Desenvolvimento Local e a expansão de empresas multinacionais. Discussão a partir de dois municípios de Mato Grosso do Sul, Brasil

Palavras-chave: desenvolvimento, impacto, mobilização.

Resumo

O presente estudo discute impactos da implantação de um empreendimento global agroalimentar, mediante investimento direto, em dois municípios do Sudeste de Mato Grosso do Sul. O ensaio utiliza entrevistas de campo e dados socioeconômicos. Aponta-se para a oportunidade de uma ideia de Desenvolvimento Local que fomente um tecido social participativo e autônomo diante dos desafios do mundo contemporâneo.

Biografia do Autor

Antonio Hilário Aguilera Urquiza, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
Professor Adjunto da UFMS, e da Pós-graduação em ANTROPOLOGIA SOCIAL (UFMS), assim como da Pós-graduação em Direitos Humanos (FADIR/UFMS).
Josemar de Campos Maciel, Universidade Católica Dom Bosco
Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Desenvolvimento Local da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), do Master in Territorial Development Erasmus Mundus e professor do curso de Licenciatura em Filosofia da UCDB.

Referências

AGUILERA URQUIZA, Antonio Hilário (Coord.). Estudo sociocultural e econômico sobre a realidade atual dos municípios de Ivinhema e Angélica e projeções sobre os impactos do empreendimento ADECOAGRO na região. Campo Grande, MS: Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, nov. 2014. 53 p.

APPADURAI, Arjun. Modernity at large. Cultural dimensions of globalization. Minneapolis and London: University of Minnesota Press, 1996.

ARAÚJO, Tania Bacelar; SANTOS, Valdeci Monteiro. Desigualdades regionais e Nordeste em “Formação Econômica do Brasil”. In: ARAÚJO, Tarcísio Patricio; VIANNA, Salvador Teixeira Werneck; MACAMBIRA, Júnior (Org.). 50 anos de “Formação Econômica do Brasil”. Ensaios sobre a obra clássica de Celso Furtado. Rio de Janeiro: IPEA, 2009. p. 177-200.

ÁVILA, Vicente Fideles de. Cultura de Sub/Desenvolvimento e Desenvolvimento Local. Sobral: UVA, 2006.

BARQUERO, Antonio Vásquez. Desenvolvimento endógeno em tempos de globalização. Porto Alegre: Fundação de Economia e Estatística, 2002.

BRASSIER, Ray. Prometheanism and its critics. In: MACKAY, Robin; AVANESSIAN, Armen (Org.). Accelerate. The accelerationism reader. Falmouth, UK: Urbanomic, 2014. p. 467-88.

BELLINGIERI, Julio Cesar. Teorias do desenvolvimento regional e local: uma revisão bibliográfica. Revista de Desenvolvimento Econômico – RDE, Salvador, ano XIX, v. 2, n. 37, p. 6-34, ago. 2017.

BESSA, Kelly Cristine. Reestruturação da rede urbana brasileira e cidades médias: o exemplo de Uberlândia (MG). Caminhos de Geografia, cidade, v. 24, n. 6, p. 268-88, out. 2005. Disponível em: http://www.ig.ufu.br/revista/caminhos.html. Acesso em: 15 fev. 2018.

BITTAR, Fernando Shigueo Omoto; BASTOS, Livia Tiemi; MOREIRA, Vivian Lemes. Reflexões sobre o empreendedorismo: uma análise crítica na perspectiva da economia das organizações. Revista de Administração da UFSM, Santa Maria, v. 7, n. 1, p. 65-80, mar. 2014.

BOWEN, Francis. After Greenwashing: symbolic Corporate Environmentalism and Society. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 2014.

BRESSER-PEREIRA. Luis Carlos. Economia brasileira: uma introdução crítica. São Paulo: Edições 34, 1997.

CALDEIRA, Jorge. História da riqueza no Brasil: Cinco séculos de pessoas, costumes e governos. São Paulo: Estação Brasil, 2017.

