Uso e aplicações medicinais da mamorana (<em>Pachira aquatica</em> Aublet) pelos ribeirinhos de São Lourenço, Igarapé-Miri, estado do Pará, Amazônia

Palavras-chave: Mamorana, Planta Medicinal, Ribeirinhos, Baixo Tocantins, Amazônia.

Resumo

A pesquisa objetivou fazer um levantamento sobre o uso e as aplicações medicinais da mamorana (Pachira aquatica Aublet) pelos ribeirinhos do Baixo Rio São Lourenço, Distrito de Maiauatá, município de Igarapé-Miri, estado do Pará. O público-alvo da pesquisa compreende onze (11) ribeirinhos que têm maior idade em seu núcleo familiar, sendo de famílias diferentes, tendo históricos do uso de plantas. Foram registrados nove (9) tipos diferentes de indicações e/ou usos da Pachira aquatica Aublet, a qual é utilizada para dor de ouvido, tratamento de colesterol, diabetes, escabiose (“curuba”), inflamação e hematoma nos olhos, “carne crescida” nos olhos e conjuntivite, além de ser usada para tingir redes de lancear

 

 

Biografia do Autor

Gracilene Ferreira Pantoja, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Cidades, Territórios e Identidades (PPGCITI) na Universidade Federal do Pará (UFPA), Campus Universitário de Abaetetuba, com vínculo à linha de pesquisa: Políticas Públicas, Movimentos Sociais e Territórios. Graduada em Educação do Campo, com ênfase em Ciências Naturais − Licenciatura −, pela UFPA, Campus Universitário de Abaetetuba. Integrante do Grupo de Estudos sobre a Biodiversidade e Sustentabilidade na Amazônia Tocantina e do Grupo de Pesquisa Desenvolvimento Rural e Inovação Sociotécnica (Dris). Experiência com temas relacionados à Educação do Campo; Etnobotânica; Ensino de Ciências Naturais; Agricultura Familiar; Cartografia Social; Territorialidade; Políticas Públicas socioambientais.

 

Yvens Ely Martins Cordeiro, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutorado em Ciências Agrárias, área de concentração em Agroecossistemas da Amazônia, pelo Convênio Ufra/Embrapa. Mestrado em Ciências Agrárias, área de concentração em Biologia Vegetal Tropical pela Universidade Federal Rural da Amazônia. Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Experiência na área de Meio Ambiente e Educação no Campo. Professor adjunto II, da UFPA, atuando principalmente em pesquisa, ensino e extensão na área da Educação no Campo, especificamente com temas relacionados às práticas agroecológicas na agricultura familiar. Experiência na área da territorialidade, espaços escolares rurais, etnoconhecimento, educação ambiental e tecnologias para o campo.

Sebastião Gomes Silva, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutorando e mestre em Química Orgânica pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Especialista em Aplicabilidade de Novas Tecnologias como Ferramentas Pedagógicas para o Ensino de Ciências (Química e Física) e graduado em Ciências Naturais/Química pela UFPA. Professor efetivo, classe II, da Rede Estadual de Ensino do estado do Pará (Seduc-Pará). Atua na área de Química, com ênfase em Química de Produtos Naturais e Informática Educativa, principalmente nos seguintes temas: extração de óleos essenciais por hidrodestilação, arraste a vapor, destilação e extração simultânea, análise por cromatografia gasosa/espectrômetro de massa, além de testes biológicos e busca por aplicações dos óleos essenciais nas indústrias.

Ronaldo Lopes de Sousa, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutorado em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Professor adjunto I da UFPA, no Curso de Licenciatura em Educação do Campo − Ciências Naturais. Experiência na área de Animal, com ênfase em Ciências Biológicas, Etnobotânica, Virologia e Biologia Molecular.

Referências

ABÍLIO, G. M. F. Plantas Medicinais. In: MEDEIROS, G. M.; ARAÚJO, L. F. (Org.). Cadernos de Licenciatura em Ciências Agrárias/Universidade Aberta do Brasil/Universidade Federal da Paraíba; Centro de Ciências Humanas Sociais e Agrárias. Bananeiras: Editora Universitária/UFPB, 2011. v. 6. Caderno Especial 03.

ALMEIDA, M. Z. Plantas Medicinais. 3. ed. Salvador: EDUFBA, 2011.

BÔAS, L. M. S. V. Saber popular e o saber científico: um diálogo intercultural possível no cuidado ribeirinho. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA, 5., 12-14 de julho de 2016. Porto, Portugal. Atas [...]. Porto: Ciaiq, 2016. v. 2.

BRAGA, C. M. Histórico da utilização de plantas medicinais. 2011. 24 f. Monografia (Licenciatura em Ciências Biológicas) − Consórcio Setentrional de Educação a Distância, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Disponível em: http://andromeda.ensp.fiocruz.br/etica/sites/default/files/documentos/Res%20466_2012.pdf. Acesso em: 3 maio 2018.

BRASIL. Decreto n. 6.040, de 7 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6040.htm. Acesso em: 30 set. 2018.

