Saúde mental em comunidades quilombolas do Brasil: uma revisão sistemática da literatura

Palavras-chave: saúde mental, saúde pública, determinantes sociais de saúde.

Resumo

O objetivo desta revisão foi identificar estudos sobre saúde mental desenvolvidos nas populações quilombolas. Os artigos foram pesquisados em três bancos de dados: Lilacs, Medline e SciELO, utilizando os seguintes descritores: “quilombola OR quilombo AND mental health OR mental disorders”. Foram selecionados oito estudos que atenderam aos critérios de inclusão. A maioria dos trabalhos apontou os indicadores sociais e econômicos como fatores associados à condição de saúde e saúde mental dos membros das comunidades quilombolas

Biografia do Autor

Eraldo Carlos Batista, Pontifícia Universidade Católica - PUCRS
Doutor em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Mestre em Psicologia pela Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Especialista em Saúde Mental pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB). Bacharel em Psicologia. Professor do Departamento de Psicologia da Faculdade Católica de Rondônia (FCR).
Katia Bones Rocha, Pontifícia Universidade Católica - PUCRS
Doutora em Psicologia pela Universitat Autònoma de Barcelona (UAB), España. Mestre em Psicologia Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Professora do Departamento de Psicologia da PUCRS.

Referências

ALVES, A. A. M.; RODRIGUES, N. F. R. Determinantes sociais e económicos da Saúde Mental. Revista Portuguesa de Saúde Pública, Lisboa, v. 28, n. 2, p. 127-31, 2010.

BARROSO, S. M.; MELO, A. P.; GUIMARÃES, M. D. C. Fatores associados à depressão: diferenças por sexo em moradores de comunidades quilombolas. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 503-14, 2015.

BARROSO, S. M.; MELO, A. P.; GUIMARÃES, M. D. C. Depressão em comunidades quilombolas no Brasil: triagem e fatores associados. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 35, n. 4, p. 256-63, 2014.

BEZERRA, V. M. et al. Inquérito de saúde em comunidades quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil (Projeto COMQUISTA): aspectos metodológicos e análise descritiva. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 6, p. 1835-47, 2014.

BOSI, M. L. M. et al. Determinantes sociais em saúde (mental): analisando uma experiência não governamental sob a ótica de atores implicados. Revista Brasileira de Epidemiologia, São Paulo, v. 17, supl. 2, p. 126-35, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Articulação Interfederativa. Temático Saúde da População Negra/Ministério da Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2016.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 992, de 13 de maio de 2009. Institui a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 14 maio 2009. Seção 1.

BUSS, P. M.; PELLEGRINI FILHO, A. A saúde e seus determinantes sociais. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 77-93, 2007.

CAVALCANTE, I. M. S. Acesso e acessibilidade aos serviços de saúde em Três Quilombos da Amazônia Paraense: um olhar antropológico. 2011. Dissertação (Mestrado em Saúde, Sociedade e Endemias na Amazônia) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2011.

CARDOSO, L. G. V.; MELO, A. P. S.; CESAR, C. C. Prevalência do consumo moderado e excessivo de álcool e fatores associados entre residentes de Comunidades Quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, p. 809-20, 2015.

DIMENSTEIN, M. et al. Determinação social da saúde mental: contribuições à psicologia no cuidado territorial. Arquivos Brasileiros de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 69, n. 2, p. 72-87, 2017.

FERREIRA, M. A. F.; LATORRE, M. R. D. O. Desigualdade social e os estudos epidemiológicos: uma reflexão. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 9, p. 2523-31, 2012.

FREITAS, D. A. et al. Saúde e comunidades quilombolas: uma revisão da literatura. Revista CEFAC, São Paulo, v. 13, n. 5, p. 937-43, set./out. 2011.

GAMA, C. A. P.; CAMPOS, R. T. O.; FERRER, A. L. Saúde mental e vulnerabilidade social: a direção do tratamento. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 69-84, mar. 2014.

IBGE. Síntese dos Indicadores Sociais. Rio de Janeiro, 2017.

IBGE. Síntese dos Indicadores Sociais. Rio de Janeiro, 2013.

KOCHERGIN, C. N.; PROIETTI, F. A.; CÉSAR, C. C. Slave-descendent communities in Vitória da Conquista, Bahia State, Brazil: self-rated health and associated factors. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 7, p. 1487-501, 2014.

