A necessidade das intervenções: Extensão Rural como serviço ou como direito?

  • Davi Augusto Santana de Lelis
  • France Maria Gontijo Coelho
Palavras-chave: Extensão Rural. Serviço. Direitos Fundamentais.

Resumo

No Brasil a Extensão Rural adquiriu o signifi cado de ação para promoção de mudanças no mundo rural.O sentido do desenvolvimento pretendido pelas políticas públicas que orientam as práticas extensionistas vemsofrendo, recentemente, alterações em sua justifi cação. A partir da análise das dimensões epistemológica, históricae político-jurídica, propõe-se, neste artigo, uma Extensão Rural como um veículo de direitos fundamentais.

Biografia do Autor

France Maria Gontijo Coelho

Referências

ALEXY, Robert. Teoria de los derechos fundamentales. Madrid: Centro de Estudos Constitucionales, 1993.

BACON, Francis. Nova Atlântida. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (Coleção os Pensadores).

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 05 de outubro de 1988. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2011.

BONETI, Lindomar Wessler. Políticas públicas por dentro. 2. ed. Ijuí: Ed. Ijuí, 2007.

BOURDIEU, Pierre. Espaço social e gênese das classes. A gênese dos conceitos de habitus e de campo. In: ______. Poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989. p. 59-73. ______. Economia das trocas linguísticas. São Paulo: Edusp, 1996.

BUSCH, Lawrence; SACHS, Carolyn. The agricultural sciences and the modern world system. In: BUSCH, L. (Ed.). Science and agricultural development. New Jersey: Allanheld, Osmum, 1981.

CHAUÍ, Marilena. A universidade em ruínas. In: TRINDADE, Hélio (Org.). Universidade em ruínas: na república dos professores. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes/Rio Grande do Sul: CIPEDES, 1999. COELHO, France Maria Gontijo. A arte das orientações técnicas em campo. Viçosa: UFV, 2005.

DALLARI, Pedro. Desenvolvimento sustentável em favor da Justiça Social no Brasil. In: PÁDUA, José Augusto (Org). Desenvolvimento, justiça e meio ambiente. Belo Horizonte: UFMG, 2009.

DENT, J. B.; MEGREGOR, M. J. Rural and farming systems analysis european perspectives. Willingford: Cab. International, 1994.

DESCARTES, René. Discurso do Método. Disponível em: <http://br.egroups.com/group/acropolis/>. Acesso em: 17 abr. 2010.

FAVARETO, Arilson. Paradigmas do Desenvolvimento Rural em Questão. São Paulo: Editora FAPESP/Iglu, 2007.

FONSECA, Maria Tereza Louza. Extensão rural: uma educação para o capital. São Paulo: Edições Loyola, 1985.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

HABERMAS, Jurgen. A nova intransparência: a crise do estado de bem-estar social e o esgotamento das energias utópicas. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n. 18, p. 103-114, setembro, 1987.

JÚNIOR, Dirley da cunha. A efetividade dos direitos fundamentais sociais e a reserva do possível. In: CAMARGO, Marcelo Novelino (Org.). Direito Constitucional: leituras complementares. Salvador: JusPODIVM, 2006.

KUHN, Thomas Samuel. A estrutura das revoluções científicas. Tradução de Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 1992. 257 p. (série Debates - Ciência).

MENDES, Gilmar Ferreira et al. Curso de direito constitucional. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 2008.

MORIN, Edgar. Epistemologia da tecnologia. O desafio da complexidade. In: ______. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

MUNIZ, J. N. A extensão rural em tempos de mudanças. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 20, n. 199, p. 56-61, jul./ago. 1999.

PARRET, Herman. Os argumentos do sedutor. Revista Comunicação e Linguagens, Lisboa, n. 14, p. 9-22, Dez. 1991.

PINTO, Álvaro Vieira. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008. V. 1.

PLATÃO. A república. Brasília: UnB/Ática, 1989. Livro VII.

RAWLS, John. Uma teoria da justiça. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

RODRIGUES, Cyro Mascarenhas. A pesquisa agropecuária no período do pós-guerra. Cadernos de Difusão de Tecnologia, São Paulo, v. 4, n. 3, p. 205-254, set./dez. 1987.

ROLING, N. Toward an interactive agricultural science. European Journal os Agricultural Education and Extension, v. 2, n. 4, p. 35-48, 1996.

ROUANET, S. P. As razões do Ilumisno. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

SCHMITT, Carl. Verfassungsrechtliche auftaaze aus den Jahren. 1924-1954. Materialien zu einer Verfassungslehre. 2. ed. Berlim, 1973. In: ALEXY, Robert. Teoria de los Derechos Fundamentales. Madrid: Centro de Estudos Constitucionales, 1993.

SILVA, José Afonso da Silva. Curso de Direito Constitucional positivo. São Paulo: Malheiros, 1992.

Publicado
2016-02-05