Significados da agricultura familiar pela perspectiva local: o caso da Associação dos Agricultores Familiares de São Pedro da Serra (Rio de Janeiro, Brasil)

Palavras-chave: Agricultura Familiar, Narrativas locais, Atores sociais, São Pedro da Serra.

Resumo

O artigo busca interpretar a dinâmica da agricultura familiar nos limites da Área de Proteção Ambiental Macaé de Cima, pela perspectiva dos atores da Associação dos Agricultores Familiares de São Pedro da Serra e Adjacências. A percepção local sobre a agricultura familiar transcende o seu entendimento como atividade produtiva e se traduz por meio da religiosidade, do vínculo com a natureza e da relação com os turistas que visitam a região.

Biografia do Autor

Cristiane Passos de Mattos, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET-RJ)

Doutorado em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo do Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (CEFET-RJ).

Marta de Azevedo Irving, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Pós-doutorado na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais (EHESS) de Paris e no Departamento de Ecologia e Gestão da Biodiversidade do Museu de História Natural de Paris. Doutorado em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP). Mestrado pela Universidade de Southampton (UK). Formação interdisciplinar, com graduação em Biologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e Psicologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Lidera o Grupo de Pesquisa Governança, Ambiente, Políticas Públicas, Inclusão e Sustentabilidade (GAPIS-Lattes CNPq). Compõe o núcleo de coordenação do Curso de Especialização em Gestão da Biodiversidade da Escola Nacional de Botânica Tropical (Jardim Botânico, RJ). Professora titular da UFRJ.

Lilia dos Santos Seabra, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Pós-doutorado no Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Doutorado em Geografia pela UFRJ. Mestrado em Ciência Ambiental pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Graduação em Geografia pela UFR e em História pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atualmente, é professora Associada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e coordenadora do Laboratório de Geografia da Baixada Fluminense (LabGeo Baixada Fluminense).

Referências

AMADOR, André Bittencourt. O turismo e as transformações sócio-espaciais em Lumiar e São Pedro da Serra, Nova Friburgo-RJ. 1997. Monografia (Graduação em Geografia) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 1997.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BERGAMASCO, Sonia Maria Pessoa Pereira; DELGADO, Guilherme Costa. Apresentação. In: BERGAMASCO, Sonia Maria Pessoa Pereira; DELGADO, Guilherme Costa (Org.). Agricultura familiar brasileira: desafios e perspectivas de futuro. Brasília: Secretaria Especial de Agricultura e do Desenvolvimento Agrário, 2017. Disponível em http://www.mda.gov.br/sitemda/sites/sitemda/files/user_img_1756/ Agricultura%20Familiar_WEB_LEVE.pdf. Acesso em: 11 mar. 2018.

BRASIL. Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. Agricultura familiar do Brasil é 8ª maior produtora de alimentos do mundo. Brasília-DF, 2018. Disponível em: http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/agricultura-familiar-do-brasil-%C3%A9-8%C2%AA-maior-produtora-de-alimentos-do-mundo. Acesso em: 28 set. 2018.

BRASIL. Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. Plano Safra da Agricultura Familiar – fortalecer o campo para desenvolver o Brasil 2017/2020. SEAD, Brasília-DF, 2017. Disponível em: http://www.mda.gov.br/sitemda/plano-safra-da-agricultura-familiar-20172020. Acesso em: 13 jul. 2018.

BRASIL. Lei Federal n. 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências o. Brasília-DF, 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9985.htm. Acesso em: 15 jul. 2016.

BRASIL. Decreto n. 1.946, de 28 de junho de 1996. Cria o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar - PRONAF, e dá outras providências. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1996/decreto-1946-28-junho-1996-435815-publicacaooriginal-1-pe.html. Acesso em: 28 set. 2018.

BUARQUE, S. C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento sustentável. Brasília: IICA, 1999.

CALDAS, Lia Carla Carneiro. Roteiro de Agroturismo de São Pedro da Serra e Arredores, Nova Friburgo, RJ: potencialidades e limitações. 2014. Dissertação (Mestrado em Práticas em Desenvolvimento Sustentável) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2014.

CARNEIRO, Maria José. “Rural” como categoria de pensamento. Ruris, Campinas, v. 2. n. 1. p. 9-38, 2008. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ceres/2008-maria_carneiro.pdf. Acesso em: 11 mar. 2018.

