Imigração, identidade e multiculturalismo nas organizações brasileiras

  • Lisiane Selaimen Heemann Ketzer UniRitter
  • Julice Salvagni Unisinos
  • Andrea Poleto Oltramati UFRGS
  • Daiane Boelhouwer Menezes Unisinos
Palavras-chave: identidade social, imigrantes, multicultural, multiculturalismo.

Resumo

Este artigo problematiza, com base na análise de entrevistas individuais, a identidade do imigrante no Brasil e a forma como o multiculturalismo é abordado no país por meio das organizações de trabalho. A identidade é entendida como uma construção social em constante transformação, acentuada no momento em que os indivíduos migram, dado o encontro com as diferenças. Essa identidade social é composta pelos costumes e tradições de sua nação e, ao migrar, a falta dessas questões é perceptível na vida do imigrante. Como resultados, destaca-se que os motivos para migrar hoje em dia são semelhantes aos do passado, como melhorar de vida e fugir de problemas econômicos, religiosos e sociais. No Brasil, o racismo e a exclusão social ainda são presentes mesmo que este seja um país multicultural. Na esfera das organizações, o multiculturalismo está recém iniciando, e verifica-se que a diversidade é questionada e que ainda existem preconceitos devido à diferença cultural do indivíduo. 

Biografia do Autor

Lisiane Selaimen Heemann Ketzer, UniRitter
Especialista em Gestão de Pessoas - UniRitter Laureate International Universities, 2017.
Julice Salvagni, Unisinos
Pós-Doutora, Programa Nacional de Pós-Doutorado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (PNPD/CAPES). Doutora em Sociologia (UFRGS/CAPES - 2012). Mestre em Ciências Sociais (Unisinos- 2011), Especialista em Gestão Empreendedora (Ftec- 2009) e Psicóloga (Unisinos- 2007). 
Andrea Poleto Oltramati, UFRGS

Doutorado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil (2010) professor adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Daiane Boelhouwer Menezes, Unisinos
Doutorado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil(2014) Analista Pesquisadora do Núcleo de Políticas da Fundação de Economia e Estatística.

Referências

BAENINGER, Rosana et al. Imigração haitiana no Brasil. São Paulo: Paco Editorial, 2017.

BARBOSA, Lívia; VELOSO, Letícia. Gerência intercultural, diferença e mediação nas empresas transnacionais. Civitas – Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 7, n. 1, p. 59-85, jan./jun. 2007.

BAUER, Martin; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

BENDASSOLLI, Pedro Fernando. O mal-estar na sociedade de gestão – e a tentativa de gestão do mal-estar (Prefácio). In: GAULLEJAC, Vincent de. Gestão como doença social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. Aparecida, SP: Idéias & Letras, 2007.

BLEICHMAR, Silvia. La subjetividad en riesgo. 1. ed. Buenos Aires: Topía, 2005.

BUENO, Janaína Maria; FREITAS, Maria Ester de. As equipes multiculturais em subsidiárias brasileiras de multinacionais: um estudo de casos múltiplos. Organizações & Sociedade, Salvador, BA, v. 22, n. 72, p. 15-34, jan./mar. 2015.

D'ADESKY, Jacques. Pluralismo étnico e multiculturalismo. Afro-Ásia, n. 19-20, p. 165-82, 1997.

OLIVEIRA, Eliane de; SOUZA, Maria Luiza de. Multiculturalismo, diversidade cultural e direito coletivo na ordem contemporânea. Cadernos da Escola de Direito, v. 3, n. 16, p. 121-39, 2011.

FIALKOM, Jaime Carrion. Migração internacional contemporânea: principais processos. Panorama Internacional – FEE, Porto Alegre, v. 1, n. 3, p. 8-11, mar. 2016.

FISCHER, Rosa Maria. Pondo os pingos nos “is”: sobre as relações do trabalho e políticas de administração de recursos humanos. In: FLEURY, Maria Tereza; FISCHER, Rosa Maria (Coord.). Processo e relações do trabalho no Brasil. São Paulo: Atlas, 1987.

