Levantamento do potencial de comercialização de produtos orgânicos para o estado de Mato Grosso do Sul

  • Cristiane Maria Vendramini Momesso
  • Antonia Railda Roel
  • Simone Palma Favaro
Palavras-chave: Desenvolvimento local. Agroecologia. Sustentabilidade. Segurança alimentar

Resumo

Na avaliação sobre o potencial de mercado consumidor de produtos orgânicos em Campo Grande, MS,conclui-se que a maioria das mulheres entrevistadas afirmou conhecer o produto orgânico, porém, apenasaproximadamente a metade realmente sabe seu significado. Cerca de 52% delas pagaria mais caro por esse produtoe estariam dispostas a procurar local próprio de comercialização (63,23%). Após esclarecimentos sobre os benefíciosdo produto orgânico, quase a totalidade (99,35%) optaria por estes produtos.

Referências

ALTIERI, M.A.; MAZERA, O. Desenvolvimento rural sustentável na América Latina: construindo de baixo para cima. In: ALMEIDA, J.; NAVARRO, J. (Org.). Reconstruindo a agricultura: idéias e ideais na perspectiva do desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: Editora da Universidade, 1998.

ÁVILA, V.F. de. Formação educacional em desenvolvimento local: relato de estudo em grupo e análise de conceitos. Campo Grande: UCDB, 2000.

CROSS, P.; EDWARDS-JONES, G. (in press). Variation in pesticide hazard from arable crop production in Great Britain from 1992 to 2002: pesticide risk indices and policy analysis, Crop Protection, v. 25, Issue, 10, October, 2006, p. 1101-1108. DAROLT, M.R. A agricultura orgânica na América Latina. 2002. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2004.

DATACENSO. Mercado de produtos orgânicos: consumidor. Curitiba: SEBRAE, 2002. 89p. FAQUIN, V.; ANDRADE, A.T. Nutrição mineral e diagnose do estado nutricional de hortaliças. Lavras: UFLA/FAEPE, 2004. 88 p.

GLIESSMAN, S.R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Stphen R. Gliessman. 2.ed. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 2001.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Unidade de MS. Setor de Divulgação. População dos bairros de Campo Grande. Censo Demográfico, 2000.

KOHLRAUSCH, A.K.; CAMPOS, L.M.S.; SELIG, P.M. O comportamento do consumidor de produtos orgânicos em Florianópolis: uma abordagem estratégica. Curitiba: Enampad, GAG250, 2004.

REA, L.; PARKER, R. Metodologia da pesquisa: do planejamento à execução. São Paulo: Pioneira, 1999. p. 129.

RECENA, M.C.P. et al. Acute poisoning with pesticides in the state of Mato Grosso do Sul, Brazil. Science of The Total Environment, v. 357, Issues 1-3, p. 88-95, 15 March 2006.

RUCINSKI, J.; BRANDENBURG, A. Organizações verdes: a relação produtor-consumidor de alimentos orgânicos. Relatório de projeto de pesquisa. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 1999.

SYLVANDER, B. Lê marche dês produits biologiques et al demande. Lê Mans: INRA-UREQUA, 1998. 27 p. XUE-FENG W. et al. Inhibitory effects of pesticides on proteasome activity: Implication in Parkinson’s disease. Neurobiology of Disease, v. 23, Issue 1, July 2006, p.198-205.

WORTHINGTON, M.S., Sc.D., C.N.S. Nutricional Quality of Organic Versus Conventional Fruits, Vegetables, and Grains. In: The Journal of alternative and complementary medicine, v. 7, n. 2, 2001, p. 167-173. Marry Ann Liebert, Inc.

YUSSEF, M. Development and State of organic agriculture worldwide. In: The world of organic agriculture - statistic and emerging trends. IFOAM, 2004.

Publicado
2016-02-17