CARNEIRO, Maria José; BERTOLINO, Valéria Freire Allemão; BERTOLINO, Luiz Carlos. Agricultores e território: práticas e saberes. Rio de Janeiro: Trasso Comunicação / CNPq / Faperj, 2010.

CARNEIRO, Maria José; TEIXEIRA, Vanessa Lopes. Para além das dualidades: o rural não agrícola no estado do Rio de Janeiro. In: CARNEIRO, Maria José. (Org.) Ruralidades contemporâneas: modos de viver e pensar o rural na sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Mauad X / FAPERJ, 2012.

CHEUNG, Thelma Lucchese. Desenvolvimento da agricultura familiar: investigação sobre o espaço rural e o território como referência para estudar o caso do município de Terenos, MS. Interaçõe,. Campo Grande, v. 14, n. 2, p. 189-95, 2013. Disponível em http://www.interacoes.ucdb.br/article/view/202. Acesso em: 13 jul. 2018.

EMATER-RIO. Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Dados da produção agropecuária. Rio de Janeiro: EMATER-RIO, 2018.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Entenda o Código Florestal, adequação ambiental da paisagem rural, Módulos Fiscais. EMBRAPA, Brasília-DF, 2018. Disponível em https://www.embrapa.br/codigo-florestal/area-de-reserva-legal-arl/modulo-fiscal2018. Acesso em: 28 set. 2018

GUANZIROLI, Carlos; ROMEIRO, Ademar; BUAINAIN, Antônio M.; SABBATO, Alberto Di; BITTENCOURT, Gilson. Agricultura familiar e reforma agrária no século XXI. Rio de Janeiro: Garamond , 2001.

HAGUETTE, Teresa Maria Frota. Metodologias qualitativas na Sociologia. Petrópolis: Vozes, 1987.

INSTITUTO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo agropecuário, florestal e aquícola – 2017. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em https://censos.ibge.gov.br/agro/2017/resultados-censo-agro-2017.html. Acesso em: 9 maio 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA (INCRA). Módulos fiscais por estados da federação., Brasília-DF: INCRA, 2018. Disponível em: http://www.incra.goc.br/tabela-modulo-fiscal. Acesso em: 10 maio 2019

Instituto Estadual do Ambiente [INEA]. Plano de manejo da APA Macaé de Cima. [Módulo 1]. Rio de Janeiro: INEA/DIBAP, 2014. Disponível em: http://www.inea.rj.gov.br/cs/groups/public/ documents/document/zwew/mdgz/~edisp/inea0083753.pdf. Acesso em: 10 dez. 2016.

LOPES, Mauro de Rezende. Política agrária – uma década de deterioração. Agroanalysis, Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, p. 18-20, abr. 1996. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/agroanalysis/article/viewFile/48188/46098. Acesso em: 11 mar. 2018.

MARAFON, Gláucio José; RIBEIRO, Miguel Ângelo. Agricultura familiar, pluriatividade e turismo rural: reflexões a partir do território fluminense. Revista Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, v. 3, n. 18-19, p. 111-130, jan./dez. 2006.

MAYER, Jorge Miguel. Presença suíça e alemã na região serrana fluminense. In: PAOLINO, Claudio; BOTELHO, Marjorie (Org.). Agricultores do estado do Rio de Janeiro.. Rio de Janeiro: Instituto de Imagem e Cidadania, 2011. (Memória Fluminense – Pesquisa e Publicações). Disponível em: https://issuu.com/sobradocultural/docs/www.imagemcidadania.blogspot.com. Acesso em: 11 mar. 2018.

MEDINA, Gabriel; NOVAES, Evandro. Percepção dos agricultores familiares sobre suas condições de vida. Interações, Campo Grande, MS, v. 14, n. 2, p. 385-97, jul./dez. 2014. Disponível em: http://www.interacoes.ucdb.br/article/view/116. Acesso em: 13 jul. 2018.

NOVA FRIBURGO (Cidade). Decreto Municipal n. 156, de 3 de janeiro de 1990. Cria a Reserva Ecológica de Macaé de Cima. Nova Friburgo, RJ, 1990. Disponível em: http://www.cea.xpg.com.br/apas_macae.htm. Acesso em: 10 dez. 2016.

