Ecologia política da construção da crise ambiental global e do modelo do desenvolvimento sustentável

  • Lemuel Dourado Guerra
  • Deolinda de Sousa Ramalho
  • Jairo Bezerra Silva
  • Cláudio Ruy Portela de Vasconcelos
Palavras-chave: Ecologia, crise ambiental global, desenvolvimento sustentável.

Resumo

Neste trabalho discutimos o debate sobre a crise ambiental e o modelo do desenvolvimento sustentável comocampo de lutas no qual se articulam interesses políticos e econômicos. Defendemos a idéia de que as direções tomadaspela discussão sobre as questões ambientais em nível mundial apontam para o apagamento das variáveis clássicas dainterpretação sociológica dos fenômenos sociais, tais como as de ideologia, dominação e conflito, apresentando umaproposta de redirecionamento da discussão mencionada, a ser feita em termos da teoria da ecologia política. No finalindicamos algumas sugestões específicas para a pesquisa sobre a denominada crise hídrica mundial.

Referências

BANDYOPADHYAY, J. & SHIVA, V. Political Economy of Ecologic Movements. In: Dossier IFDA, n. 71, maio/ junho de 1989.

BANERJEE, S. B. Who Sustains Whose Development? Sustainable Developmente and the Reivention of Nature. Cópia digitada, 2001.

BANERJEE, S. B. Globalisation, Sustainable Development and ecology: a critical examination. In: C.P. RAO (ed.). Globalization, privatization and the market economy. Connecticut: Quorum Books, 1998.

BEDER, S. Revoltin developments: the politics of sustainable Development. In: Arena Magazine. [s.l.], June-July, 37-39, 1994.

COMISSION MUNDIAL DEL MEDIO AMBIENTE Y DEL DESAROLLO. Nuestro Futuro Común. Madrid: Espanha, 1987.

FERNANDES, M. Implicações teóricas e práticas do Desenvolvimento Sustentável: um estudo do projeto piloto para a proteção das florestas tropicais - PPG7. Tese de Doutorado - PPGS/UFPE, 2001.

GIDDENS, A. As conseqüências da modernidade. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1991.

GIDDENS, A. A vida em uma sociedade pós-tradicional. In: GIDDENS, A. et al. Modernização Reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1998. p. 73-133.

GLADWIN, T. N.; KENNELY, J. J. & KRAUSE, T. Shifting paradigm for sustainable development: implications for management theory and research. In: Academy of Management Review, 20/4, 1995. p. 874-907.

HART, S. L. Beyond greening: strategies for a sustainable world. In: Harvard Business Review, p. 7-76, January/February, 1997.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos.Tradução de Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994.

LYOTARD, J.-F. A Condição pós-moderna. Tradução de Ricardo Corrêa Barbosa. 3.ed. Rio de Janeiro, José Olympio Editora, 1988.

MIES, M. & SHIVA, V. Ecofeminism. Melbourne: Spinifex Press, 1993.

PEARCE, D., MARKANDIA, A. & BARBIER, E.B. Blueprint for a green economy. London: Earthscan, 1989.

REDCLIFT, M. Sustainable Development: Exploring the Contradictions. Londres: Methuen, 1987.

RENNER, M. Fighting for survival: environmental decline, social conflict and the new age of insecurity. London; Earthscan Publications, 1997.

RIST, G. The History of Development: from Western Origins to Global Faith. New York: Zed Books, 1997.

SACHS, W. (Ed.) Dicionário do Desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 2000.

SHIVA, V. Biodiversity: Social and Ecological Perspectives. London: Zed Books,1991.

VISVANATHAN, S. Mrs Brundtland’s disenchanted cosmos. Alternatives, 16/3, p. 377-384, 1991

Publicado
2016-02-19
Seção
Artigos