Estruturas de governança e os atributos das transações entre produtores de florestas plantadas e serrarias no município de Ribas do Rio Pardo, MS, Brasil

  • Vanessa Schmidt Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Mayra Batista Bittencourt Fagundes Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
Palavras-chave: NEI. ECT. Silvicultura.

Resumo

Para identificação da estrutura de governança adotada foram utilizadas as bases teóricas da Nova Economia Institucional (NEI) − Economia dos Custos de Transação (ECT). Foi realizada uma pesquisa de cunho bibliográfico e exploratório descritivo qualitativo, levantamento de informações primárias e secundárias, através da aplicação de questionários mistos semiestruturados e visitas in loco. A estrutura de governança adotada é do tipo híbrida.

Referências

ABRAF. Anuário Estatístico da ABRAF 2012 ano base 2011. Brasília: Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas, 2012. p. 150.

AZEVEDO, P. F. Antecedentes - Coase e os anos 30: o redirecionamento do enfoque. In: FARINA, E. M. M. Q.; AZEVEDO, P. F.; SAES, M. S. M. Competitividade: Mercado, Estado e Organizações. São Paulo: Singular, 1997. p. 286. (Cap. Parte I).

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE MADEIRA E DERIVADOS DE RIBAS DO RIO PARDO. APL de Madeira e Derivados de Ribas. Núcleo Gestor. Reunião núcleo gestor, 2012.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA. Agrostat, 2012. Disponível em: <http://sistemasweb.agricultura.gov.br/pages/AGROSTAT.html>. Acesso em: 15 jan. 2013.

COASE, R. H. The Nature of the Firm. In: WILLIAMSON, O.; WINTER, S. G. The nature of the firm. New York: Oxford Univesity Press, 1991. p. 17.

FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DE MATO GROSSO DO SUL - FAMASUL. Projeto Siga - Mapa de Área Plantada no MS. Campo Grande, 2012.

FARINA, E. M. M. Q.; SAES, M. S. M. Os Desafios do Livre Mercado. In: FARINA, E. M. M. Q.; AZEVEDO, P. F.; SAES, M. S. M. Competitividade: Mercado, Estado e Organizações. São Paulo: Singular, 1997. p. 195-232. (Cap. 7).

GIORDANO, S. R. The Importance of Socioenvironmental Certification in Agri-Chains. In: ZULBERSZTAJN, D.; OMTA, O. Advances in Supply Chaibn Analysys in Agri-Food Systems. São Paulo: Singular, 2009. p. 167-185.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. IBGE Cidades, 2010a. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1>. Acesso em: 8 fev. 2013.

______. SIDRA, 2010b. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/silvi/default.asp?z=t&o=29&i=P>. Acesso em: 18 set. 2012.

NORTH, D. C. Institutions. The Journal of Economic Perspectives, v. 5; n. 1, p. 97-112, 1991.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE; SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DE PRODUÇÃO, DA INDÚSTRIA, DO COMÉRCIO E DO TURISMO - SEPROTUR; MATO GROSSO DO SUL. Plano Estadual para o Desenvolvimento Sustentável de Florestas Plantadas - Relatório Final. Campo Grande: Governo do Estado de Mato Grosso do Sul; SEBRAE; SEPROTUR, 2009. p. 451.

WILLIAMSON, O. E. The nem institutional economics: taking stock, looking ahead. Journal of Economic Literature, v. 38, p. 595-613, set. 2000.

______. The Mechanisms of Governance. New York: Oxford University Press, 1996.

______. The Theory os the Firm as Governance Structure: from Choice to Contract. Journal of Economic Perspectives, Summer 2002. p. 171-195.

ZYLBERSZTAJN, D. Economia das Organizações. In: ZYLBERSZTAJN, D.; NEVES, F. N. Gestão dos Negócios Agroalimentares. São Paulo: Pioneira, 2000. p. 23-38.

Publicado
2015-12-11