COLLIER, David. Think like a commoner: a short introduction to the life of the commons. Gabriola Island, Canada: New Society Publisher, 2014.

CRAIG, Martin. On ‘The Other Crisis’: Diagnosing the socio-ecological crisis. In: HAY, Colin; HUNT, Tom (Ed.). The coming crisis. Sheffield, UK: Palgrave Macmillan, 2018. p. 17-24.

DELGADO, Guilherme. Terra e mão de obra em “Formação econômica do Brasil”. In: ARAÚJO, Tarcísio Patricio; VIANNA, Salvador Teixeira Werneck; MACAMBIRA, Júnior (Org.). 50 anos de “Formação Econômica do Brasil”: Ensaios sobre a obra clássica de Celso Furtado. Rio de Janeiro: IPEA, 2009. p. 229-45.

DERRIDA, Jacques. Le monolinguisme de l'autre ou la prothèse d'origine. Paris: Galilée, 1996.

DÖRRE, Klaus; LESSENICH, Stephan; ROSA, Hartmut (Org.). Sociology, capitalism, critique. London; New York: Verso, 2015.

DOWBOR, Ladislau. Poder Local. Imperatriz, MA: Etica, 2016.

EISENSTADT, Samuel. Tradition, change, and modernity. New York: Wiley, 1973.

ESCOBAR, Arturo. Encountering development: the making and unmaking of the third world. 3. ed. Princeton, NJ: Princeton University Press, 1995.

FAIRCLOUGH, Isabella; FAIRCLOUGH, Norman. Political discourse analysis: a method for advanced students. London; New York: Taylor and Francis, 2012.

FRANK, André Gunder. Capitalism and Underdevelopment in Latin America: historical Studies of Chile and Brazil. New York; London: Monthly Review Press, 1969.

FREITAS, Elisa Pinheiro de; ROSSINI, Rosa Ester; QUEIRÓS, Margarida. O poder das empresas transnacionais sobre o território brasileiro. Reflexões a partir do sector sucroenergético. In: COLOQUIO INTERNACIONAL DE GEOCRÍTICA EL CONTROL DEL ESPACIO Y LOS ESPACIOS DE CONTROL, 13., Barcelona, 5-10 de maio de 2014. Anais [...]. Barcelona, 2014. p. 1-21.

GARCIA, Junior Ruiz; LIMA, Divina Aparecida Leonel Lunas; VIEIRA, Adriana Carvalho Pinto. A nova configuração da estrutura produtiva do setor sucroenergético brasileiro: panorama e perspectivas. Revista de Economia Contemporânea. Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, p. 162-84, jan./abr., 2015.

HARRISON, Graham. Neoliberal Africa. The Impact of Global Social Engineering. London; New York: Zed Books, 2010.

HAY, Colin. The normalizing role of rationalist assumptions in the institutional embedding of neoliberalism. Economy and Society, v. 33, n. 4, p. 500-27, 2004.

HAY, Colin; MARSH, David (Ed.). Demystifying globalization. London: Macmillan Press, 2000.

HAY, Colin. The failure of anglo-liberal capitalism. Basingstoke: Palgrave Macmillan, 2013.

HEROD, Andrew. Scale. Abingdon, Oxon, UK.: Routledge, 2011. 294 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). O Brasil em síntese – Municípios: Angélica. IBGE, [s.d.]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ms/angelica/panorama. Acesso em: 16 fev. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). O Brasil em Síntese – Municípios: Ivinhema. IBGE, [s.d.]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ms/ivinhema/panorama. Acesso em: 16 fev. 2018.

KATUNARIČ, Vjeran. Evolution, globalization and developmental hybrids. Teorija in Praksa, v. 51, número especial, p. 107-30, 2014.

KLEVER, Lucas de Oliveira. Passado e Presente: Projeto político e escrita da história na marcha para oeste. In: ENCONTRO DE PESQUISAS HISTÓRICAS, 3., Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: PPGH/PUCRS, 2016. p. 217-28. Disponível em: www.ephispucrs.com.br. Acesso em: 17 fev. 2018.

