Bases da sustentabilidade para atividade de piscicultura no semiárido de Pernambuco

  • Ariane Silva Cardoso Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
  • Soraya Giovanetti El-Deir Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
  • Maristela Casé Costa Cunha Universidade Estadual da Bahia - UNEB
Palavras-chave: aquicultura, desenvolvimento sustentável, Pernambuco.

Resumo

A piscicultura destaca-se como uma atividade com potencial de minimizar a insegurança nutricional e alimentar, contudo exibe riscos ambientais. Este estudo pretende analisar, numa abordagem qualitativa, a atividade com base nos princípios da sustentabilidade, a partir de estudo de caso de uma piscicultura de tanque escavado no semiárido de Pernambuco. Visa auxiliar na melhoria da gestão ambiental das atividades produtivas, sobretudo na piscicultura.

Biografia do Autor

Ariane Silva Cardoso, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
Discente do programa de pós-graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, campus Recife.
Soraya Giovanetti El-Deir, Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE
Docente do programa de pós-graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, campus Recife.
Maristela Casé Costa Cunha, Universidade Estadual da Bahia - UNEB
Docente do Departamento de Educação, graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual da Bahia - UNEB, CAMPUS VIII.

Referências

ANDRADE, Claudia Castro de. A fenomenologia da percepção a partir da autopoiesis de Humberto Maturana e Francisco Varela. Griot – Revista de Filosofia, Amargosa, BA, v. 6, n. 2, 2012.

BERTOLLETI, Eduardo. A presunção ambiental e a ecotoxicologia aquática. Revista das Águas, 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal, n. 12, nov. 2012.

BRASIL. Ministério da Pesca e Aquicultura. Plano de Desenvolvimento da Aquicultura Brasileira – 2015/2020. Brasília, 2015.

CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 1996.

CASTAGNOLLI, N. Criação de peixes de água doce. Jaboticabal, SP: FUNEP, 1992. 189p.

COMPANHIA HIDROELÉTRICA DO SÃO FRANCISCO (CHESF). 1º Relatório quadrimestral 2013/2014 – Relatório 1A. Programa de Monitoramento dos Ecossistemas Aquáticos do Reservatório de Itaparica. Recife, 2014. 284 p.

______. 2º Relatório anual dezembro/2008 a novembro/2009. Inventário dos Ecossistemas Aquáticos do Baixo São Francisco. Reservatório Itaparica. Recife, 2010. 331 p.

DRUNN, Kamila Camargo; GARCIA, Hugney Matos; UNIC, Floriano Peixoto. Desenvolvimento sustentável e gestão ambiental nas organizações. Revista Científica Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas da EDUVALE, Jaciara, MT, ano IV, n. 06, 2011.

FRANCELINO, Márcio R.; FERNANDES-FILHO, Elpídio I.; RESENDE, Mauro. Elaboração de um sistema de classificação da capacidade de suporte em ambiente semi-árido. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, PB, v. 9, n. 1, p. 83-91, 2005.

GOMES, Patrícia Pereira Vasques; BERNARDO, André; BRITO, Gilson. Princípios de sustentabilidade: uma abordagem histórica. ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 25., 29 out. - 1º nov. 2005. Anais... Porto Alegre, RS. Disponível em: <http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2005_Enegep1005_0803.pdf>.

MATIAS, João Felipe Nogueira. Aquicultura e os desafios de produzir com sustentabilidade. CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA – ZOOTEC, 25. Fortaleza, CE. Anais... Fortaleza: Associação Brasileira de Zootecnistas, 2015.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Importância da avaliação qualitativa combinada com outras modalidades de avaliação. Saúde & Transformação Social, Florianópolis, SC, v. 1, n. 3, p. 02-11, 2011.

PEREIRA, Lilian Paulo Faria; MERCANTE, Cacilda Thais Janson. A amônia nos sistemas de criação de peixes e seus efeitos sobre a qualidade da água. Uma revisão. Boletim do Instituto de Pesca, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 81-88, 2005.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo, RS: Feevale, 2013.

SANTOS, I. E. Manual de métodos e técnicas de pesquisa cientifica. 9. ed. rev., atual. e ampl. Niterói, RJ: Impetus, 2013.

SERVA, Maurício; DIAS, Taisa; ALPERSTEDT, Graziela Dias. Paradigma da complexidade e teoria das organizações: uma reflexão epistemológica. RAE – Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 50, n. 3, p. 276-287, 2010.

SICHE, Raul; AGOSTINHO, Feni; ORTEGA, Enrique; ROMEIRO, Ademar. Índices versus indicadores: precisões conceituais na discussão da sustentabilidade de países. Revista Ambiente & Sociedade, Campinas, SP, v. X, n. 2, p. 137-148, 2007.

SOBRAL, Maria do Carmo Martins; CARVALHO, Renata Maria Caminha Mendes de Oliveira; SILVA, Marlene Maria da; MELO, Gustavo Lira de. Uso e ocupação do solo no entorno de reservatórios no semi-árido brasileiro como fator determinante da qualidade da água. CONGRESO INTERAMERICANO DE INGENIERÍA SANITARIA Y AMBIENTAL, ASOCIACIÓN INTERAMERICANA DE INGENIERÍA SANITARIA Y AMBIENTAL – AIDIS. Anais... Punta del Este, Uruguay, 2009.

VEIGA, José Eli da. Indicadores de sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 24, n. 68, p. 39-52, 2010.

Publicado
2016-12-18