O resgate da identidade cultural: Meio para uma sustentabilidade local

  • Fernanda Beraldo Maciel Leme
  • Salvador D. P. Trevizan
Palavras-chave: Identidade, grupos étnicos, sustentabilidade.

Resumo

Analisa-se a importância do resgate da identidade cultural para o desenvolvimento social, econômico ecultural de grupos étnicos. Utiliza-se da técnica do estudo de caso, focalizando grupos indígenas. As observaçõesempíricas não permitem refutar a hipótese inicial. Argumenta-se que essa possibilidade se concretiza porque, atravésdo resgate da identidade, o grupo minoritário e excluído expressa os desejos e anseios específicos de uma comunidadelocal. Essa mesma abordagem poderia ser aplicada para o estudo de outros grupos sociais minoritários e excluídos.

Referências

BHABHA, H. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

CUCHE, Denys. A noção de cultura nas ciências sociais. Bauru: EDUSC, 2002.

DELEUZE, Gilles; GUATARRI, Félix. Mil platôs – capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: 34 editora, 1997. Vol 2.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de janeiro: Guanabara Koogan, 1989.

GERLIC, Sebastian. Índio na visão dos índios. Salvador: Thidêwá, 2002.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP & A, 2004.

HANNEZ, Ulf. Cosmopolitas e locais na cultura global. In: Cultura global – nacionalismo, globalização e modernidade. Petrópolis: Vozes, 1999.

HERNANDEZ, Isabel. Educação e sociedade indígena – uma aplicação do método Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 1981.

MARQUES, José Geraldo W. Dinâmica Cultural e planejamento ambiental: sustentar não é congelar. In: Jenner Filho; Nádia F. M. Amorim e Vinícius Nobre Lages (Org.). Cultura e desenvolvimento – a sustentabilidade cultural em questão. Maceió: UFPE, 1999.

MARKUSEN, A R. Região e regionalismo: um enfoque marxista. In: Espaço e debates, p.83, 1981.

OLIVEN, Ruben G. A parte e o todo: a diversidade cultural no Brasil-Nação. Petrópolis: Vozes, 1992.

POUTIGNAT, Philippe & STREIFF-FERNART, Jocelyne. Teorias da etnicidade – seguido de grupos étnicos e suas fronteiras de Fredrik Barth. São Paulo: UNESP, 1998.

REX, Jonh. Raça e etnia. Lisboa: Estampa, 1997. SACHS, Ignacy. Ecodesenvolvimento. Crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986.

SALES, Noêmia P. Pressão e resistência – os índios tembé-tenetehara do Alto Rio Guamá e a relação com o território. Belém: UNAMA, 2000.

SIQUEIRA, Euler. O homem total na sociologia de Manuel Mauss. Revista Humanas, Londrina, v. 2, n. 1, 2000.

VIERTLER, Renate B. A idéia de “sustentabilidade cultural”: algumas considerações críticas a partir da antropologia. In: Jenner Filho; Nádia F. M. Amorim e Vinícius Nobre Lages (Org.). Cultura e desenvolvimento – a sustentabilidade cultural em questão. Maceió: UFPE, 1999.

Publicado
2016-02-22
Seção
Artigos