Empreendimentos induzidos por políticas públicas: refl exões a partir do Programa de Combate à Pobreza Rural (PCPR) em Minas Gerais

  • Alair Ferreira de Freitas
  • Alan Ferreira de Freitas
Palavras-chave: Associações. Desenvolvimento. Políticas públicas.

Resumo

O objetivo deste trabalho é refl etir sobre a sustentabilidade de empreendimentos induzidos por políticase programas públicos, tomando como referência empírica o Programa de Combate a Pobreza Rural do governo deMinas Gerais (PCPR). As análises demonstram que muitos dos empreendimentos encontram-se sem a mobilização eintegração social necessárias a sua sustentabilidade. Conclui-se que o PCPR necessita de qualifi car sistematicamenteos processos de intervenção e planejamento das demandas dos agricultores familiares com vistas a promover aapropriação do projeto a ser implantado e evitar a mera formalidade dos empreendimentos.

Referências

ABRAMOVAY, R. Conselhos além dos limites. Estudos Avançados, São Paulo, v. 15, n. 43, p. 121-140, 2001.

ALENCAR, E. Intervenção tutorial ou participativa: dois enfoques da extensão rural. Cad. Adm. Rural, Lavras, 2(1): 23-43, jan./jun. 1990.

ALVES, Maria Odete. Alguns fatores que interferem no processo de capacitação em associações de agricultores familiares assentados da reforma agrária. Banco do Nordeste do Brasil, Escritório Técnico de Estudos Econômicos do nordeste – ETENE, 2002. 10p.

APPENDINI, K.; NUIJTEN, M. El papel de las instituciones los contextos locales. Revista de la Cepal, Santiago del Chile, n. 76, p. 71-88, abr. 2002.

COELHO, F. M. G. A arte das orientações técnicas no campo. Viçosa: UFV, 2005.

DELGADO, G.; CONCEIÇÃO, J. C.; OLIVEIRA, J. J. Avaliação do programa de aquisição de alimentos da agricultura familiar (PAA). IPEA, Texto para discussão n. 1145, Brasília, dez. 2005.

DIAS, M. M. Conhecendo os conselhos estaduais de desenvolvimento rural: uma análise a partir de um processo de capacitação. In: AMODEO, N. B. P.; ALIMONDA, H. (Orgs.). Ruralidades, capacitação e desenvolvimento Viçosa: Editora da UFV, 2006. p. 123-149.

EVANS, P. Para além da “monocultura institucional”: instituições, capacidades e o desenvolvimento deliberativo. Sociologias, Porto Alegre, v. 5, n. 9, p. 20-62, jan./ jun. 2003. Paz e Terra, 1983.

GOHN, M. G. Conselhos gestores e participação sociopolítica. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2003. 120p. (Col. Questões da Nossa Época, 84).

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.

MÜLLER, A. L. A construção das políticas públicas para a agricultura familiar no Brasil: o caso do programa de aquisição de alimentos. 2007. 132f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Rural) – Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

NAVARRO, Zander. Desenvolvimento rural no Brasil: os limites do passado e os caminhos do futuro. Estudos Avançados, São Paulo, v. 15. p. 83-100, 2001.

PCPR/MG. Disponível em: <http://200.150.16.30/ pcpr/pagina_noticia_consultar_cad.asp? CodNoticia=1 2008>. Acesso em: 24 mar. 2009

SCHNEIDER, Sérgio; SILVA, M. K.; MARQUES, P. E. M. (Orgs.). Políticas públicas e participação social no Brasil rural. Porto Alegre: UFRGS, 2009. (Séries estudos rurais, 256p).

SEN, Amartya. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SOUSA SANTOS, Boaventura (Org.). Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

Publicado
2016-02-12