Impacto ambiental do turismo de pesca: aplicação da Lei da Cota Zero no Rio Araguaia, em Goiás

enforcement of the Zero Quota Law in the Araguaia River, in Goiás

Palavras-chave: desenvolvimento local sustentável, turismo rural, pesca ilegal, pesca predatória, Lei n. 17.985/2013

Resumo

Esta pesquisa busca responder se a Lei n. 17.985/2013, que regulamenta a pesca no Estado de Goiás, está garantindo que o turismo de pesca seja feito de maneira sustentável. A pesquisa foi realizada na comunidade Itacaiu, às margens do Rio Araguaia. Foi verificado que a região de estudo vem sofrendo com a pesca predatória devido ao conhecimento limitado dos pescadores sobre a Lei e devido à falta de fiscalização governamental. Peixes fora de medida e espécies protegidas são capturados, transportados e consumidos ilegalmente, comprometendo o desenvolvimento local sustentável.

Biografia do Autor

Raquel Nominato Araújo, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Sergipe (IFS)

Mestre em Agronegócio pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Graduada em Administração pela Faculdade de Jussara (FAJ). Docente no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS).

Klaus de Oliveira Abdala, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Doutor em Ciências Ambientais pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Mestre em Agronegócio pela UFG. Especialista em Comércio Exterior  pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Graduado em Agronomia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Professor doutor do Programa Interdisciplinar em Ciências Ambientais na UFG.

Gabriel da Silva Medina, Universidade de Brasília (UnB)

Doutor em Ciências Naturais pela Albert Ludwigs Universitaet Freiburg (Uni-Freiburg). Mestre em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Graduado em Licenciatura Plena em Ciências Agrárias pela UFPA. Professor na Universidade de Brasília (UnB).

Referências

ACAUAN, R.; TEIXEIRA, B.; POLETTE, M.; BRANCO, J. Aspectos legais da pesca artesanal do camarão sete-barbas no município de Penha, SC: o papel do defeso. Interações, Campo Grande, v. 19, n. 3, p. 543-56, 2018.

GOIÁS (Estado). Secretaria do Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestruturas, Cidades e Assuntos Metropolitanos. A lei da cota zero está valendo. Goiânia, 2016. Disponível em: http://www.secima.go.gov.br/post/ver/199607/lei-da-cota-zero-esta-valendo. Acesso em: 23 de jun. 2016.

GOIÁS TURISMO. Agência Goiana de Turismo. Elaboração do Plano de desenvolvimento integrado do turismo sustentável (PDITS) do polo Vale do Araguaia. Goiânia: Ministério do Turismo, 2012. Disponível em: https://docplayer.com.br/10919717-Elaboracao-do-plano-de-desenvolvimento-integrado-do-turismo-sustentavel-pdits-do-polo-vale-do-araguaia.html. Acesso em: 26 ago. 2021.

JOIA, P.; ANUNCIAÇÃO, V.; PAIXÃO, A. Implicações do uso e ocupação do solo para o planejamento e gestão ambiental da bacia hidrográfica do rio Aquidauana, Mato Grosso do Sul. Interações, Campo Grande, MS, v. 19, n. 2, p. 354, abr./jun., 2018.

SANTOS, M. E. M. O. Estudo econômico-ecológico do rio Araguaia: região de Aruanã pela demanda turística. 2006. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Evolução) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, 2006.

SILVA, A. M. Os caminhos do turismo em espaço rural goiano. Revista da UFG, Goiânia , v. 7, n. 1, p. 29, jun. 2004. Disponível em: https://observatoriogeogoias.iesa.ufg.br/n/29799-artigos. Acesso em: 1 de julho de 2015.

Publicado
2021-09-15
Como Citar
Araújo, R. N., Abdala, K. de O., & Medina, G. da S. (2021). Impacto ambiental do turismo de pesca: aplicação da Lei da Cota Zero no Rio Araguaia, em Goiás: enforcement of the Zero Quota Law in the Araguaia River, in Goiás. Interações (Campo Grande), 22(2), 597-607. https://doi.org/10.20435/inter.v22i2.2428