A população urbana e a difusão das cidades de porte médio no Brasil

  • Cristiano Stamm Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Toledo, PR
  • Jefferson Andronio Ramundo Staduto Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Toledo, PR
  • Jandir Ferrera de Lima Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Toledo, PR
  • Yonissa Marmitt Wadi Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Toledo, PR
Palavras-chave: cidades de porte médio, sistema urbano, Brasil.

Resumo

O presente artigo mostra a evolução das cidades de porte médio no Brasil entre os períodos de 1970 a 2010.A desconcentração industrial, a mobilidade da fronteira agrícola e os investimentos em infraestrutura que integraramo interior do Brasil à dinâmica da economia nacional são apontados como os responsáveis pela dispersão espacialda população brasileira. As cidades de porte médio têm uma posição estratégica potencial para a continuidade dadesconcentração regional no Brasil. Além disso, elas têm induzido principalmente a difusão de atividades maismodernas por todo território nacional e, consequentemente, uma maior distribuição da população no sistemaurbano brasileiro. A recente emergência dessas cidades no cenário nacional cria condições de implementar projetosde planejamento urbanos para que não ocorram ou se minimizem os problemas decorrentes da urbanização, quena história recente causaram e ainda são problemas de difícil solução nas grandes aglomerações populacionais,tais como as metrópoles.

Referências

AMORIM FILHO, O. Cidades médias do Brasil. Revista Geografia e Ensino, Belo Horizonte, v. 3, n. 2, 1984.

AMORIM FILHO, O.; SERRA, R. V. Evolução e perspectivas do papel das cidades médias no planejamento urbano e regional. In: ANDRADE, T. A.; SERRA, R. V. Cidades médias brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2001. p. 1-34.

ANDRADE, T. A.; LODDER, C. Sistema urbano e cidades médias no Brasil. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1979. (Coleção Relatórios de Pesquisa, 43).

ANDRADE, T. A.; SERRA, R. V. Distribuição espacial do emprego e do produto industrial na década de 90: possibilidades atuais para a sua investigação. In: ANDRADE, T. A.; SERRA, R. V. (Org.). Cidades médias brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2001a. p. 337-393.

______. O desempenho das cidades médias no crescimento populacional brasileiro no período 1970/2000. In: ANDRADE, T. A.; SERRA, R. V. (Org.). Cidades médias brasileiras. Rio de Janeiro: IPEA, 2001b. p. 129-170.

BERNARDES, Adriana. Cidades médias. In: SANTOS, Milton. Construção da nação: ocupação do território. COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GEOCRÍTICA, 5., 2003, Barcelona. Anais... Disponível em: <http://www.mre.gov.br/cdbrasil/itamaraty/web/ port/consnac/ocupa/procurb/cmedias/index.htm>. Acesso em: 12 jul. 2004.

BRAGA, R. Cidades médias e aglomerações urbanas no Estado de São Paulo: novas estratégias de gestão territorial. In: ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 10., Anais... São Paulo, 2005.

BRITO, F.; HORTA, C. J. G.; AMARAL, E. F. L. A urbanização recente no Brasil e as aglomerações metropolitanas. Trabalho publicado pela Associação Brasileira de Estudos Populacionais – ABEP – GT Migração, 2001. Disponível em: <http://www.abep.org.br/ usuario/GerenciaNavegacao.php?caderno_id=362&nivel=1&texto_id=2092>. Acesso em: 18 dez. 2004.

CASTELLS, M. A questão urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

CHRISTALLER, W. Central place in southern Germany. New Jersey: Prentice-Hall, 1966. (Original publicado em alemão em 1933).

DINIZ, C. C. Desenvolvimento poligonal no Brasil: nem desconcentração, nem contínua polarização. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 35-64, set. 1993.

FERRERA DE LIMA, J. La diffusion spatiale du développement économique régional:L’analyse des composantes et de la forme de la diffusion spatiale au Sud du Brésil au XXe siècle. 2004. Thèse (Doctorat en Développement Régional) - DSH/Université du Québec à Chicoutimi, Saguenay. Disponível em: <http://www.irec.net/01fr_rechercheaffiche.php3?518>.

FRIEDMAN, J. A General Theory of Polarized Development. In: HANSEN, N. (Ed.). Growth Centres in Regional Development. New York: The Free Press, 1972. p. 29-41.

GEDDES, P. Cidades em evolução. Campinas, SP: Papirus, 1994. (Coleção Ofício de Arte e Formas).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Sinopse do Censo Demográfico de 2010. Brasil. Disponível em: <http://www.censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index.php?dados=12&uf= 00>. Acesso em: 30 nov. 2011a.

______. Estimativas das populações dos municípios em 2011. Rio de Janeiro: IBGE, 2011b. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza. php?id_noticia=1961&id_pagina=1>. Acesso em: 26 ago. 2012.

______. Estatísticas do século XX, 2003. CD-ROM.

______. Sistema de informações recuperadas georeferenciadas – Estatcart: base de informações. Rio de Janeiro: IBGE, 2002. CD-ROM.

______. Censo Demográfico. Rio de Janeiro: IBGE, 1970, 1980, 1991 e 2000.

IPEA/UNICAMP.IE.NESUR/IBGE (Org.). Caracterização e tendências da rede urbana do Brasil. Campinas, SP: Unicamp.IE, 1999. (Coleção Pesquisas, 3).

KON, A. Novas territorialidades: transformações nas hierarquias econômicas regionais. Revista Pesquisa e Debate, São Paulo, v. 10, n. 1(15), p. 42-76, 1999.

KRUGMAN, P. Increasing returns and economic geography. Journal of Political Economy, Washington (DC), n. 99, p. 483-499, 1991.

KRUGMAN, Paul; VENABLES, Anthony; FUJITA, Masahisa. Economia espacial. São Paulo: Futura, 2004.

LACOUR, C.; GASCHET, F. Métropolisation, centre et centralité. Revue d’Économie Régionale et Urbaine (RERU), Bordeaux, n. 1, p. 49-72, 2002.

LIMA, R. S. Expansão urbana e acessibilidade: o caso das cidades médias brasileiras. 1998. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, Escola de Engenharia de São Carlos, São Carlos, SP.

MARICATO, E. Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.

PEREIRA, A. M. A propósito das cidades médias: algumas considerações sobre Montes Claros. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL CIDADES MÉDIAS: DINÂMICA ECONÔMICA E PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO (CIMDEPE), 1., Anais... Presidente Prudente: Unesp, 2005.

PERROUX, François. O conceito de polo de crescimento. In: SCHWARTZMAN, Jacques (Org.). Economia regional: textos escolhidos. Belo Horizonte: Cedeplar/Cetrede-Minter, 1977. p. 145-155.

SANTOS, M. A região cresce mais que a metrópole. In: SANTOS, Milton. Por uma economia política da cidade. São Paulo: Hucitec/Editora PUC-SP, 1994. p. 53-77.

SILVEIRA, R. L. L. Cidade, corporação e periferia urbana: acumulação de capital e segregação espacial na (re) produção do espaço urbano. Santa Cruz do Sul, RS: EDUNISC, 2003.

STAMM, Cristiano. Determinantes do movimento de trabalhadores pendulares na aglomeração urbana do nordeste do Rio Grande do Sul: uma análise a partir dos transportes coletivos. 2013. Tese (Doutorado em Planejamento Urbano e Regional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS.

______. O fenômeno dos movimentos pendulares dos trabalhadores intermunicipais entre cidades de porte médio: o caso de Cascavel e Toledo (PR). 2005. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Agronegócio) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Toledo, PR.

Publicado
2015-12-09