Estudos organizacionais e desenvolvimento sustentável: em busca de uma coerência teórica e conceitual

  • Luciano Munck
  • Rafael Borim de Souza
  • André Luis Silva
Palavras-chave: Desenvolvimento sustentável. Estudos organizacionais. Teoria do agir organizacional.

Resumo

Por este artigo, intentou-se alcançar dois objetivos: (1) investigar e propor uma conceituação para o termodesenvolvimento sustentável que melhor dialogue com a área de estudos organizacionais; e, (2) apresentar umacontribuição teórica viabilizadora da aproximação relacional entre o desenvolvimento sustentável e os estudos organizacionais.Foram investigadas posturas epistemológicas e categorizações para o desenvolvimento sustentável,as quais foram unidas as contribuições da teoria do agir organizacional de Maggi (2006).

Referências

CHEN, H. C.; NAQUIN, S. S. An integrative model of competency development, training design, assessment center, and multi-rater assessment. Advances in Developing Human Resources, v. 8, n. 2, p. 265-282, 2006.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. Introdução: a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: ______. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 15-42.

FERGUS, A. H. T.; ROWNEY, J. I. A. Sustainable development: lost meaning and opportunity? Journal of Business Ethics, v. 60, p. 17-27, 2005.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GLADWIN, T. N.; KENELLY, J. J.; KRAUSE, T. S. Shifting paradigms for sustainable development: implications for management theory and research. Academy of Management, v. 20, n. 4, p. 874-907, 1995.

LÉLÉ, S. M. Sustainable development: a critical review. World Development, v. 19, n. 6, p. 607-621, 1991.

MAGGI, B. Do agir organizacional: um ponto de vista sobre o trabalho, o bem-estar, a aprendizagem. São Paulo: Edgard Blücher, 2006.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científi ca para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

MEBRATU, D. Sustainability and sustainable development: historical and conceptual review. Environment Impact Assessment Review, v. 18, p. 493-520, 1998.

MORGAN, G. Paradigms, metaphors, and puzzle solving in organization theory. Administrative Science Quarterly, v. 25, p. 605-622, 1980.

RALSTON SAUL, J. On equilibrium. Toronto: ON, 2001.

RAMOS, A. G. Administração e contexto brasileiro: esboço de uma teoria geral da administração. 2. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1983.

REDCLIFT, M.; BENTON, T. Social theory and the global environment. London: Routledge, 1994.

SCHWANDT. T. A. Três posturas epistemológicas para a investigação qualitativa. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006, p. 193-217. STEAD, J. H.; STEAD, E. Eco-enterprise strategy: standing for sustainability. Journal of Business Ethics, v. 24, n. 4, p. 313-329, 2000.

TRYZNA, T. C. A sustainable world. Sacramento: IUCN, 1995.

WORLD COMISSION ON ENVIRONMENT AND DEVELOPMENT (WCED). Our common future (the Brundtland report). Oxford: Oxford University Press, 1987.

Publicado
2016-02-05