A etnobotânica e o uso de plantas medicinais na Comunidade Barreirinho, Santo Antônio de Leverger, Mato Grosso, Brasil

Palavras-chave: Saber tradicional, Recursos vegetais, Fitoterapia.

Resumo

Objetivou-se investigar e resgatar o conhecimento tradicional acerca dos recursos vegetais, o manejo, o preparo e a indicação terapêutica das plantas medicinais utilizadas na Comunidade Barreirinho, Santo Antônio de Leverger, Mato Grosso (MT). O estudo qualitativo e quantitativo utilizou pré-teste, observação direta, turnê guiada, entrevistas e frequência absoluta e relativa. Identificaram-se 141 espécies medicinais, pertencentes a 60 famílias botânicas, e, entre elas, Fabaceae, Lamiaceae e Asteraceae foram as mais representativas.

Biografia do Autor

André Luís de Souza Ferreira, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), linha de pesquisa Análise e Gestão dos Recursos Naturais (Ecologia, Etnobotânica e Etnofarmacologia). Graduação em Ciências Biológicas pela UFMT e em Tecnologia em Gestão Ambiental pela Universidade Norte do Paraná.

Maria Corette Pasa, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

Pós-Doutorado em Etnofarmacobotânica na Cultura de Comunidades Afrodescendentes − Brasil/Europa/África. Doutorado em Ciências − Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestrado em Ecologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Professora da Classe Associado do Departamento de Botânica e Ecologia − Instituto de Biociências da UFMT. Editora-chefe dos Periódicos Biodiversidade e Flovet − Flora, Vegetação e Etnobotânica da UFMT. Líder do Grupo de Pesquisa Estudando o Cerrado (Escer) − CNPq/CAPES. Membro de DGPs com certificação nacional e internacional IVR (Inteligência Vibracional Reversa) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Cecilia Veronica Nunez, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA-AM)
Possui graduação em Química pela Universidade Mackenzie (1993), mestrado em Química Orgânica (Produtos Naturais) pela Universidade de São Paulo (1996), doutorado em Química Orgânica (Produtos Naturais) pela Universidade de São Paulo (2000), pós-doutorado em Química Orgânica (Produtos Naturais) pela Universidade de São Paulo - São Carlos (2000-2001) e pós-doutorado em Farmacognosia pela Université de Lille-2, Droit et Santé, França (2009-2010). Atualmente é Tecnologista Senior do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia e professora/orientadora permanente dos Programas de Pós-Graduação em Biotecnologia-UFAM/INPA, Biotecnologia-UEA/INPA e Botânica-INPA e professora/orientadora colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Química-UFAM/INPA. É bolsista de produtividade nível 2 desde 2014. É editora das revistas Fitos e Journal of Botany Research. É referee da Acta Amazonica, da Química Nova, da Revista Brasileira de Farmacognosia, da Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, do International Research Journal of Biotechnology e do Journal of Agricultural and Food Chemistry, entre outras. É referee de teses do programa de Botânica da Universidade Bharathiar University, da India. Tem experiência nas áreas de Biotecnologia Vegetal e Química de Produtos Naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: bioprospecção de plantas e de micro-organismos endofíticos, biotecnologia vegetal (obtenção de calos/cultura de células vegetais/suspensões celulares), fracionamento biomonitorado, atividade antioxidante, atividade antimicrobiana, atividade citotóxica, atividade inseticida, metodologia de separação cromatográfica, identificação/elucidação estrutural de moléculas por RMN, análise de misturas por RMN e fotoionização de produtos naturais. Em 2009, foi selecionada pelo Lindau Nobel Council e pela Academia Brasileira de Ciências participar do 59th Meeting of Nobel Laureates in Lindau, Alemanha e participar do Programa Pós-Conferência em Baden-Württember. Foi Membro Afiliado da Academia Brasileira de Ciências de 2007 a 2012. É membro do Comitê Interdisciplinar de Avaliação de Livros e Programas de Pós-Graduação Acadêmicos e Profissionalizantes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES.

Referências

ALEXIADES, Miguel. Ethnobotany of the Ese Eja: Plants, health, and change in an Amazonian Society. 1999. 464 p. Tese (Doutorado em Filosofia) − The City University of New York. Disponível em: <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi =10.1.1.452.5979&rep=rep1&type=pdf>. Acesso em: 19 ago. 2017.

AMARAL, Eni Aparecida; SILVA, Regildo Márcio Gonçalves. Avaliação da Toxidade Aguda de Angico (Anadenanthera falcata), Pau-Santo (Kilmeyera coreacea), Aroeira (Myracrodruon urundeuva) e Cipó-de-São-João (Pyrostegia venusta), por meio do bioensaio com Artemia salina. Perquirçre − Revista Eletrônica da Pesquisa, v. 5, n. 5, 2008. Disponível em: http://perquirere.unipam.edu.br/documents/23456/34929/artigo_eni.pdf. Acesso em: 15 out. 2017.

ANGIOSPERM PHYLOGENY GROUP (APG IV). An update of the Angiosperm Phylogeny Group classification for the orders and families of flowering plants: APG IV. Botanical Journal of the Linnean Society, n. 181, p. 1-20, 2016. Disponível em: http://reflora.jbrj.gov.br/downloads/2016_GROUP_Botanical%20Journal %20of%20the%20Linnean%20Society.pdf. Acesso em: 21 jun. 2017.

