O campo da educação cooperativista e sua relação com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop)

Palavras-chave: Gestão Cooperativa, Teoria de Campo, Educação Cooperativista.

Resumo

Este artigo tem por objetivo trazer para luz do debate, aspectos relativos à educação cooperativista, levando-se em consideração o papel desenvolvido pelo Sescoop. Nesse sentido, será apresentada uma discussão teórica de alguns acadêmicos e cooperativistas que abordam a temática, com intuito de entender um pouco sobre a sua implicação para os empreendimentos cooperativos e sistema cooperativista. Aproveitar-se-á da Teoria de Campo de Pierre Bourdieu visando entender como estaria conformado o campo da educação cooperativista.

Biografia do Autor

Palloma Rosa Ferreira, Universidade Federal de Viçosa
Graduada em Gestão de Cooperativas, pela Universidade Federal de Viçosa. Mestre em Extensão Rural e doutoranda em Economia Doméstica também pela Universidade Federal de Viçosa, desempenhou atividades como: Gerente de Projetos da Associação dos Educadores Cooperativista do Brasil (ONG EDUCOOP), atuou também como componente da equipe socioeconômica do Núcleo de Estudo e Planejamento da Terra (NEPUT). Foi Professora de Pós-Graduação do Instituto Prominas/Universidade Cândido Mendes e da Universidade Norte do Paraná (Unopar). Assumiu a Coordenação da Associação de Base Tecnológica de Viçosa e Região (ViçosaTec). As áreas de concentração de estudo são: Redes, organizações, Cooperativismo, Educação Cooperativista, Profissionalização da Gestão cooperativista, Extensão Rural, Administração.
Diego Neves de Sousa, Embrapa Pesca e Aquicultura
Doutorando em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Extensão Rural e gestor de cooperativas, ambos pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Analista da Embrapa Pesca e Aquicultura

Referências

ALBUQUERQUE, P. P. Reflexões sobre contemporaneidade, educação e agir cooperativo In: SCHNEIDER, J. O. Educação cooperativa e suas práticas. Brasília, DF: UNISINOS, 2003. p.109-34.

AMODEO, N. P. As cooperativas agroindustriais e os desafios da competitividade. 1999. 318f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade) - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 1999.

BONNEWITZ, P. Primeiras lições sobre a sociologia de Pierre Bourdieu. Tradução de Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 2003. 149p.

BOURDIEU, P. Espace social et genèse des “classes”. Actes de la recherche em sciences sociales, n. 52/53, p. 3-9, 1984.

______. Algumas propriedades do campo. In: BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Tradução de Jeni Vaitsman. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983. p. 89-94.

______. Equisse d’une théorie de la pratique. Gèneve: Liv. Droz, 1972.

BOURDIEU, P; WACQUANT, L. Réponses – Pou une anthropologie réflexive. Paris: Ed. du Seuil, 1992. 300p.

FERREIRA, P. R; AMODEO, N. B. P; SOUSA, D. N. Os públicos atendidos e os conteúdos da educação cooperativista nas cooperativas agrárias. Revista Gestão e Desenvolvimento Regional, v. 9, n. 1, p. 67-90, 2013.

FRANTZ, W. Educação e cooperação: práticas que se relacionam. Sociologias, v. 3, n. 6, p. 242-64, 2001.

GARZON, C. U. Bases del cooperativismo. 2. ed. Bogotá: [s.n.], 1978. 360p.

HALL, R. H. Organizações: estruturas e processos. Rio de Janeiro: Prentice-Hall do Brasil, 1984. 260p.

LAHIRE, B. Reprodução ou prolongamento críticos? Educação e Sociedade, v. 23, n. 78, p. 47-8, 2002.

MACEDO, A. S; SOUSA, D. N; AMODEO, N. B. P. O papel da comunicação na articulação dos diferentes níveis de organização no modelo central-singular de cooperativas. Bahia Análise & Dados, v. 23, p. 89-105, 2013.

MARTIN, A. ¿La cooperativa es también uma escuela humanista? Visión filosófica sobre la educación cooperativa. Sherbrooke: IRECUS, 2005. p.1-79.

PINHO, D. B. O cooperativismo no Brasil: da vertente pioneira à vertente solidária. São Paulo: Saraiva, 2004. 357p.

PINHO, D. B. A educação cooperativa nos anos 2000 valorizando a cidadania brasileira In: SCHNEIDER, J. O. Educação cooperativa e suas práticas. Brasília, DF: UNISINOS, 2003, p.135-77.

ROMANO, J. O. Empoderamento: enfrentemos primeiro a questão do poder para combater juntos a pobreza. [Documento de apoio]. In: INTERNATIONAL WORKSHOP EMPOWERMENT AND RIGHTS BASED APPROACH IN FIGHTING POVERTY TOGETHER, 2002, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 2002, p. 26.

SCHNEIDER, J. O. Pressupostos da educação cooperativa: a visão de sistematizadores da doutrina do cooperativismo. In: SCHNEIDER, J. O. Educação cooperativa e suas práticas. São Leopoldo, RS: UNISINOS, 2003. p.13-58.

SESCOOP. Relatório de Gestão do Sescoop de 2006. Brasília, DF: Sescop, 2006.

SOUSA, D. N; PINHO, J. B; AMODEO, N. B. P; MILAGRES, C. S. F. A comunicação como ferramenta da educação cooperativista. Revista de Extensão e Estudos Rurais, v. 2, p. 57-78, 2013.

SOUSA, D. N; AMODEO, N. B. P; MACEDO, A. S; MILAGRES, C. S. F. A comunicação na articulação agroindustrial entre uma cooperativa central, suas cooperativas singulares e cooperados. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 52, p. 495-514, 2014.

SOUSA, D. N; MACEDO, A. S; COSTA, M. S; MILAGRES, C. S. F. Uma análise da gestão social em cooperativas agropecuárias sob a perspectiva da Organização do Quadro Social. Revista Desenvolvimento Social, v. 21, p. 1-11, 2017.

THIRY-CHERQUES, H. R. Pierre Bourdieu: a teoria na prática. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 40, n. 1, p. 27-55, jan./fev. 2006.

VALADARES, J. H. Profissionalização da gestão cooperativista: modismo ou necessidade? Revista Universo, v. 3, n. 16, p. 50-66, 2005.

VALADARES, J. H. Educação e comunicação cooperativista na cooperativa agrícola. Dourados: IDECOOP, 2004.

WATKINS, W. P. Los princípios cooperativos hoy y mañana. Bogotá: ESACOOP, 1989.

Publicado
2018-10-05