PERES, Frederido; LUCCA, Sérgio Roberto de; PONTE, Luciana Muller da; RODRIGUES, Karla Meneses; ROZEMBERG, Brani. Percepção das condições de trabalho em uma tradicional comunidade agrícola em Boa Esperança, Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 4, p. 1059-68, jul./ago. 2004.

PETROBRAS. Petróleo Brasileiro S/A. Bacia de Campos – conheça as plataformas de produção. Petrobras, Rio de Janeiro, [s.d.]. Disponível em: http://www.petrobras.com.br/pt/nossas-atividades/principais-operacoes/bacias/bacia-de-campos.htm. Acesso em: 28 set. 2018.

RANGEL, Ana Rita Moreira; OLIVEIRA, Vicente de Paulo Santos de; MOREIRA, Marcos Antonio Cruz. O programa Rio Rural no estado do Rio de Janeiro: a experiência na microbacia Canal Jurumirim, município de Macaé. Revista Monografias Ambientais – REMOA, Santa Maria, v. 15, n. 1, p. 302-22, jan./abr. 2016. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/remoa/article/viewFile/19948/pdf. Acesso em: 11 mar. 2018.

REGO, Virginia Villas Boas Sá. Mundos em confronto: o desenvolvimento do capitalismo e a educação numa comunidade camponesa. 1988. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 1988.

REGO, Virginia Villas Boas Sá. Paraísos Perdidos ou preservados: os múltiplos sentidos da cidadania em áreas de proteção ambiental. 2010. Tese (Doutorado em Meio Ambiente) –Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2010.

RIO DE JANEIRO (Estado). Decreto Estadual 29.213, de 14 de setembro de 2001. Cria Área de Proteção Ambiental Macaé de Cima. Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 17 de setembro de 2001.

RIO DE JANEIRO (Estado). Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável em Microbacias Hidrográficas. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: http://greenrio.com.br/arquivos/Programa_de_Desenvolvimento_Rural_Sustentavel_em_Microbacias_Hidrograficas_-_Nelson_Teixeira.pdf. Acesso em: 18 mai. 2021.

ROCHA, Aurea Pinheiro. A escola está inserida na APA? - percepção socioambiental dentro da Área de Proteção Ambiental de Macaé de Cima. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, 2012.

ROCHA, Aurea Pinheiro; DI MAIO, Angelica Carvalho; CAMPOS, Leonardo Gama. Percepção ambiental na Área de Proteção Ambiental de Macaé de Cima: perspectivas para o ecoturismo. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v. 4, n. 4, 2011. [Anais do VIII Congresso Nacional de Ecoturismo e do IV Encontro Interdisciplinar de Ecoturismo em Unidades de Conservação].

SCHIAVO, Sylvia França. Sendas da transição - descendentes de suíços em Nova Friburgo-RJ. Niterói: Eduff, 1997.

SILVA, José Graziano; GROSSI, Mario Del; CAPANHOLA, Clayton. O que há de realmente novo no rural brasileiro? Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 19, n. 1, p. 37-67, jan./abr. 2002. Disponível em: https://seer.sct.embrapa.br/index.php/c ct/article/view/8795. Acesso em: 11 mar. 2018.

TEIXEIRA, Vanessa Lopes. Novos contornos ocupacionais no meio rural fluminense: um estudo sobre a pluriatividade entre agricultores familiares. 2009. Tese (Doutorado em Ciências Econômicas) – Instituto de Economia, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2009.

VALLADARES, Licia. Os dez mandamentos da observação participante. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 22, n. 63, p. 153-5, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-69092007000100012& script=sci_arttext&tlng=es. Acesso em: 11 mar. 2018.

WHYTE, William Foote. Sociedade da esquina: a estrutura social de uma área urbana pobre e degradada. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

Publicado
2021-06-02
Como Citar
Mattos, C. P. de, Irving, M. de A., & Seabra, L. dos S. (2021). Significados da agricultura familiar pela perspectiva local: o caso da Associação dos Agricultores Familiares de São Pedro da Serra (Rio de Janeiro, Brasil). Interações (Campo Grande), 22(1), 225-241. https://doi.org/10.20435/inter.v22i1.2688