BARROS, Silvia Berlanga; DAVINO, Solange. Avaliação da toxicidade. In: OGA, Seizi; CAMARGO, Marcia Maria de Almeida; BATISTUZZO, José Antônio de Oliveira. (Org.). Fundamentos de toxicologia. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2003.

BARROS, A. T.; ANDRADE, T. D. M.; SILVA, M. J. R.; DINIZ, D. K. T.; SOUSA, K. N.; TRAJANO, L. L. Estudo do conhecimento das plantas de uso medicinal pelos alunos do sistema EJA de educação em dois municípios do interior da Paraíba. In: CONGRESSO INTERNACIONAL, 1., Patos, PB, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), 2010. Anais [...]. Cátedra Unesco, 2010. Disponível em: https://www.catedraunescoeja.com.br/i-congresso-internacional/GT06_COM021.pdf. Acesso em: 25 set. 2017.

COSTA, Gilmar da; SILVA, Patrícia Sanches da. Tratamento bioenergético: estudo etnofarmacológico de plantas medicinais da Pastoral da Saúde Alternativa de Cotriguaçú, MT. Biodiversidade, v. 13, n. 1, p. 115-24, 2014. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/1544. Acesso em: 25 set. 2017.

DAVID, M.; PASA, M. C. As plantas medicinais e a etnobotânica em Várzea Grande, MT, Brasil. Interações, Campo Grande, MS, v. 16, n. 1, p. 97-108, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/inter/v16n1/1518-7012-inter-16-01-0097.pdf. Acesso em: 25 set. 2017.

ELIZABETSKY, Elaine. Etnofarmacologia. Ciência e Cultura, v. 55, n. 3, p. 35-6, 2003. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252003000300021. Acesso em: 25 set. 2017.

FERREIRA, André Luis de Souza; BATISTA, Caio Augusto; PASA, Maria Corette. Uso de plantas medicinais na comunidade quilombola Mata Cavalo em Nossa Senhora do Livramento – MT, Brasil. Biodiversidade, v. 14, n. 1, p. 151-60, 2015. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/2258. Acesso em: 25 set. 2017.

GONÇALVES, Karina Gondolo; PASA, Maria Corette. A etnobotânica e as plantas medicinais na Comunidade Sucuri, Cuiabá, MT, Brasil. Interações, v. 16, n. 2, p. 245-256, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/inter/v16n2/1518-7012-inter-16- 2- 0245.pdf. Acesso em: 12 jul. 2017.

GUARIM NETO, Germano; CARVALHO, João Victor. Biodiversidade mato-grossense: as plantas e suas potencialidades. Cuiabá: Carlini & Caniato, 2011.

GUARIM NETO, Germano; PASA, Maria Corette. Estudo Etnobotânico em uma área de Cerrado no Município de Acorizal, Mato Grosso. Flovet, v. 1, p. 5-32, 2009. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/flovet/article/view/653. Acesso em: 30 jun. 2017.

GUARIM NETO, Germano; MACIEL, Marcia Regina Antunes. O saber local e os recursos vegetais em Juruena Mato Grosso. Mato Grosso: EdUFMT, 2008. 112p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em: http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?uf=51&dados=6. Acesso em: 12 mar. 2017.

MINAYO, Maria Cecilia de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 10. ed. São Paulo: Hucitec, 2007.

MINAYO, Maria Cecilia de Souza. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1994.

MOREIRA, Rogério Pinto de Moura; GUARIM NETO, Germano. A flora medicinal dos quintais de Tangará da Serra, Mato Grosso, Brasil. Biodiversidade, v. 14, n. 1, p. 63-83, 2015. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/2252. Acesso em: 17 mar. 2017.

PASA, M.C. Etnobiologia de uma comunidade Ribeirinha no alto da bacia do rio Árica Açu, Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. 2004. 174f. Tese (Doutorado em Ecologia e recursos naturais) Centro de ciências biológicas e da saúde, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos. SP. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/1721/TeseMCP.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em 12 abr. 2017.

PASA, Maria Corette. Abordagem etnobotânica na Comunidade de Conceição-Açú, Mato Grosso, Brasil. Polibotânica, v. 31, p. 169-97, 2011. 186p. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?pid=S1405-27682011000100011&script=sci_abstract. Acesso em: 17 mar. 2017.

PASA, Maria Corette; DAVID, Margô; FIEBIG, Gabriela de Avila; NARDEZ, Taina Maiza Bilinski; MAZIERO, Edi Liane. A etnobotânica na comunidade quilombola em Nossa Senhora do Livramento. Mato Grosso, Brasil. Biodiversidade, v. 14, n. 2, p. 2-14, 2015. Disponível em: http://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/2889. Acesso em: 22 maio 2017.

PINTO, Erika de Paula Pedro; AMOROZO, Maria Christina de Mello; FURLAN, Antônio. Conhecimento popular sobre plantas medicinais em comunidades rurais de mata atlântica-Itacaré, BA, Brasil. Acta Botânica Brasílica, v. 20, n. 4, p. 751-62, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-33062006000400001. Acesso em: 22 mai. 2017.

TOLEDO, Victor Manuel; BARRERA-BASSOLS, Narciso. A etnoecologia: uma ciência pós-normal que estuda as sabedorias tradicionais. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 20, p. 31-45, 2009. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/made/article/view /14519/1.0948. Acesso em: 30 jun. 2017.

Publicado
2020-10-30