Terra Indígena Nioaque: processo de formação sociopolítica, divisão da aldeia Água Branca e os momentos históricos vividos por este povo ao longo dos anos

  • Claudionor do Carmo Miranda
Palavras-chave: terra indígena, organização social, aldeia, fortalecimento cultural.

Resumo

Estado de Mato Grosso do Sul abriga a segunda maior população indígena do país. Os Terena emparticular tratado neste artigo vivem em oito municípios do Estado de Mato Grosso do Sul e sua população soma,aproximadamente, 18.000 índios no Estado, vivendo em pequenas áreas cercadas por fazendas, chamadas de“Reservas Indígenas”. Este artigo pretende relatar um pouco a realidade sócio-organizacional dos índios Terena daTerra Indígena Nioaque-MS e algumas considerações da realidade atual sob o ponto de vista do Terena. A TerraIndígena Nioaque inicialmente foi formada por dois pequenos núcleos: a aldeia Brejão fundada em 1.904 pela famíliado “Capitão Vitorino” e a aldeia Água Branca, sendo posteriormente divida em três, em função de três aspectosapontados pelo autor: dominação do território por grupos familiares agnáticos, busca de poder e facilidade deorganizar/administrar a aldeia. O autor relata três momentos históricos importantes vividos pelos povos Terena noEstado, mas chama atenção para o quarto momento que os Terena vivem atualmente, que é a busca por conhecimentosexternos através da educação, como forma de sobrevivência e fortalecimento cultural de seu povo.

Referências

AZANHA, G. Diagnóstico expedito das Terras Indígenas e aldeias Terena em situação de urbana: ações sócioambientais em áreas indígenas na BAP-MS/Programa Pantanal. 2002.

FERNANDES JÚNIOR, José Resina. Da aldeia do campo para a aldeia da cidade: Implicações sócio–econômicas e educacionais no êxodo do índio Terena para o perímetro urbano de Campo Grande-MS. Campo Grande: Editora UCDB, 1997.

FUNAI. Índios desaldeados. In: Revista Veja, Brasília, DF, 10 jul., p. 67, 1996.

MANGOLIM, O. Povos Indígenas no Mato Grosso do Sul: viveremos por mais 500 anos. Conselho Indigenista Missionário Regional de MS-Campo Grande/MS. 1993.

OLIVEIRA, R. C. Do índio ao bugre: o processo de assimilação dos Terena; prefácio de Darcy Ribeiro. Rio de Janeiro. 1976. 152p.

RELATÓRIO ANUAL DA INSPETORIA DE MATO GROSSO: arquivos do SPI. 1919

RESENDE, R.; TOMIOKA, M.; AZANHA, G. Programa para o monitoramento ambiental e fomento de atividades nãopredatório em terras indígenas do Brasil. Documento-base para discussão no seminário de 22 a 25 de março de 1999. Áreas Terena de Miranda-Terra Indígena Cachoeirinha. Miranda, MS: CTI-Centro de Trabalho Indigenista, 1999.

Publicado
2016-02-18
Seção
Artigos