O papel do ambiente escolar na cultura alimentar Kaingang: o caso da TERRA Indígena Rio das Cobras, PR

Palavras-chave: indígenas, cultura alimentar, alimentação escolar

Resumo

Este artigo busca analisar o papel da escola indígena na valorização/revitalização da cultura alimentar na Terra Indígena Rio das Cobras em Nova Laranjeiras, PR. Foi realizada uma pesquisa qualitativa, em cinco escolas Kaingang, por meio de entrevista semiestruturada e verificação do cardápio escolar. As escolas perpetuam, no cotidiano dos alunos ambientes que propiciam a aculturação e globalização dos hábitos alimentares, sem preocupações com a manutenção de sua cultura. 

Biografia do Autor

Suzana Kagmu Mineiro, Universidade Federal da Fronteira Sul
Mestre em Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável - UFFS
Rozane Marcia Triches, Universidade Federal da Fronteira Sul
Profa. Dra. Curso de Graduação em Nutrição e do Programa de Pós-Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável - UFFS.

Referências

ALARCÃO, Isabel. Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001.

ALMEIDA, Antonio Cavalcante. Organização Kaingang: o caso das lideranças tradicionais e políticas no Paraná. Revista Ciências Sociais em Perspectiva (eletrônica), Cascavel, PR, v. 13, n. 25, 2014.

ALTIERI, Miguel. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. São Paulo: Expressão Popular; Rio de Janeiro: AS-PTA, 2012. 400p.

ARAÚJO, Rita de Cássia; FAUSTINO, Rosangela Célia; NOVAK, Maria Simone Racomini. Memórias, conhecimentos e literatura na Escola Indígena Guarani Nhandewa. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE, 9. ENCONTRO SUL BRASILEIRO DE PSICOPEDAGOGIA, 3. Curitiba: PUC-PR, out. 2009. Disponível em: <http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/educacao_indigena/memorias_conhecimentos_literatura_escola.pdf>.

BACKES, José Licínio. A escola indígena intercultural: espaço/tempo de afirmação da identidade étnica e de desconstrução da matriz colonial. Interações, Campo Grande, MS, v. 15, n. 1, p. 13-9, jan./jun. 2014.

BECKER, Ítala Irene Basile. O índio Kaingang no Rio Grande do Sul. São Leopoldo, RS: Instituto Anchietano de Pesquisas, 1976. 334 p. (Pesquisas Antropologia, 29).

BRASIL. Saúde indígena: uma introdução ao tema. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, diversidade e Inclusão, 2012.

______. Lei n. 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola aos alunos da educação básica. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l11947.htm>. Acesso em: 26 mar. 2016.

______. Educação Escolar Indígena: diversidade sociocultural indígena ressignificando a escola. Brasília, DF: Cadernos Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC), 2007.

______. Referencial curricular nacional para as escolas indígenas. Brasília, DF: Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental, MEC/SEF, 1998.

______. LDB. Lei 9.394/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 12 abr. 2015.

______. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Departamento de Publicações, Senado Federal, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 9 mar. 2015.

CAPORAL, Francisco Roberto; COSTABEBER, José Antonio; PAULUS, Gervásio. Agroecologia: matriz disciplinar ou novo paradigma para o desenvolvimento rural sustentável. Brasília, DF, 2006. Disponível em: <http://www.reformaagrariaemdados.org.br/sites/default/files/Agroecologia,%20Matriz%20disciplinar%20ou%20novo%20paradigma%20-%20Francisco%20Caporal,%20Jose%20Costabeber,%20Gervasio%20Paulus.pdf>. Acesso em: 9 mar. 2015.

CARNEIRO DA CUNHA, Manuela. Etnicidade: da cultura residual, mas irredutível. In: ______. Cultura com Aspas. São Paulo: Cosac Naify, 2009. p. 235-44.

CASCUDO, Luiz da Câmara. História da alimentação no Brasil: cozinha brasileira. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, 1983. v. 2.

______. Seleta. Rio de Janeiro: José Olympio, 1972.

______. História da alimentação no Brasil: cardápio indígena, dieta africana, ementa portuguesa. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1967. v. 1.

CASTRO, Teresa Gontijo et al. Características de gestão, funcionamento e cardápios do Programa Nacional de Alimentação Escolar em escolas Kaingang do Rio Grande do Sul, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 11, p. 2401-12, nov. 2014.

CONTRERAS, Jesus; GRACIA, Mabel. Alimentacion y cultura: perspectivas antropológicas. Barcelona: Ariel, 2004.

D’ANGELIS, Wilmar R.; VEIGA, Juracilda. Habitação e acampamentos Kaingang hoje e no passado. Revista Cadernos do Ceom, Chapecó, SC, n. 18, p. 213-42, 2003.

DEAN, Warren. A ferro e fogo: a história e a devastação da Mata Atlântica brasileira. 1. ed. São Paulo: Cia. das Letras, 2004. 484p.

ENGEL, Vonia; ALMEIDA, Giovana Goretti Feijó de. A cultura no processo contemporâneo de transformação tecnológica na articulação com o desenvolvimento regional. Espaço Plural, Cascavel, PR, ano XVI, n. 32, p. 224-42, 1º Semestre 2015.

FAGUNDES, Luiz Fernando Caldas; FARIAS, João Maurício (Org.). Objetos-sujeitos: a arte kaingang como materialização de relações. Porto Alegre: FUNAI/CR; Passo Fundo/CTL; Porto Alegre: Editora Deriva, 2011.

GONÇALVES, Renata da Cruz. A diversidade sociocultural no Programa Nacional de Alimentação Escolar: uma etnografia da alimentação escolar indígena entre os Xavánte de Parabubure, Mato Grosso. 2012. Dissertação (Mestrado em Nutrição) - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, 2012.

IANDÉ. Índios Xetá. Boletim n. 27, jan. 2008. Disponível em: <http://www.arara.fr/BBTRIBOXETA.html>. Acesso em: 20 set. 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico 2010. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr>. Acesso em: 15 out. 2016.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 1994.

LEITE, Mauricio Soares. Transformação e persistência: antropologia da alimentação e nutrição de uma sociedade indígena amazônica. Rio de janeiro: Editora Fiocruz, 2007.

MEIHY, Jose Carlos Sebe Bom. Manual de história oral. 5. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

MONIOT, Henri. A história dos povos sem história. In: LE GOFF, Jacques (Org.). História: novos problemas. Rio de Janeiro: F. Alves, 1988.

MOREIRA, Roberto José. Críticas ambientalistas à Revolução Verde. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, n. 15, p. 39-52, 2000.

PINHEIRO, Maria Helena de Amorin. A emergência do ritual do kiki no contexto contemporâneo. 2013, 191 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, 2013.

PORTO ALEGRE. Povos indígenas na Bacia Hidrográfica do Lago Guaíba. Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Segurança Urbana. Coordenação de Direitos Humanos. Porto Alegre: Prefeitura de Porto Alegre, 2008.

ROCHA, Rodrigo Veras. A ausência de Laudo Pericial Antropológico como causa de nulidade absoluta nos processos criminais em que o índio figure como réu. 2008. 94 f. Monografia (Bacharelado em Direito) - Universidade do Vale de Itajaí (Univali), São José, SC, 2008. Disponível em: <http://siaibib01.univali.br/pdf/Rodrigo%20Veras%20Rocha.pdf>. Acesso em: 24 dez. 2016

SAAD, Mariane Barbosa Nogueira. Saúde e nutrição Terena: sobrepeso e obesidade. 2005. 129 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS, 2005

Publicado
2018-10-05