Princípios de economia circular para o desenvolvimento de produtos em arranjos produtivos locais

Palavras-chave: arranjos produtivos locais, economia circular, desenvolvimento de produtos, sustentabilidade, ciclo de vida.

Resumo

Diante das ações globais de expansão de estratégias de produção e consumo sustentáveis, este artigo objetiva agregar princípios de economia circular no processo de desenvolvimento de produtos em arranjos produtivos locais. A metodologia contemplou uma revisão sistemática da literatura e análises documentais, possibilitando, a partir da identificação das particularidades dos arranjos, a composição de um modelo de desenvolvimento de produtos orientado ao pensamento do ciclo de vida e à economia circular.

Biografia do Autor

Fábio Ribeiro de Oliveira, Universidade Federal Fluminense. Escola de engenharia. Doutorado em Sistemas de Gestão Sustentáveis.
Doutor em Sistemas de Gestão Sustentáveis (UFF). Mestre em Sustentabilidade Socioeconômica Ambiental (UFOP). Graduado em Engenharia Ambiental (UFOP) e especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho (Faculdade Pitágoras). Experiência profissional como engenheiro ambiental e de segurança do trabalho. Atuação acadêmica como tutor no curso de Administração Pública (CEAD/UFOP). Professor em cursos técnicos em meio ambiente e química do (SENAI CETIQT). Professor no curso técnico de segurança do trabalho, tecnólogo em gestão de recursos humanos e na pós graduação em engenharia de segurança do trabalho (IF Sudeste/MG). Avaliador de periódicos científicos nacionais e internacionais.
Sergio Luiz Braga França, Universidade Federal Fluminense. Escola de engenharia. Doutorado em Sistemas de Gestão Sustentáveis.
Doutor em Engenharia Civil (UFF), ênfase em Gestão, Produção, Qualidade e Desenvolvimento Sustentável. Graduado em Engenharia Civil (UFF). Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho (UFF). Professor Associado I do Departamento de Engenharia Civil (UFF). Coordenador do Núcleo de Inovação e Tecnologia para a Sustentabilidade (NITS/UFF). Professor credenciado no Programa de Pós Graduação em Sistemas de Gestão (LATEC/UFF). Membro da Comissão Organizadora do Congresso Nacional de Excelência em Gestão (CNEG). Avaliador de periódicos científicos nacionais e internacionais. Desde 2004 atua em projetos de P&D nas áreas de Sustentabilidade, Qualidade, Meio Ambiente, Responsabilidade Social e Segurança do Trabalho.
Luís Alberto Duncan Rangel, Universidade Federal Fluminense. Escola de engenharia. Doutorado em Sistemas de Gestão Sustentáveis.
Doutor em Engenharia de Produção (UFRJ-2002), Mestre em Engenharia de Produção (UFF-1995), Graduado em Engenharia Mecânica (UCP-1985). Pós-Doutorado na Universidade de Zaragora na Espanha (2010). Engenheiro da Companhia Siderúrgica Nacional (1986-1993). Professor da UFF desde 1993. Atualmente é Professor Associado do Departamento de Engenharia de Produção da Unidade de Volta Redonda. Bolsista de Produtividade do CNPq (2004-2018). Participação da Comissão do INEP na elaboração da prova do ENADE em Engenharia de Produção (2014-2016), e de Engenharia Geral (2017-2018). Avaliador do INEP de Cursos de Graduação em Engenharia de Produção de 2006. Responsável pelo Grupo de Pesquisa do CNPq, “Teoria, Aplicação e Ensino de Pesquisa Operacional” desde 2005. Professor credenciado no Programa de Pós Graduação em Sistemas de Gestão (LATEC/UFF).

Referências

ABRAMOVAY, R. Inovações para que se democratize o acesso à energia, sem ampliar as emissões. Ambiente & Sociedade. São Paulo, v. 17, n. 3, p. 01-18, jul./set. 2014.

ALFOS, C.; PAGÈS-XATART-PARÈS, X. De l’idée au marché: L'ITERG renforce ses activités dans la chimie verte avec la plateforme CEDOP, Centre européen de développement des oléo-produits. OCL - Oleagineux Corps Gras Lipides, v. 19, n. 1, p. 54-8, 2012.