MATHUR, Hari Mohan (Ed.). Assessing the social impact of development projects. Experience in India and other Asian Countries. New Delhi: Springer, 2016.

McCANN, Gerard; McCLOSKEY, Stephen (Ed.). From the local to the global. Key issues in development studies. London: Pluto Books, 2015.

MIGNOLO, Walter D. Local histories/global designs: coloniality, subaltern knowledges, and border thinking. Princeton, NJ: Princeton University Press, 2012.

PEET, Richard; HARTWICK, Elaine. Theories of development. Contentions, arguents, alternatives. New York; London: The Guilford Press, 2015. Third Edition.

PEREIRA, Eliane M. C. Manso. O estado novo e a marcha para o oeste. História Revista, Goiânia, v. 2, n. 1, p. 113-29, jan./jun., 1997.

PFETSCH, Frank R.; LANDAU. Alice, Symmetry and asymmetry in international negotiations. International Negotiation 5, Amsterdam: Kluwer Academic, 2000, p. 21-42.

PIETERSEE, Jan Nederveen. After post-development. Third World Quarterly, v. 21, n. 2, p. 175-91, abr. 2000.

RADOMSKY, Guilherme Francisco Waterloo. Pós-desenvolvimento, indicadores e culturas de auditoria: reflexões críticas sobre governança e desenvolvimento. Ciências Sociais Unisinos, v. 49, n. 2, p. 155-63, maio/ago. 2013.

RAFFER, Kunibert. Unequal exchange and the Evolution of the World System. Reconsidering the impact of trade in the North-South relations. New York: Palgrave Macmillan, 1987.

RIGON, Osmar; SANT'ANA, Thiago César Frediani. Os papéis das pequenas cidades no contexto atual da rede urbana brasileira: um ensaio sobre a região da AMUSEP. Revista Percurso – NEMO, Maringá. v. 5, n. 1, p. 157-77, 2013.

RIST, Gilbert. The story of development. From western origins to global faith. 3. ed. Tradução de Patrick Camiller. London; New York: Zed Books, 2014.

ROSA, Hartmut. Social acceleration. A new theory of modernity. New York, Chichester, West Sussex: Columbia University Press, 2013.

SAUER, Sergio; LEITE, Sergio Pereira. Expansão agrícola, preços e apropriação de terra por estrangeiros no Brasil. RESR, Piracicaba, v. 50, n. 3, p. 503-24, jul./set. 2012.

SILVA FILHO, Edison Benedito. Trajetória recente do investimento estrangeiro direto e em carteira no Brasil. Boletim de economia e política internacional BEPI, n. 19, p. 5-20 .jan./abr. 2015.

TEIXEIRA, Jodenir Calixto. Os efeitos socioespaciais da expansão canavieira na bacia hidrográfica do Rio Ivinhema no Estado de Mato Grosso do Sul. Tese de Doutoramento em Geografia. Universidade Estadual Paulista. Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente, SP, 2015.

VALENCIA, Adrián Sotelo. Sub-imperialism revisited. Dependency theory in the thought of Ruy Mauro Marini. Leiden and Boston: Brill, 2017. p. 131-150.

VALLEJO-ALONSO, Belén; RODRÍGUEZ-CASTELLANOS, Arturo; ARREGUY-AVASTUY, Gerardo (Ed.). Identifying, Measuring, and Valuing Knowledge-Based Intangible Assets: New Perspectives. Hershey and New York: Business Science Reference, 2011.

VILLAS BÔAS, Orlando; VILLAS BÔAS. Cláudio, A marcha para o oeste. A epopeia da expedição Roncador-Xingu. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

VON RÉTYI, Andreas, Georges Soros. Der Multimilliardär, sein Globales Netzwerk und das Ende der Welt, wie wir sie kennen. Rottemburg: Kopp Verlag, 2016.

Publicado
2019-11-05