Aproveitamento fotovoltaico, análise comparativa entre Brasil e Alemanha

Palavras-chave: Geração de energia, cooperação Brasil-Alemanha, Energia Solar

Resumo

O potencial energético solar brasileiro apresenta média anual consideravelmente alta em comparação com a Alemanha, que recebe 40% menos radiação do que o lugar menos ensolarado do Brasil e, mesmo assim, encontra-se em estágio avançado tanto de pesquisa quanto de instalações. A cooperação entre Brasil e Alemanha promove resultados importantes para o desenvolvimento da energia solar no país.

Biografia do Autor

Orlando Moreira Júnior Moreira Júnior, Universidade Federal da Grande Dourados

Professor da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) – Faculdade de Engenharia (FAEN). 

Celso Correia de Souza, Universidade Anhanguera Uniderp

Professor titular do Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Universidade Anhanguera-Uniderp.

Referências

ABSOLAR – Infográfico ABSOLAR – Maio, 2020. Disponível em http://www.absolar.org.br/infograficoabsolar-.html. Acesso em: 26 maio 2020.

AL-INVEST. Análise do Setor de Energias Renováveis na Alemanha. Outubro, 2011. Disponível em: http://www.al-invest4.eu/minisite/renovables_port/alemania /alemania5.1.html. Acesso em: 25 maio 2020.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA (ANEEL). Nota Técnica n. 0056/2017-SRD/ANEEL. 2017. Atualização das projeções de consumidores residenciais e comerciais com microgeração solar fotovoltaicos no horizonte 2017-2024. 26p.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA (ANEEL). Resolução Normativa n. 687, de 24 de novembro de 2015. Disponível em: http://www2.aneel.gov.br/cedoc/ren2015687.pdf. Acesso em: 25 maio 2020.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA (ANEEL). Resolução Normativa n. 482, de 17 de abril de 2012. Disponível em: http://www2.aneel.gov.br/cedoc/ren2012482.pdf. Acesso em: 25 maio 2020.

ANTAL, M.; CHERP, A.; JEWELL, J.; SUZUKI, M.; VINICHENKO, V. Comparing electricity transitions: A historical analysis of nuclear, wind and solar power in Germany and Japan. Energy Policy, v. 101, p. 612-28, fev. 2017.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia. PDE 2029. Assessoria de Comunicação Social, Ministério de Minas e Energia, 2019. Disponível em: http://www.mme.gov.br/web/guest/todas-as-noticias/-/asset_publisher/pdAS9IcdBICN /content/pde-2029-investimentos-em-infraestrutura-energetica-devem-alcancar-r-2-3-trilhoes/pop_up_101_INSTANCE_pdAS9IcdBICN_viewMode=print&_101_INSTANCE_pdAS9IcdBICN_languageId=pt_BR. Acesso em: 25 maio 2020.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. 2017. Disponível em: http://www.mma.gov.br/clima/convencaodas-nacoes-unidas/acordo-de-paris. Acesso em: 25 maio 2020.

BRASIL. Casa Civil. Acordo Brasil-Alemanha de Cooperação no Setor de Energia com Foco em Energias Renováveis e Eficiência Energética. 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Decreto/D7685.htm. Acesso em: 25 maio 2020.

BRITISH PETROLEUM (BP). Statistical Review of World Energy. June 2018. Disponível em: https://www.bp.com/en/global/corporate/energy-economics/statistical-review-of-world-energy/renewable-energy.html#solar-energy. Acesso em: 25 maio 2020.

CENTER FOR SUSTAINABLE SYSTEMS (CSS). Photovoltaic energy factsheet. University of Michigan, ago. 2016. Disponível em: http://css.umich.edu/sites/default/files/Photovoltaic%20Energy_CSS07-08_e2019.pdf. Acesso em: 25 maio 2020.

CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS (CGEE). Estudo Prospectivo em Energia Fotovoltaica. Ministério de Ciência e Tecnologia, Brasília, 2009. (Nota Técnica), 48p.

ERNEUERBARE-ENERGIEN-GESETZ (EEG). A Lei de Fontes Renováveis de Energia de 2014. 2014. Disponível em: https://www.noerr.com/en/newsroom/News/the-amended-renewable-energy-sources-act-2014-eeg-2014.aspx. Acesso em: 25 maio 2020.

INTERNATIONAL ENERGY AGENCY (IEA). Next-generation wind and solar power. 2016. 43 p. Disponível em: https://www.iea.org/reports/next-generation-wind-and-solar-power. Acesso em: 25 maio 2020.

NASCIMENTO, R. L. Energia solar no Brasil: situação e perspectivas. Brasília: Câmara dos Deputados do Brasil, 2017. (Estudo técnico). Disponível em: http://bd.camara.leg.br/bd/handle/bdcamara/32259. Acesso em: 25 maio 2020.

SAUAIA, R. L. PV in Brazil: market status, opportunities and challenges. São Paulo: InterSolar South America, 2016.

SOLARGIS. Maps of Global Horizontal Irradiation (GHI). [s.d.]. Disponível em: http://solargis.info/doc/free-solar-radiation-maps-GHI. Acesso em: 25 maio 2020.

SOUZA, H. M. (Coord.). Relatório do Grupo de Trabalho de Geração Distribuída com Sistemas Fotovoltaicos – GT-GDSF. Brasília: Ministério de Minas e Energia, 2009.

WOODHOUSE, MICHAEL A.; SMITH, BRITTANY; RAMDAS, ASHWIN; MARGOLIS, ROBERT M. Crystalline Silicon Photovoltaic Module Manufacturing Costs and Sustainable Pricing: 1H 2018 Benchmark and Cost Reduction Road Map. United States: n. p., 2019. Web. DOI: 10.2172/1495719.

Publicado
2019-05-08