desafios quanto ao desenvolvimento de lugares, regiões, territórios ou países. Curitiba, PR: CRV, 2017.

DALLABRIDA, V. R. Território, governança e desenvolvimento territorial: indicativos teórico-metodológicos, tendo a Indicação Geográfica como referência. São Paulo: LiberArs, 2016a.

DALLABRIDA, V. R. Ativos territoriais, estratégias de desenvolvimento e governança territorial: uma análise comparada de experiências brasileiras e portuguesas. Revista EURE, Santiago do Chile, v. 42, n. 126, p. 187-212, mayo 2016b.

DALLABRIDA, V. R. (Org.). Indicação geográfica e desenvolvimento territorial: reflexões sobre o tema e potencialidades no Estado de Santa Catarina. São Paulo: LiberArs, 2015.

DALLABRIDA, V. R. (Org.). Desenvolvimento territorial: políticas públicas brasileiras, experiências internacionais e a Indicação Geográfica como referência. São Paulo: LiberArs, 2014.

DALLABRIDA, V. R. (Org.). Território, identidade territorial e desenvolvimento regional: reflexões sobre Indicação Geográfica e novas possibilidades de desenvolvimento com base em ativos com especificidade territorial. 1. ed. São Paulo: LiberArs, 2013.

DALLABRIDA, V. R. A gestão territorial através do diálogo e da participação. Scripta Nova, Barcelona, Espanha, v. XI, n. 245 (20), ago. 2007.

DALLABRIDA, V. R.; TOMPOROSKI, A. A.; PLAZA, J. J. T.; RUÍZ, A. R. P. Activando el patrimonio territorial como estrategia de desarrollo de regiones estancadas: el caso del Territorio del Contestado. Informe Gepec, Toledo, PR, v. 23, Edição Especial, p. 91-114, 2019.

DALLABRIDA, V. R.; COVAS, M. M. C. M.; COVAS, A. M. A. Inovação, desenvolvimento e espaço urbano: uma relação necessária, mas não suficiente. RBEUR − Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Recife, PE, v. 19, n. 2, p. 360-78, maio/ago. 2017.

GARRIDO, M. D.; RAMOS, E. Calidad y desarrollo rural: una propuesta metodológica para la evaluación de marcas de calidad territorial. Revista Española de Estudios Agrosociales y Pesqueros, n. 234, p. 127-57, 2013.

HAESBAERT, R. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. 6. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

MARTÍNEZ-VILLALBA, J. C. R. Teoría general de los signos distintivos. Revista la Propriedad Inmaterial, n. 18, p. 191-219, nov. 2014.

MASCARENHAS, G.; WILKINSON, J. Indicações geográficas em países em desenvolvimento: Potencialidades e desafios. Revista de Política Agrícola, Brasília, DF, ano XXIII, n. 2, p. 103-15, abr./maio/jun. 2014.

NIEDERLE, P. A. (Org.). Indicações geográficas: qualidade e origem nos mercados alimentares. 1. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2013. v. 1.

PAVÓN, P.; GÓMEZ MUNHÓZ, A. C. Pautas de implantación de signos de calidad territorial en Andalicía. In: MORENO, L.; SANCHEZ, M.; SIMÕES, O. (Coord.). Cultura, inovação e território: o agroalimentar e o rural. Lisboa: Sociedade Portuguesa de Estudos Rurais, 2009. p. 75-85.

PECQUEUR, B. A guinada territorial da economia global. Política & Sociedade, Florianópolis, SC, n. 14, p. 79-105, abr. 2009.

SAKR, M. R.; DALLABRIDA, V. R. Produtos de Santa Catarina com identidade territorial. Política Agrícola, Brasília, ano XXIV, n. 3, p. 102-13, jul./ago./set. 2015.

SAQUET, M. Por uma geografia das territorialidades e das temporalidades. Uma concepção multidimensional voltada para a cooperação e para o desenvolvimento territorial. 2. ed. ver. e ampl. Rio de Janeiro: Ed. Consequência, 2015.

VANDECANDELAERE, E.; ARFINI, F.; BELLETTI, G.; MARESCOTTI, A. (Ed.). Uniendo personas, territorios y productos. Guía para fomentar la calidad vinculada al origen y las indicaciones geográficas sostenibles. Roma: FAO/SINER-GI, 2011. (reimpressão).

Publicado
2020-01-28