Perspectivas do território e desenvolvimento local: estudo sobre a constituição do município de Naviraí, MS, como polo urbano regional

Palavras-chave: território, desenvolvimento local, Naviraí

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi compreender como ocorreu a constituição e o desenvolvimento do município de Naviraí como polo urbano regional, tendo como aporte teórico a discussão sobre desenvolvimento local e território. Especificamente, buscou-se identificar as ações e os atores relevantes para a constituição do município, descrever historicamente como ocorreu a constituição do município e sua condição de polo urbano regional, como também examinar os aspectos territoriais e sua contribuição ao desenvolvimento local e regional. Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa descritiva, por meio de dados secundários e entrevistas semiestruturadas com três moradoras da cidade que estão relacionadas à história do município. Os resultados evidenciam que diversos aspectos convergiram para a constituição do município como polo urbano regional, iniciando-se com a colonização, fomentada pelo governo federal, associada à existência de recursos naturais que eram abundantes, e, consequentemente, por meio do aproveitamento das potencialidades locais, como a vocação agrícola. Diante desse contexto, indica-se a utilização da análise E-P-C-N, proposta por Saquet (2009), para compreender a configuração de um território e como suporte para pensar o desenvolvimento local endógeno sustentado. Ademais, discute-se a necessidade de criar condições de desenvolvimento endógeno a partir da conjugação de esforços locais com apoio externo, como as diversas universidades instaladas no município, que podem, por meio de esforços conjuntos, instruir os atores no sentido de promover o desenvolvimento local.

Biografia do Autor

Jaiane Aparecida Pereira, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Doutora em Administração pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Professora adjunta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – Campus de Naviraí.

Gabrielle Corrêa Zacarias, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Graduada em Administração pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – Campus de Naviraí. Administradora.

Marco Antônio Costa da Silva, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Doutor em Administração pela Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Professor adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – Campus de Naviraí.

Referências

AMARAL FILHO, J. Desenvolvimento regional endógeno em um ambiente federalista. Planejamento e Políticas Públicas, Brasília, n. 14, p. 35-70, dez. 1996.

ARAÚJO, W. A.; TEMOTEO, J. A. G.; ANDRADE, M. O.; TREVIZAN, S. D. P. Desenvolvimento local, turismo e populações tradicionais: elementos conceituais e apontamentos para reflexão. Interações, Campo Grande, MS, v. 18, n. 4, p. 5-18, 2017.

ÁVILA, V. F. Realimentando discussão sobre teoria de Desenvolvimento Local (DL). Interações – Revista Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande, MS, v. 8, n. 13, p. 133-40, 2006.

ÁVILA, V. F. Pressupostos para formação educacional em desenvolvimento local. Interações – Revista Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande, MS, v. 1, n. 1, p. 63-76, set. 2000.

CABUGUEIRA, A. C. C. M. Do desenvolvimento regional ao desenvolvimento local: análise de alguns aspectos de política econômica regional. Gestão e Desenvolvimento, Campo Grande, MS, n. 9, p. 103-36, 2000.

COOPERATIVA AGRÍCOLA SUL MATOGROSSENSE [COPASUL]. A cooperativa. COPASUL, Naviraí, [s.d.]. Disponível em: http://www.copasul.coop.br/institucional/a-cooperativa/1. Acesso em: 8 ago. 2019.

DEMATTEIS, G. Geografia democrática, território e desenvolvimento local. Formação, Presidente Prudente, v. 2, n. 12, p. 11-26, 2005.

EDUARDO, M. F.; SAQUET, M. A. A abordagem territorial como perspectiva teórico-conceitual: insights sobre a agroecologia no sudoeste paranaense. In: ENCONTRO NACIONAL DO GEÓGRAFOS, 16., 25 a 31 jul. 2010, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: ENG, 2010.

FARIAS, C. S. A influência da produção de mandioca na composição da identidade territorial do Vale do Juruá-AC. Revista Geonorte, Manaus, v. 7, n. 1 [edição especial], p. 604-22, 2013.

FERRO, R. F. F. C. Potencialidades de desenvolvimento local da comunidade de São Gabriel do Oeste em Termos de Ocupação. 2003. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Local) – Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, MS, Brasil, 2003.

GARCIA, D. C. Um lugar chamado Naviraí. Dourados, MS: Seriema, 2016.

GONÇALVES, D. L. A colonizadora Vera Cruz Mato Grosso e a formação de Naviraí. 134 f. 2015. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dourados, MS, 2015.

