Vigor de progênies de cumbaru (Dipteryx alata Vog.): alternativa de sustentabilidade para o assentamento Andalúcia, Nioaque, MS

  • Reginaldo Brito da Costa
  • Eduardo José de Arruda
  • Lincon Carlos de Oliveira
  • Gessiel Newton Scheidt
  • Andréa Haruko Arakaki
  • Raul Alffonso Rodrigues Roa
Palavras-chave: Cumbaru, alternativa de sustentabilidade, Assentamento Andalucia.

Resumo

O cumbaru (Dypterix alata Vog.) é uma espécie muito utilizada pelos animais e pelo homem, devido aosseus diversos usos. Muitas populações arbóreas presentes no cerrado foram suprimidas com a ocupação da regiãoCentro-Oeste. Neste artigo, avaliou-se o desenvolvimento inicial de mudas (progênies) do cumbaru para oestabelecimento de pomares de sementes com vistas no aumento da produção de frutos. O manejo da espécie deveconciliar, ações de conservação ambiental e de produtividade, além de proporcionar a participação da populaçãolocal na aplicação das políticas de desenvolvimento rural. Estes condicionantes contribuirão para a sustentabilidadeem várias dimensões, quais sejam: natural, social, econômica, cultural e política

Referências

ALMEIDA, S.P. et al. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina: EMBRAPA-CPAC, 1998.

ARAUJO, A.M.R. Conservação da biodiversidade em Minas Gerais: em busca de uma estratégia para o século XXI. Coleção Minas XXI. Centro de Estudos do Meio Ambiente (CEMA), Belo Horizonte, 2000.

BRUNE, A. Implantação de populações base de espécies florestais. Curitiba: EMBRAPA-URPFCS, 1981. (Documento 1).

CEMIG. Guia Ilustrado de Plantas do Cerrado de Minas Gerais. Minas Gerais: Nobel, 2001.

COSTA, R.B.; RESENDE, M.D.V.; ARAÚJO, A.J.; GONÇALVES, P.S.; SILVA, M.A. Maximization of genetic gain in rubber tree (Hevea) breeding with effective size restriction. Genetic and molecular biology, v. 23, n. 2, p. 457-462, 2000.

FERREIRA, M.; ARAÚJO, A.J. Procedimentos e recomendações para testes de procedências. Curitiba: EMBRAPA/IBDF/PNPF, 1981.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estado de Mato Grosso do Sul: Atlas Multirreferencial. Governo do Estado do Mato Grosso do Sul. Brasília: IBGE, 1991.

LE BOURLEGAT, C.A. A fragmentação da vegetação natural e o paradigma do desenvolvimento rural. In: COSTA, R.B. (Org.). Fragmentação florestal e alternativas de desenvolvimento rural na região Centro-Oeste. Campo Grande: UCDB, 2003.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2. ed. Nova Odessa: Plantarum, 1998. v. 01, p. 352.

POTT, A.; POTT, V.J. Espécies de fragmentos florestais em Mato Grosso do Sul. In: COSTA, R.B. (Org.). Fragmentação florestal e alternativas de desenvolvimento rural na região Cento-Oeste. Campo Grande: UCDB, 2003.

RESENDE, M.D.V.; HIGA, A.R. Estimação de valores genéticos no melhoramento de Eucalyptus: seleção em um caráter com base em informações do indivíduo e de seus parentes. Bol. Pesq. Fl., Colombo, n. 28-29, p. 3-10, jan./dez. 1994.

RESENDE, M.D.V.; OLIVEIRA,E.B.; MELINSKI, L.C.; GOULART JUNIOR, F.S.; OAIDA, G.R.P. Seleção genética computadorizada – Selegen “Best prediction”: manual do usuário. Colombo: Embrapa-CNPF, 1994.

SHIMIZU, J.Y.; KAGEYAMA, P.Y.; HIGA, A.R. Procedimentos e recomendações para estudos de progênies de essências florestais. Curitiba: EMBRAPA/ URPFCS, 1982.

VENCOVSKY, R. Herança quantitativa. In: PATERNIANI, E.; VIEGAS, G.P. Melhoramento e produção de milho. 2. ed. Campinas: Fundação Cargil, 1987. v.1, p. 122-201

Publicado
2016-02-26
Seção
Artigos