Fontes e redes de informação na produção cafeeira do Cerrado Mineiro, MG

  • Douglas Ken Nagai Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento PGAD/Unesp, Campus de Tupã. CEPEAGRO - Centro de Pesquisas em Administração e Agronegócio
  • Giuliana Aparecida Santini Pigatto Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento PGAD/Unesp, Campus de Tupã. CEPEAGRO - Centro de Pesquisas em Administração e Agronegócio
  • Timóteo Ramos Queiroz Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento PGAD/Unesp, Campus de Tupã. CEPEAGRO - Centro de Pesquisas em Administração e Agronegócio
Palavras-chave: denominação de origem, produção de café, inovação.

Resumo

O objetivo foi analisar as fontes de informação para a inovação utilizadas no processo de obtenção do registro de Denominação de Origem (DO) na região do Cerrado Mineiro, em termos de atores e redes de informação. Foram aplicados estudos de caso com onze produtores rurais do município de Patrocínio, MG. Os resultados demonstraram que alguns produtores que comercializam com o selo de origem ocupam de fato um papel central, tanto na frequência de busca da informação, como em ser fonte de informação por parte de outros produtores.

Biografia do Autor

Douglas Ken Nagai, Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento PGAD/Unesp, Campus de Tupã. CEPEAGRO - Centro de Pesquisas em Administração e Agronegócio
Possui graduação em Administração pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Atualmente é mestrando do Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento da Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho. Atua na linha de pesquisa de Competitividade de Sistemas Agroindustriais e faz parte do grupo de pesquisa credenciado pelo CNPq, CEPEAGRO (Centro de Pesquisas em Administração e Agronegócio)
Giuliana Aparecida Santini Pigatto, Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento PGAD/Unesp, Campus de Tupã. CEPEAGRO - Centro de Pesquisas em Administração e Agronegócio
Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1999), mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de São Carlos (2002) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de São Carlos (2006). É docente em Regime de Dedicação Integral à Docência e Pesquisa (RDIDP) pela Universidade Estadual Paulista, Campus de Tupã (CET); Professora permanente do Programa de Pós-graduação em Agronegócio e Desenvolvimento da UNESP de Tupã (área Interdisciplinar Capes); Pesquisadora do CEPEAGRO (Centro de Pesquisa em Administração e Agronegócios). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Cadeias Produtivas e Estudos Industriais, atuando principalmente nos seguintes temas: Inovação tecnológica e sustentabilidade, Estratégias e organização de cadeias produtivas, e comércio internacional.
Timóteo Ramos Queiroz, Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento PGAD/Unesp, Campus de Tupã. CEPEAGRO - Centro de Pesquisas em Administração e Agronegócio
Professor Doutor da UNESP, Administrador pela UFMS, Mestre e Doutor em Engenharia de Produção pela UFSCar. Atua como Docente Orientador do Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento (PGAD/UNESP) e pesquisador do CEPEAGRO/UNESP. Compõe o corpo editorial das revistas Custos e @gronegócio (1808-2882), Desafio (1678-1821), Revista de Ingeniería Industrial (0717-9103) e The International Journal of Productivity and Performance Management (1741-0401). Coordenador do livro "Agronegócios: Gestão e Inovação", lançado pela Editora Saraiva em 2006 e também do livro "Agronegócios: Gestão, Inovação e Sustentabilidade" lançado em 2015. Pesquisador fomentado pela FAPESP. Tem experiência nas áreas de Administração e Agronegócios, com foco em Gestão de Redes e Cadeias Produtivas, Competitividade de Sistemas Agroindustriais, atuando principalmente nos seguintes temas de análises de redes de empresas, análises financeiras, sistemas de custeio, indicadores de desempenho e tomada de decisões

Referências

AHUJA, G.; SODA, G.; ZAHEER, A. The genesis and dynamic of organizational dynamics. Organization Science, v. 23, n. 2, p. 434-448, 2012.