CHENG, L. Y.; CHEN, L. C; LIAO, H. R.; WANG, S. W.; KUO, Y. H.; CHUNG, M. I.; CHEN, J. J. Naphthofuranone derivatives and other constituents from Pachira aquatica with inhibitory activity on superoxide anion generation by neutrophils. Fitoterapia, v. 117, p. 16-21, 2017.

COUTO-WALTRICH, C; BOFF, P.; BOFF, M. I. C. Etnoconhecimento associado às amoreiras-brancas (Rubus spp.) ocorrentes na Floresta Ombrófila Mista, Santa Catarina, Brasil. Revista de la Facultad de Agronomía, La Plata, v. 116, n. 1, p. 13-18, 2017.

ELISABETSKY, E. Etnofarmacologia. Ciência e Cultura, v. 55, n. 3, p. 35-36, 2003.

FONSECA, D. J. S.; RIBEIRO, I. C.; COSTA, J. M. Plantas medicinais usadas pelos moradores da Vila de Beja. In: CONGRESSO NACIONAL DE BOTÂNICA, 64., 10-15 novembro de 2013, Belo Horizonte. Anais [...]. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. DE S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss de Lexicografia; Banco de Dados da Língua Portuguesa S/C Ltda; Objetiva Ltda., 1999.

INFANTE-MATA, D.; MORENO-CASASOLA, P.; MADERO-VEGA, C. ¿Pachira aquatica, un indicador del límite del manglar? Revista Mexicana de Biodiversidad, v. 85, n. 1, p. 143-60, 2014.

JORGE, S. S. A. Plantas medicinais: coletânea de saberes. Viçosa: Esuv, 2009.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. São Paulo: Nova Odessa/Plantarum Ltda., 1992.

PANTOJA, G. F.; PINHEIRO, E. S.; SANTOS, L. R.; SILVA, L. M. S. Escola do campo e o universo de famílias rurais. In: OLIVEIRA, M. R. D.; SILVA, L. M. S.; RAMOS, G. L. A. (Org.). Práticas de pesquisa e realidade camponesa. Rio de Janeiro: Autografia, 2018. p. 176-207.

PEIXOTO, A. L.; ESCUDEIRO, A. Pachira aquatica (Bombacaceae)M na obra “História dos Animais e Árvores do Maranhão” de Frei Cristóvão de Lisboa. Rodriguésia, v. 53, n. 82, p. 123-30, 2002.

PEREIRA, M. G. S.; COELHO-FERREIRA, M. Uso e diversidade de plantas medicinais em uma comunidade quilombola na Amazônia Oriental, Abaetetuba, Pará. Biota Amazônia, p. 57-68, 2017.

PESCE, C. Oleaginosas da Amazônia. 2. ed. Belém: Museu Paraense Emílio Goeld, 2009.

PINTO, L. DO N. Plantas medicinais utilizadas em comunidades do município de Igarapé-Miri, Pará- Etnofarmácia no município de Igarapé-Miri-PA. Belém: PPGCF/UFPA, 2008.

SANTOS, J. J. F.; COELHO-FERREIRA, M.; LIMA, P. G. C. Etnobotânica de plantas medicinais em mercados públicos da Região Metropolitana de Belém do Pará, Brasil. Biota Amazônia, v.8, n. 1 p. 1-9, 2018.

SANTOS, R. S.; COELHO-FERREIRA, M. Miriti artifacts (Mauritia flexuosa L. f.) in Abaetetuba, Pará State, Brazil: from production to marketing.Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 6, p. 559-71, out. 2011.

SANTOS-SILVA, J. P. G.; OLIVEIRA, P. C. Etnobotânica de plantas medicinais na comunidade de várzea Igarapé do Costa, Santarém-Pará, Brasil. Revista del Doctorado Interinstitucional en Ciencias Ambientales, v. 6. p. 136-51, 2016.

SILVA, Amanda Stefanie Sérgio da. Etnoconhecimento sobre plantas medicinais e inter-relações com o meio ambiente na comunidade do Catu, Canguaretama (RN, Brasil). 2018. 81f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/25517

SILVA, D. B.; LEMOS, B. S. Plantas da área verde da Super Quadra Norte 416 − Brasília. Brasília: Embrapa, 2002.

SILVA, S. M. G.; NASCIMENTO, K. G. S.; FRAXE, T. J. P.; BRAGA, P. I. S. A “saúde” nas comunidades focais do projeto Piatam: o etnoconhecimento e as plantas medicinais. In: FRAXE, T. J. P.; PEREIRA, H. S.; WITKOSKI, A. C. (Org.). Comunidades ribeirinhas amazônicas: modos de vida e uso dos recursos naturais. Manaus, AM, Brasil: Reggo, Edições, 2011.

SEBEM, E.; MONGUILHOTT, M. Curso de Cartografia Básica, GPS e ArcGIS. Santa Maria: Colégio Politécnico da UFSM/RS, 2010. 228 p.

Publicado
2020-09-16