Entre o divino e o dinheiro: análise de serviços magísticos em um terreiro de Candomblé

Palavras-chave: Candomblé, Serviços Magísticos, Religião, Trocas

Resumo

O objetivo do artigo é analisar as principais trocas materiais em um terreiro de Candomblé em Bocaiuva, MG, na perspectiva do clientelismo, ou seja, situações que envolvem a cobrança em dinheiro pelos serviços ofertados: trabalhos de “amarração de amor” e jogo de búzios. Metodologicamente, procedemos por pesquisa bibliográfica, observação participante e realização de entrevistas no período de maio a agosto de 2018. Além de apresentar generalidades a respeito do Candomblé e alguns paradigmas atuais que o rondam, o artigo analisa os referidos serviços magísticos enquanto relações sociais e econômicas presentes na vida deste terreiro. A pesquisa demonstrou que o Candomblé e seus adeptos exprimem relações não apenas religiosas, mas mercadológicas entre si e com o público exterior ao terreiro. No caso estudado, dinheiro e serviços magísticos não são “esferas separadas” ou “mundos hostis”, mas estruturas em que os agentes realizam “boas combinações”.

Biografia do Autor

Fábio da Silva Gonçalves, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Doutorando em Desenvolvimento Social na Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Mestre em Sociedade, Ambiente e Território pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e UNIMONTES. Graduado em Geografia pela UNIMONTES. Professor efetivo na Escola Estadual Doutor Odilon Loures, Bocaiuva, Minas Gerais.

Daniel Coelho de Oliveira, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Doutor em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA/UFRRJ). Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Docente de Sociologia Clássica e Contemporânea, Sociologia do Consumo, da Alimentação e Rural. Professor no Departamento de Ciências Sociais da UNIMONTES e coordenador adjunto do Mestrado Associado UFMG-UNIMONTES em Sociedade, Ambiente e Território.

Referências

ANDRADE, Fabrício Fontes; DIAS, Carlos Alberto Pereira. Desenvolvimento Social e Dimensões da Pobreza: uma análise do Índice de Desenvolvimento das Famílias (IDF) na Macrorregião de Bocaiuva-MG. Desenvolvimento em Questão: Revista do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento, ano 7, n. 14, p. 143-72, jul./dez. 2009.

ANJOS, José Carlos. O território da Linha Cruzada: a cosmopolítica afro-brasileira. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

BAPTISTA, José Renato de Carvalho. “No candomblé nada é de graça...”: estudo preliminar sobre a ambiguidade nas trocas no contexto religioso do Candomblé. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, n. 1, p. 68-94. 2005.

BARBOSA NETO, Edgar Rodrigues. A geometria do axé: o sincretismo como topologia. Revista de Antropologia da UFSCar, São Carlos, v. 9, n. 2, jul./dez., p. 171-83. 2017.

BASTIDE, Roger. As religiões africanas no Brasil: contribuição a uma sociologia das interpenetrações de civilizações. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1960.

BASTIDE, Roger. O Candomblé da Bahia: Rito nagô. 3. ed. São Paulo: Nacional, 1978.

BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2013.

CAPONE, Stefania. A busca da África no candomblé: tradição e poder no Brasil. Tradução de Procópio Abreu. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria; Pallas, 2009.

CARVALHO, José Jorge. A economia do axé: os terreiros de religião de matriz afro-brasileira como fonte de segurança alimentar e rede de circuitos econômicos e comunitários. In: BRASIL, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Alimento: direito sagrado. Pesquisa socioeconômica e cultural de povos e comunidades tradicionais de terreiros. Brasília: MDS, 2011. p. 37-62.

CASTRO, Yeda Pessoa. Falares africanos na Bahia: um vocabulário afro-brasileiro. Rio de Janeiro: Topbooks/Academia Brasileira de Letras, 2005.

HAESBAERT, Rogério. Da desterritorialização à multiterritorialidade. In: ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 10., São Paulo, 2005. Anais [...]. São Paulo, 2005. p. 6774-92.

MORAES-JUNIOR, Mário Pires. Candomblé: discurso em transe. 2014. 155 f. Dissertação. (Mestrado em Letras e Linguística) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, 2014.

MORAIS, Mariana Ramose. O candomblé na metrópole: a construção da identidade em dois terreiros de Belo Horizonte. 2006. 132 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, 2006.

NEIBURG, Federico. Intimacy and the public sphere. Politics and culture in the argentinian national space, 1946-55. Social Anthropology, Cambridge (Reino Unido), v. 11, n. 1, p. 63-78, 2003.

PRANDI, Reginaldo. O Brasil com axé: candomblé e umbanda no mercado religioso. Estudos Avançados, São Paulo, v. 18, n. 52, 2004. p. 223-38.

PRANDI, Reginaldo. Segredos guardados: orixás na alma brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

RAMOS, João Daniel Dorneles. O cruzamento das linhas: aprontamento e cosmopolítica entre umbandistas em Mostardas, Rio Grande do Sul. 2015. 273 f. Tese. (Doutorado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2015.

SANTOS, Milton Silva. Afinal, o que são as religiões afro-brasileiras? In: FELINTO, Renata (Org). Culturas africanas e afro-brasileiras em sala de aula: saberes para os professores, fazeres para os alunos. Belo Horizonte: Fino Traço Editora, 2012. p. 11- 21.

SODRÉ, Muniz. O terreiro e a cidade: a forma social negro-brasileira. Rio de Janeiro: Imago Editora; Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, 2002.

SOUSA, Jailson Silva. Candomblé e mercado: uma análise do cenário metropolitano de Goiânia. Revista Brasileira de História das Religiões, Maringá, v. 3, n. 9, p. 1-11, jan. 2011.

SOUZA, Marina de Mello. África e Brasil africano. São Paulo: Ática, 2008.

STREECK, Wolfgang. Tempo comprado: a crise adiada do capitalismo democrático. Coimbra: Conjuntura Atual Ltda., 2013.

ZELIZER, Viviana A. A negociação da intimidade. Petrópolis: Vozes, 2011.

ZELIZER, Viviana. Dinheiro, poder e sexo. Cadernos Pagu, Campinas, n. 32, jan./jun., p. 135-57, 2009.

Publicado
2022-04-28
Como Citar
Gonçalves, F. da S., & de Oliveira, D. C. (2022). Entre o divino e o dinheiro: análise de serviços magísticos em um terreiro de Candomblé. Interações (Campo Grande), 23(1), 149-164. https://doi.org/10.20435/inter.v23i1.2958