AHUJA, G.; POLIDORO JR., F.; MITCHELL, W. Structural homophily or social asymmetry? The formation of alliances by poorly embedded firms. Strategic Management Journal, v. 30, n. 9, p. 941-958, 2009.

ALBAGLI, S.; MACIEL, M. L. Capital social e empreendedorismo local. In: LASTRES, H. M. M. et al. Políticas para Promoção de Sistemas Produtivos Locais de MPME. Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2002. Disponível em: <http://www.redesist.ie.ufrj.br/nts/nt33/F223_SaritaMLucia.PDF>. Acesso em: 11 out. 2015.

ALBAGLI, S.; MACIEL, M. L. Informação e conhecimento na inovação e no desenvolvimento local. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 3, p.9-16, dez. 2004.

BEAULIEU, C. M. G. Dos sistemas nacionais de pesquisa agrícola aos sistemas nacionais de inovação agrícola: a inserção dos institutos nacionais de pesquisa agropecuária. 2013. 224 p. Tese (Doutorado em Política Científica e Tecnológica) - Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, 2013.

BORGATTI, S. P.; EVERETT, M. G.; FREEMAN, L. C. Ucinet for Windows: Software for Social Network Analysis. Harvard, MA: Analytic Technologies, 2002. Disponível em: <https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=sites&srcid=ZGVmYXVsdGRvbWFpbnxhbmFseXppbmdzb2NpYWxuZXR3b3Jrc3xneDoyY2QwMmZiYmJjNzQ0YTFi>. Acesso em: 25 ago. 2015.

BRASIL. Café, saiba mais. 2014. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/vegetal/culturas/cafe/saiba-mais>. Acesso em: 28 nov. 2014.

BRUNORI, G.; ROSSI, A.; GUIDI, F. On the New Social Relations around and beyond Food. Analysing Consumers’ Role and Action in Gruppi di Acquisto Solidale (Solidarity Purchasing Groups). Sociologia Ruralis, v. 52, n. 1, p. 1-27, 2012.

CASSIOLATO, J. E.; SZAPIRO, Marina. Uma caracterização de arranjos produtivos locais de micro e pequenas empresas. In: LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E.; MACIEL, M. L. (Org.). Pequena empresa: cooperação e desenvolvimento local. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2003.

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M. Sistemas de inovação e desenvolvimento. As implicações de política. São Paulo em Perspectiva, v. 19, n. 1, p. 34-45, 2005.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (CONAB). Levantamentos de safra. Disponível em: <http://www.conab.gov.br/conteudos.php?a=1253&>. Acesso em: mar. 2015.

COOKE, P.; URANGA, M. G.; ETXEBARRIA, G. Regional innovation systems: Institutional and organizational dimensions. Research Policy, v. 26, n. 4, p. 475-491, 1997.

DALFOVO, M. S.; LANA, R. A.; SILVEIRA, A. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, Blumenau, SC, v. 2, n. 4, p. 01-13, 2008.

DOCKS, A. C; TISENKOPFS, T; BOCK, B. B. The concept of agricultural knowledge and innovation systems. In: EU SCAR. Agricultural knowledge and innovation systems in transition – a reflection paper. Bruxelas, 2012. Disponível em: <http://ec.europa.eu/research/bioeconomy/pdf/ki3211999enc_002.pdf>. Acesso em: 19 maio 2014.

EMPRESA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS (EMATER-MG). Missão e visão. [s.d.]. Disponível em: <http://www.emater.mg.gov.br/portal.cgi?flagweb=site_tpl_paginas_internas2&id=6#.VMsDhmjF8mM>. Acesso em: jan. 2015.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Quem somos. [s.d.]. Disponível em: <https://www.embrapa.br/quem-somos>. Acesso em: jan. 2015.

FREEMAN, C. Networks of innovators: a synthesis of research issues. Research Policy, v. 20, n. 5, p. 499-514, out. 1991.

GRANOVETTER, M. Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. RAEEletrônica, v. 6, n. 1, art. 9, 2007.