HASPER, N.; PEREIRA, C. M. S. (Org.). Projeto Jubileu de Ouro de Naviraí: as tecnologias e a rede social Facebook ajudam a comunidade escolar a resgatar a história do município. Naviraí, MS: NTE – Núcleo de Tecnologia Educacional, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Naviraí. IBGE, Rio de Janeiro, [s.d.]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ms/navirai/panorama. Acesso em: 18 jul. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Produto Interno Bruto dos Municípios. IBGE, Rio de Janeiro, [s.d.]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/contas-nacionais/9088-produto-interno-bruto-dos-municipios.html?t=pib-por-municipio&c=5005707. Acesso em: 18 jul. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sistema IBGE de Recuperação Automática. Censo Demográfico 2010. IBGE, Rio de Janeiro, [s.d.]. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-demografico/demografico-2010/inicial. Acesso em: 18 jul. 2019.

MARTINS, S. R. O. Desenvolvimento local: questões conceituais e metodológicas. Interações, Campo Grande, MS, v. 3, n. 5, p. 51-9, 2002.

MESSIAS, M. L. (Org.). Naviraí 50 anos construindo sonhos. Naviraí-MS: PSAF, 2013.

MICHEL, M. Metodologia e pesquisa científica em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 2009.

MINAYO, M. C. S. (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 3. ed. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 1994.

MORAES, J. L. A.; SCHNEIDER, S. Perspectiva territorial e abordagem dos sistemas produtivos localizados rurais: novas referências para o estudo do desenvolvimento rural. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 6, n. 2, p. 287-320, 2010.

OLIVEIRA, E. Mato Grosso do Sul: venda da usina Coopernavi é concluída. Página Rural, 5 out. 2006. Disponível em: http://www.paginarural.com.br/noticia/49797/mato-grosso-do-sul-venda-da-usina-coopernavi-e-concluida. Acesso em: 8 ago. 2018.

PEREIRA, J. A.; CHAGAS, P. B.; BÁNKUTI, S. M. S. Perspectivas do território no sistema agroalimentar localizado: o caso da uva no município de Marialva-PR. Administração Pública e Gestão Social, v. 11, n. 2, p. 107-25, abr./jun., 2019.

PEREIRA, J. A.; RESCH, S.; DOCKHORN, M. S. M.; RODRIGUES, W. O. P.; SILVA, M. A. C. Desenvolvimento Local e Regional: características da Microrregião de Iguatemi do estado de Mato Grosso do Sul. Revista Eletrônica Científica do CRA-PR, Curitiba, v. 4, n. 2, p. 19-35, 2017.

PEREIRA, V. J.; PEREIRA, J. A. Território, Polo Industrial e Arranjo Produtivo Local: estudo no Polo Moveleiro do Município de Arapongas-PR. Perspectivas Contemporâneas, Campo Mourão, v. 13, n. 2, p. 24-43, 2018.

PINTO, A. C. B. Desenvolvimento local: a comunidade como coparticipante. Revista Brasileira de Planejamento e Desenvolvimento, Curitiba, v. 3, n. 1, p. 165-75, 2014.

PREFEITURA MUNICIPAL DE NAVIRAÍ [PMN]. Conheça Naviraí. Portal da Prefeitura Municipal, [s.d.]. Disponível em: https://www.navirai.ms.gov.br/. Acesso em: 19 jul. 2019.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO [PNUD]. Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil. PNUD, Brasília-DF, 2013. Disponível em: http://www.br.undp.org/content/brazil/pt/home/library/idh/metodologia.html. Acesso em: 10 mar. 2017.

RAFFESTIN, C. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

SACHS, I. Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SACK, Robert. Human territoriality: its theory and history. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

SANTOS, L. M.; PEREIRA, A. M.; PAULA, A. M. N. R. Comunidades remanescentes de quilombos: reflexão sobre territorialidades. Revista Cerrados, v. 16, n. 1, p. 248-65, 2018.

SAQUET, M. A. A relação espaço-tempo e a apreensão do movimento em estudos territoriais. In: ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 10., 20 a 26 mar. 2005, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.

SAQUET, M. A. Por uma abordagem territorial. In: SAQUET, M. A.; SPOSITO, E. S. (Org.). Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

SAQUET, M. A. Abordagens e concepções de território. São Paulo: Outras Expressões, 2015.

SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Estudo da dimensão territorial do estado de Mato Grosso do Sul: regiões de planejamento. Campo Grande: SEMADE, 2015.

SPOSITO, E. S.; JURADO DA SILVA, P. F. Cidades pequenas: perspectivas teóricas e transformações socioespaciais. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. Atlas: São Paulo, 2010.

VALE, A. L. F.; SAQUET, M. A.; SANTOS, R. O território: diferentes abordagens e conceito-chave para a compreensão da migração. Faz Ciência – Sociedade, Espaço e Economia, v. 7, n. 1, p. 11-26, 2005.

ZANON, B. Local Development in Fragile Areas: re-territorialization processes in an alpine community. International Planning Studies, v. 19, n. 3-4, p. 335-58, 2014.

ZANON, B. Territorial Innovation in the Alps. Heterodox Reterritorialization Processes in Trentino, Italy. Italian Journal of Planning Practice, v. 8, n. 1, p. 1-37, 2018.

Publicado
2021-06-02