Pueblos ribereños de la Amazonía: haberes y habilidades

  • Susy Rodrigues Simonetti
  • Marly dos Santos Lima
  • Maria P. Socorro Rodrigues Chaves
Palavras-chave: Medio Ambiente. Pueblos Tradicionales. Organización Social.

Resumo

Este artículo sobre los pueblos ribereños tradicionales y sus relaciones con la naturaleza es resultado deuno estudio realizado en las comunidades del Río Parauari, en el municipio de Maués, Provincia del Amazonas-Brasil. Aunque retrata la lucha de estos pueblos por la sobrevivencia sociocultural a partir de los haberes, técnicas yhabilidades propias que se desenvuelven en contexto amazónico, con base en sus conocimientos que son pasadas portodos las generaciones.

Referências

CARVALHO, Edgard de Assis (Org). Godelier antropologia. São Paulo: Ática, 1981.

CASTRO, Edna E.; PINTON, Florence. Território biodiversidade e saberes de populações tradicionais. In: Faces do trópico úmido: conceitos e novas questões sobre desenvolvimento e meio ambiente. Belém: Cejup-UFPA-NAEA, 1997.

CHAVES, Maria do P. Socorro Rodrigues. Uma experiência de pesquisa-ação para gestão comunitária de tecnologias apropriadas na Amazônia: o estudo de caso do assentamento de reforma agrária Iporá. 2001. Tese (Doutorado em Política Científica e Tecnológica) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas – SP. DIEGUES, Antônio Carlos. O mito moderno da natureza intocada. 3.ed. São Paulo: Hucitec, 2001.

______ (Org). Etnoconservação: novos rumos para a proteção da natureza nos trópicos. São Paulo: Hucitec/ NUPAUB-USP, 2000.

FREITAS, Marcílio de.; SILVA, Marilene Corrêa da. Estudos da Amazônia contemporânea: dimensões da globalização. Manaus: Editora da Universidade do Amazonas, 2000.

FURTADO, Lourdes Gonçalves. Comunidades tradicionais: sobrevivência e preservação ambiental. In: D’INCAO, Maria A.; SILVEIRA, I.M. da. (Orgs). A Amazônia e a crise da modernização. Belém, PA: M.P. Emílio Goeldi, 1993.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara, 1989.

HEES, Dora Rodrigues. As Reservas Extrativistas: por uma nova relação homem-natureza. In: MESQUITA, Olindina Viana; SILVA, SolangeTietzmann (Coord). Geografia e questão ambiental. Rio de Janeiro: IBGE, Departamento de Geografia, 1993.

LAGO, Antônio; PÁDUA, José Augusto. O que é ecologia? São Paulo: Brasiliense, 1984.

LEFF, Enrique. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

MORÁN, Emilio F. A ecologia humana das populações da Amazônia. Petrópolis, RJ: Vozes, 1990.

OLIVEIRA, Ana Maria Soarez de. Relação homemnaturez a no modo de produção capitalista. Scripta Nova. Revista Electronica de Geografia y Ciencias Sociales. Universidad de Barcelona. v. VI, n. 119 (18), 2002. Disponível em <http://www.ub.es/geocrit/sn/sn119- 18.htm>. Acesso em: 02 jul 2003.

ROUÉ, Marie. Novas perspectivas em etnoecologia: “saberes tradicionais” e gestão dos recursos naturais. In: CASTRO, Edna E.; PINTON, Florence. Faces do trópico úmido: conceitos e novas questões sobre desenvolvimento e meio ambiente. Belém: Cejup-UFPANAEA, 1997.

SANTOS, José Luiz dos. O que é cultura. Brasiliense: São Paulo, 1994.

Publicado
2016-02-17