FLEURY, Maria Tereza L. Gerenciando a diversidade cultural: experiências de empresas brasileiras. RAE – Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 40, n. 3, p. 18-25, jul./set. 2000.

GARCEZ, Gabriela Soldano; OLIVEIRA, Meilyng Leone. Multiculturalismo, interculturalidade e direitos humanos: a responsabilidade da mídia em informar para a educação intercultural. Leopoldianum, Santos, SP, v. 40, n. 113-5, p. 7-20, 2016.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Como trabalhar com ‘raça’ em sociologia. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 93-107, jan./jun. 2003.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

______. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000. p. 103-33

______. A identidade cultural da pós-modernidade. 10. ed. São Paulo: DP&A, 1997.

IANNI, Octavio. Dialética das relações raciais. Estudos Avançados, São Paulo, v. 18, n. 50, p. 21-30, jan./abr. 2004.

JACQUES, Maria da Graça Corrêa. Identidade e trabalho. In: CATTANI, Antônio David; HOLZMANN, Lorena (Org.). Dicionário de trabalho e tecnologia. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2006.

Jurasz, Olga. Book reviews. International Journal of Refugee Law, v. 28, n. 2, p. 347-61, 2016.

KYMLICKA, Will. Multiculturalism: sucess,failure, and the future: transtlantic council on migration. February 2012. Tradução de Maria Tereza Amodeo. Interfaces Brasil/Canadá, Canoas, RS, v. 14, n. 18, p. 123-74, 2014.

MIRANDA, Antônio et al. Sociedade da informação: globalização, identidade cultural e conteúdos. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 2, p. 78-88, maio/ago. 2000.

MORAES, Roque. Uma experiência de pesquisa coletiva: introdução à análise e conteúdo. In: GRILLO, Marlene Correro; MEDEIROS, Marilú Fontoura de (Org.). A construção do conhecimento e sua mediação metodológica. 1. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1998. p. 111-29.

MOTTA, Fernando C. Prestes; ALCADIPANI, Rafael; BRESLER, Ricardo B. A valorização do estrangeiro como segregação nas organizações. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, PR, v. 5, número especial, p. 59-79, 2001.

PEREIRA, Flávia Oliveira; OLIVEIRA, Josiane Silva. A intersecção entre raça, gênero e imigração no mercado de trabalho: um estudo com mulheres haitianas na cidade de Maringá, Paraná. Trabalho apresentado no VI ENCONTRO DE GESTÃO DE PESSOAS E RELAÇÕES DE TRABALHO. Curitiba, 2017.

ROLNIK, Sueli. Toxicômanos de identidade: subjetividade em tempo de globalização. In: LINS, Daniel (Org.). Cultura e subjetividade: saberes nômades. Campinas, SP: Papirus, 1997. p. 19-24.

SARRIERA, Jorge Castellá; PIZZINATO, Adolfo; MENESES, María Piedad Rangel. Aspectos psicossociais da imigração familiar na Grande Porto Alegre. Estudos de Psicologia, Natal, RN, v. 10, n. 1, p. 5-13, 2005.

SODRÉ, Muniz. Raça como fraude civilizatória. Palestra proferida em ocasião da gravação do filme “Depois de ser cinza”, Fundação Iberê Camargo, Porto Alegre, 2017.

______. Claros e escuros: identidade, povo e mídia no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

UEBEL, Roberto Rodolfo Gearg. A mudança da política externa brasileira para imigrantes e refugiados: o caso da imigração haitiana no início do século. Barbarói, Santa Cruz do Sul, RS, edição especial, n. 47, p. 22-43, jan./jun. 2016.

______. Análise do perfil socioespacial das migrações internacionais para o Rio Grande do Sul no início do século XXI: redes, atores e cenários da imigração haitiana e senegalesa. 2015. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Geociências, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2015.

UNITED NATIONS REFUGEE AGENCY (UNHCR). Refugees’ and ‘Migrants. 16 mar. 2016. Disponível em: <http://www.unhcr.org/afr/news/latest/2016/3/56e95c676/refugees-migrants-frequently-asked-questions-faqs.html>. Acesso em: 13 jun. 2017.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. In: SILVA, Thomaz T. da (Org.). Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.

Publicado
2018-06-29