Patrimônio cultural como identidade coletiva: o saber-fazer do doce pé de moleque em Piranguinho, MG

Palavras-chave: desenvolvimento local, economia da cultura, artefatos, saberes-fazeres, patrimônio cultural, identidade coletiva

Resumo

A reflexão proposta é sobre o processo de formação da identidade coletiva a partir do saber-fazer do doce pé de moleque, patrimônio cultural do município de Piranguinho, na microrregião de Itajubá, sul do Estado de Minas Gerais. No aspecto cultural, o município se caracteriza por contar com a produção e venda do doce pé de moleque, sendo que as significações se apresentam constituídas em torno do artefato, as quais influenciam na mentalidade, organização da identidade e nas escolhas de caminhos de desenvolvimento. Dessa perspectiva, justificamos nossa participação no debate sobre desenvolvimento regional-local, considerando as estratégias adotadas em municípios de pequeno porte. Portanto, objetivamos compreender o saber e o fazer do pé de moleque enquanto um elemento de contribuição ao desenvolvimento, sem perder de horizonte a história e as composições que suportam a ideia de local. Utilizamos os recursos da pesquisa de campo, por meio de entrevistas semiestruturadas, as quais realizamos no período de setembro a dezembro de 2019. Os resultados alcançados demonstram que a cultura e a identidade na dinâmica do lugar se expressam também por meio da construção do doce de pé de moleque como patrimônio cultural, formando a identidade coletiva e se implicando com as questões do desenvolvimento da microrregião de Itajubá.

Biografia do Autor

Lucas Inácio Rodrigues, Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)

Mestre em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade, Instituto de Engenharia de Produção e Gestão da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI). Professor efetivo da disciplina de História na Prefeitura Municipal de Maria da Fé, MG.

Carlos Alberto Máximo Pimenta, Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)

Doutor e mestre em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professor adjunto da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI).

Adilson da Silva Mello, Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI)

Doutor em Ciências Sociais e mestre em Ciências da Religião, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Professor adjunto I da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI).

Referências

ALMEIDA, Joaquim Mota; RENÓ, Zaluar Martins. Estação do Piranguinho: as origens e outros olhares. 1. ed. Itajubá, MG: Gráfica O Sul de Minas, 2008.

ANDRADE, Alexandre Carvalho. Pouso Alegre (MG): expansão urbana e as dinâmicas socioespaciais em uma cidade média. 2014. 299 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, SP, 2014.

BERNARDES, Elizabethe Aparecida Bittencour. Desenvolvimento local e sustentabilidade: o caso de Piranguinho-MG. 2015. 154 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimentos, Tecnologias e Sociedades) – Universidade Federal de Itajubá, Instituto de Engenharia de Produção e Gestão, Itajubá, MG, 2015.

BRANDÃO, Carlos. Território e desenvolvimento – as múltiplas escalas entre o local e global. Campinas: Unicamp, 2007.

BURKE, Peter. Cultura popular na Idade Moderna: Europa 1500-1800. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. 9. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000. V. 2.

DOMINGUES, Andrea Silva. A arte de falar: redescobrindo trajetórias e outras histórias da Colônia do Pulador Anastácio/MS. Jundiaí: Paco, 2011. 38 p.

DOWBOR, Ladislau. O que é poder local? 1. ed. Imperatriz, MA: Editora Ética, 2016.

GIARD, L. Cozinhar. In: CERTEAU, Michel (Org). A invenção do cotidiano – morar, cozinhar. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1990.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Estimativas da população residente no Brasil e unidades da Federação com data de referência em 1º de julho de 2019. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: https://ftp.ibge.gov.br/Estimativas_de_Populacao/Estimativas_2019/estimativa_dou_2019.pdf. Acesso em: 26 fev. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

LIMA, Vasco de Castro. A estrada de ferro Sul de Minas: 1884-1930. São Paulo: COPAG, 1934.

MINAS GERAIS (Estado). Assembleia Legislativa. Lei n. 18.057, de 1º de abril de 2009. Declara patrimônio cultural do Estado o processo artesanal de fabricação do doce denominado pé-de-moleque produzido no município de Piranguinho. Belo Horizonte, MG, 2009. Disponível em: https://www.almg.gov.br/consulte/legislacao/completa/completa.html?tipo=LEI&num=18057&comp=&ano=2009. Acesso em: 26 fev. 2020.

PERIN, Zeferino. Desenvolvimento regional: um novo paradigma em construção. Erechim: EdiFAPES, 2004.

PIMENTA, C. A. M. Tendências do desenvolvimento: elementos para reflexão sobre as dimensões sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 10, n. 3, p. 44-66, 2014.

PIMENTA, C. A. M; MELLO, Adilson da Silva. Entre doces, palhas e fibras: experiências de geração de renda em cidades de pequeno porte no sul de Minas Gerais. Estudos de Sociologia – Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco. Recife, v. 1, n. 20, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revsocio/article/view/235507/28494. Acesso em: 26 fev. 2020.

QUEIROZ, Amadeu. Memória dos 7 aos 77. 1. ed. São Paulo: Cupolo Ltda, 1956.

RENÓ, Adoniran Martins. Revista Naturale: as trilhas da Mantiqueira e suas cidades cinqüentenárias. “Piranguinho, município que tem memória, que tem futuro...”. 19. ed. Itajubá: Diagrarte Editora Ltda, 2013. 12 p.

RENÓ, Zaluar Martins; LIMA, Rosana Meire; PASSARO, Rosemeyre Maria dos Santos. Piranguinho: tempos e lugares de cidadania. Itajubá: Diagrarte Editora, 2011. V. II.

RODRIGUE, Lucas Inácio. Desenvolvimento, Cultura e Território: o doce pé de moleque em Piranguinho/MG – entre os saberes e o artefato. 2021. 182 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade) – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), Instituto de Engenharia de Produção e Gestão, Itajubá, MG, 2021.

SARAIVA, Camila Nemitz de Oliveira. Gastronomia, cultura e desenvolvimento: um estudo no município de São Borja. 2015. 139 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento) – Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), Ijuí, RS, 2015.

SCHMIDT, Maria L. S.; MAHFOUD, Miguel. Halbwachs: memória coletiva e experiência. Revista de Psicologia da USP, São Paulo, v. 4, n. 1/2, p. 285-98. 1993.

SIEDENBERG, Dieter Rugard. Desenvolvimento sob múltiplos olhares. 1. ed. Ijuí: Unijuí, 2012.

SOUZA, Natacia Lamoglia. Desenvolvimento e cultura: implicações das Políticas Culturais Públicas na Dimensão Socioprodutiva da Microrregião de Itajubá (MG). 2018. 156 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento, Tecnologias e Sociedade) – Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI), Instituto de Engenharia de Produção e Gestão, Itajubá, MG, 2018.

Publicado
2021-04-28
Como Citar
Rodrigues, L. I., Pimenta, C. A. M., & Mello, A. da S. (2021). Patrimônio cultural como identidade coletiva: o saber-fazer do doce pé de moleque em Piranguinho, MG. Interações (Campo Grande), 23(1), 35-50. https://doi.org/10.20435/inter.v23i1.2985