Proposta de classificação de Arranjos Produtivos Locais por indicadores de identificação: um estudo multivariado

  • Geraldo Alemandro Leite Filho
  • Luiz Marcelo Antonialli
Palavras-chave: APLs. Análise multivariada. Indicadores de identificação.

Resumo

O objetivo principal deste trabalho foi classifi car os arranjos produtivos locais – APLs com base em indicadoresde identifi cação em três níveis, a saber: 1) APLs iniciantes, 2) APLs em Desenvolvimento e 3) APLs consolidadosou desenvolvidos. Concluiu-se que os APLs iniciais e em desenvolvimento teriam uma participação signifi cativano desenvolvimento local e que a tipifi cação proposta se mostrou mais efi caz do que a identifi cação tradicional.

Referências

ALBUQUERQUE, E. et al. distribuição espacial da produção científi ca e tecnológica brasileira: uma descrição de estatísticas de produção local de patentes e artigos científi cos. Revista Brasileira de Inovação, v. 1, n. 2, jul./dez. 2002.

AUDRESCHT, D.; FELDMAN, M. R&D spillovers and the geography of innovation and production. The American Economic Review, v. 86, n. 3, jun. 1996.

BECATTINI, G. Italian Industrial Districts: Problems and Perspectives. International Studies of Management and Organization, v. 21, n. 1, 1991, p. 83-90.

BRITTO, J.; ALBUQUERQUE, E. M. Estrutura e dinamismo de clusters industriais na economia brasileira: uma análise exploratória a partir dos dados da RAIS. In: TIRONI, L. F. Industrialização descentralizada: sistemas industriais locais. Brasília: IPEA, 2001. (Cap. 1).

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M.; MACIEL, M. L. (Eds.). Systems of Innovation and Development. Cheltenham: Edward Elgar, 2003.

CROCCO, M. A. et al. Indicadores para identifi cação de arranjos produtivos locais. Disponível em: . Acesso em: 7/1/2007.

CROCCO, M.; SANTOS, F.; SIMÕES, R.; HORÁCIO, F. O arranjo produtivo calçadista de Nova Serrana. In: TIRONI, L. F. (Coord.). Industrialização descentralizada: sistemas industriais locais. Brasília: IPEA, 2001. (Cap. 7).

DINIZ, C.; CROCCO, M. Reestruturação econômica e impacto regional: o novo mapa da indústria brasileira. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 6, n. 1, jul. 1996.

HADDAD, P. R. Medidas de localização e de especialização In: HADDAD, P. R. et al. (Org.). Economia regional: teorias e métodos de análise. Fortaleza: BNBETENE, 1989.

HAIR JR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Disponível em: . Acesso em: 30/5/2009.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA – IPEA – Boletim, março/2007.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA – IPEA. Mapa dos Arranjos Produtivos de Minas Gerais – 2007. Disponível em: . Acesso em: 24 mar. 2009.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4.ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MAROCO, J. Análise estatística utilizando SPSS. 3.ed. Lisboa: Silabo, 2005.

KRUGMAN, P. Geography and trade. Cambridge: MIT Press, 1991.

LASTRES, H. M. M. et al . Design para a competitividade: recomendações para a política... Rio de Janeiro: E-Papers, 2006. 288 p.

LEMOS, I. S.; FREGA, J. R.; SOUZA, A. Um framework para a avaliação da estratégia do arranjo produtivo local para o turismo: o caso de Treze Tílias. Turismo - Visão e Ação, v. 9, n.1, p. 37-53, jan. /abr. 2007.

PEREIRA, J. C. R. Análise de dados qualitativos: estratégias metodológicas para as ciências da saúde, humanas e sociais. São Paulo: EDUSP, 2001.

PIEKARSKI, A.; TORKOMIAN, A. Identifi cação de clusters industriais: uma análise de métodos quantitativos. GEPROS - Gestão da Produção, Operações e Sistemas, América do Norte, v. 1, nov. 2005.

PREARO, L. C. O uso de técnicas estatísticas multivariadas em dissertações e teses sobre o comportamento do consumidor: um estudo exploratório. 116 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Economia e Administração. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008.

RABELLOTTI, R. Is There an ‘Industrial District Model? Footwear Districts in Italy and Mexico Compared, World Development, v. 23, n. 1, Janeiro 1995, p. 29- 42.

RODRIGUES, C.; SIMÕES, R. Aglomerados industriais e desenvolvimento socioeconômico: uma análise multivariada para Minas Gerais. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 25, n. 1, p. 203-232, abr. 2004. Disponível em: <http://revistas.fee.tche.br/index.php/ensaios/ article/view/2057/2439>.

SABOIA, J. Desconcentração industrial no Brasil na década de noventa: um processo dinâmico e diferenciado regionalmente. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 11, n. 2, dez. 2001.

SACHS, I. Social Sustainability and whole development: exploring the dimensions of sustainable development. In: BECKER, Egon; JAHN, Thomas (Ed.). Sustainability and the social sciences: a cross-disciplinary approach to interating environmental considerations into theorical reorientation. London; New York: Zed Books; Paris: UNESCO, 1999. p. 25-36.

SCHMITZ, H. Collective Effi ciency: Growth path for small-scale industry. The Journal of Development Studies. v. 31, n. 4, p. 529-566, 1995.

SUZIGAN, W. Identifi cação, mapeamento e caracterização estrutural de arranjos produtivos locais no Brasil. Relatório Consolidado. Rio de Janeiro: IPEA, 2006.

SUZGAN et al. Coeficientes de Gini Locacionais GL: aplicação à industria de calçados do estado de São Paulo. Nova Economia. v. 13, n. 2, p. 39-60, julhodezembro/ 2003.

REDESIST. Arranjos produtivos e inovativos locais. Rio de Janeiro: REDESIST, 2005. Disponível em:. Acesso em: 26 de junho de 2009. <http://www.pnud.org.br/atlas/>. Acesso em: 30/6/2009.

Publicado
2016-02-15