GUIMARÃES FILHO, C. Certificação de Indicação Geográfica. Uma estratégia de inserção no mercado para produtos do Semiárido. Secretaria da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Reforma Agrária, Pesca e Aquicultura do Estado da Bahia, 2013. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/desenvolvimento-sustentavel/indicacao-geografica>. Acesso em: 13 ago. 2014.

HOLSTER, H.; HORAKOVA, S.; IPEMA, B.; FUSAI, B.; GIANNERINI, G.; TEYE, F.; MARTINI, D.; SHALLOO, L.; SCHMID, O. Current situation on data exchange in agriculture in the EU-27 and Switzerland. AgriXchange project, network for data exchange in agriculture. 2012. Disponível em: <http://edepot.wur.nl/206268>. Acesso em: 6 dez. 2014

INSTITUTO NACIONAL DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL (INPI). Revista de propriedade Industrial, seção I, n. 2243, 31 dez. 2013. Disponível em: <http://revistas.inpi.gov.br/rpi/>. Acesso em: 12 jun. 2014.

JESPERSEN, L. M.; HANSEN, J. P.; BRUNORI, G.; JENSEN, A. L.; HOLST, K.; MATHIESEN, C.; HALBERG, N.; RASMUSSEN, I. A. Ict and social media as drivers of multi-actor innovation in agriculture. Barriers, recommendation and potentials. EU SCAR. Agricultural Knowledge and Innovation Systems Towards – an orientation paper on linking innovation and research 2020. Bruxelas, 2014. Disponível em: <http://ec.europa.eu/research/bioeconomy/pdf/ki3211999enc_002.pdf>. Acesso em: 19 out. 2014.

MAFRA, L. A. S. Indicação geográfica e construção do mercado: a valorização da origem no Cerrado Mineiro. 2008. 137 p. Tese (Doutorado em Ciências) - Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Rio de Janeiro, 2008.

NASCIMENTO, C. L.; JIMENEZ, G. G.; CAMPOMAR, M. C. A rede social como fonte de decisão para o processo de decisão de compra. Future Studies Research Journal, São Paulo, v. 6, n. 2, p. 30-47, 2014.

ORESZCZYN, S.; LANE, A.; CARR, S. The role of networks of practice and webs of influencers on farmersengagement with and learning about agricultural innovations. Journal of Rural Studies, v. 26, n. 4, p. 404-417, out. 2010.

ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. Statistical Office Of The European Communities. Oslo Manual: Guidelines for collecting and interpreting innovation data. 3 ed., 2005. Disponível em: <http://epp.eurostat.ec.europa.eu/cache/ITY_PUBLIC/OSLO/EN/OSLO-EN.PDF>. Acesso em: 12 maio 2014.

ORTEGA, A. C.; JESUS, M. C. Café e território. A cafeicultura no Cerrado Mineiro. Campinas, SP: Alínea, 2012.

______. Território, certificação de procedência e a busca da singularidade: o caso do Café do Cerrado. Política e Sociedade, v. 10, n. 19, p. 305-330, 2011.

POPPE, K. J. Innovation policy: theory and EU initiatives. In: EU SCAR. Agricultural knowledge and innovation systems in transition – a reflection paper. Bruxelas, 2012. Disponível em: <http://ec.europa.eu/research/bioeconomy/pdf/ki3211999enc_002.pdf>. Acesso em: 19 maio 2014.

SCHAEFER, C. Motivations and usage patterns on social network sites. European Conference on Information Science, Karlsruhe, Alemanha, 2008. Disponível em: <https://pdfs.semanticscholar.org/7bfb/f38d2fcb6996bb1acb0b2bb3dc042d4e4d80.pdf?_ga=1.173900963.1222369864.1479999772>.

VOSS, C.; TSIKRIKTSIS, N.; FROLICH, M. Case research in operations management. International Journal of Operations & Production Management, Londres, v. 22, n. 2, p. 195-219, 2002.

Publicado
2016-12-18