KRIEGER, N. A glossary for social epidemiology. Journal of Epidemiology & Community Health, v. 55, n. 10, p. 693-700, 2001.

MARQUES, A. S. et al. Atenção primária e saúde materno-infantil: a percepção de cuidadores em uma comunidade rural quilombola. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 365-71, 2014.

MELO, M. F. T.; SILVA, H. P. Doenças crônicas e os determinantes sociais da saúde em comunidades quilombolas do Pará, Amazônia, Brasil. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), Uberlândia, MG, v. 7, n. 16, p. 168-89, mar./jun. 2015.

MONEGO, E. T.; Peixoto, M. R. G. (In) segurança alimentar de comunidades quilombolas do Tocantins. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 37-47, 2010.

MOHER, D. et al. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. Annals of Internal Medicine, v. 151, n. 4, p. 264-9, 2009.

OLIVEIRA, S. K. M. et al. Self-perceived health among ‘quilombolas’ in northern Minas Gerais, Brazil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 9, p. 2879-90, 2015.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Relatório Mundial de Saúde. 2001. Disponível em: https://www.who.int/whr/2001/en/whr01_po.pdf. Acesso em: 18 dez. 2019.

PEREIRA, L. L.; SILVA, H. P.; SANTOS, L. M. P. Projeto Mais Médicos para o Brasil: estudo de caso em comunidades quilombolas. Revista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (ABPN), Uberlândia, MG, v. 7, n. 16, p. 28-51, 2015.

PINHO, L. et al. Condições de saúde de comunidade quilombola no norte de Minas Gerais. Revista de Pesquisa Cuidado É Fundamental On-line, Rio de Janeiro, v. 7, n. 1, p. 1847-55, jan./mar. 2015.

ROCHA, K. B. et al. Inequalities in mental health in the Spanish autonomous communities: a multilevel study. The Spanish Journal of Psychology, n. 18, p. 27-8, 2015.

ROUQUAYROL, M. Z. Epidemiologia e saúde. 5. ed. Rio de Janeiro: MEDSI, 2013.

SANTOS, M. F. S.; FÉLIX, L. B.; MORAIS, E. R. C. Representações sociais de juventude em uma comunidade quilombola do Agreste Pernambucano. Psico, Porto Alegre, v. 43, n. 4, p. 524-32, out./dez. 2012.

SANTOS, R. E. O marxismo e a questão racial no Brasil: reflexões introdutórias. Lutas Sociais, São Paulo, v. 19, n. 34, p. 100-13, jan./jun. 2015.

SILVA, J. A. Novaes da. Condições sanitárias e de saúde em Caiana dos Crioulos, uma comunidade Quilombola do Estado da Paraíba. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 111-24, maio/ago. 2007.

SILVA, R. A.; MENEZES, J. A. Reflexões sobre o uso de álcool entre jovens quilombolas. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 28, n. 1, p. 84-93, 2016a.

SILVA, R. A.; MENEZES, J. A. Os significados do uso de álcool entre jovens quilombolas. Revista Latinoamericana de Ciencias Sociales, Niñez y Juventud, Manizales, Colombia, v. 14, n. 1, p. 493-504, 2016b.

SOARES, F. J. et al. Análise dos motivos dos jovens e adultos consumirem álcool. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, Jaboatão dos Guararapes, PE, v. 11, n. 35, p. 554-66, 2017.

SOUZA, D. O.; SILVA, S. E. V.; SILVA, N. O. Determinantes sociais da saúde: reflexões a partir das raízes da “questão social”. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 44-56, 2013.

VAREJÃO, V. A. et al. Fortalecimento da identidade e da autonomia da comunidade: um enfoque na saúde. In: SEMINÁRIO DO PROJETO INTEGRALIDADE: SABERES E PRÁTICAS NO COTIDIANO DAS INSTITUIÇÕES DE SAÚDE, 6., 2006. Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ABRASCO, 2006. p. 119-26.

XAVIER, L. C. A visão da feminilidade sobre os cuidados em saúde dos quilombos contemporâneos. In: BATISTA, L. E.; WERNEK, J.; LOPES, F. (Org.). Saúde da população negra. Brasília, DF: ABPN – Associação Brasileira de Pesquisadores Negros, 2012. p. 204-21.

Publicado
2020-01-28