ANTERO, C. A. S.; TAVARES, B.; ANTONIALLI, L. M.; GAVA, R. Modelo analítico para a compreensão da governança em arranjos produtivos locais (APLs). Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, SP, v. 12, n. 3, p. 371-96, set./dez. 2016.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS (ABNT). ABNT ISO/TR 14062/2004. Gestão ambiental: Integração de aspectos ambientais no projeto e desenvolvimento do produto. Rio de Janeiro: ABNT, 2004.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E ENGENHARIA DAS EMPRESAS INOVADORAS (ANPEI). Como alavancar a inovação tecnológica nas empresas. São Paulo: ANPEI, 2004.

AZEVEDO, P. S.; NOLASCO, A. M. Fatores de incorporação de requisitos ambientais no processo de desenvolvimento de produtos em indústrias de móveis sob encomenda. Ciência Rural, Santa Maria, RS, v. 39, n. 8, p. 2422-7, nov. 2009.

BENUR, A. M.; BRAMWELL, B. Tourism product development and product diversification in destinations. Tourism Management, v. 50, p. 213-24, 2015.

BUXTON, N. COP 21 charades: spin, lies and real hope in Paris. Globalizations, v. 13, n. 1, p. 934-7, 2016.

CABRERA, L. C.; SCHULTZ, G.; TALAMINI, E. Limites e oportunidades para a construção de um Arranjo Produtivo Local (APL): a experiência do projeto Balde Cheio em Mato Grosso do Sul. Interações, Campo Grande, MS, v. 18, n. 4, p. 19-30, out./dez. 2017.

CASSIOLATO, J.; LASTRES H.; SZAPIRO, M. Arranjos e sistemas produtivos locais e proposições de políticas de desenvolvimento industrial e tecnológico. NT 27 - Projeto de pesquisa arranjos e sistemas produtivos locais e as novas políticas. Rio de Janeiro, 2000. Disponível em: http://www.ie.ufrj.br/redesist/P2/textos/NT27.PDF. Acesso em: 25 out. 2019.

COSTA, E. S.; BITANTE, A. P.; BRITTO, L. C.; PINHEIRO, L. R. D.; FARINA, M. C. Análise das relações e ações conjuntas entre as empresas do APL têxtil da região metropolitana de São Paulo: contribuições para o seu crescimento. Interações, Campo Grande, MS, v. 19, n. 2, p. 401-15, abr./jun. 2018.

CUNHA, J. A. C.; TERRA, L. A. A. Diferenciando os clusters dos arranjos produtivos locais. Ciências Sociais Aplicadas em Revista, Marechal Cândido Rondon, PR, v. 8, n. 15, p. 09-25, 2º sem. 2008.

DAS, R. Cluster development initiative for poverty alleviation: a case study. Journal of Rural Development. v. 34, n. 3, p. 391-403, jul./set. 2015.

DINIS, A.; KRAKOVER, S. Niche tourism in small peripheral towns: the case of Jewish Heritage in Belmonte, Portugal. Tourism Planning & Development, v. 13, n. 3, p. 310-32, 2015.

EUROPEAN COMMISSION. Closing the loop – an EU action plan for the Circular Economy. 2015. Disponível em: https://eur-lex.europa.eu/legal-content/EN/TXT/?uri=CELEX:52015DC0614. Acesso em: 4 dez. 2017.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GIL, A. Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

HOFFMANN, W. H.; SCHLOSSER, R. Success factors of strategic alliances in small and medium-sized enterprises an empirical survey. Long Range Planning, v. 34, n. 3, p. 357-81, 2001.

HU, T.-S.; LING, C. Y.; CHANG, S.-L. Technology-based regional development strategies and the emergence of technological communities: a case study of HSIP, Taiwan. Technovation, v. 25, n. 4, p. 367-80, abr. 2005.

KACHBA, Y. R.; HATAKEYAMA, K. Estratégias de inovação em APLs: viés para o desenvolvimento de produtos de moda. Produção, São Paulo, v. 23, n. 4, p. 751-61, out./dez. 2013.

LEITÃO, A. Economia circular: uma nova filosofia de gestão para o século XXI. Portuguese Journal of Finance, Management and Accounting, Aveiro, Portugal, v. 1, n. 2, p. 149-71, 2015.

MALAGUTI, C. Requisitos ambientais para o desenvolvimento de produtos: manual técnico. São Paulo: CSPD - Centro São Paulo Design, 2005.

MARINI, M. J.; SILVA, C. L. Desenvolvimento Regional e Arranjos Produtivos Locais: uma abordagem sob a ótica interdisciplinar. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, SP, v. 8, n. 2, p. 107-29, maio/ago. 2012.

MENDONÇA, F. M. Formação, desenvolvimento e estruturação de arranjos produtivos locais da indústria tradicional do Estado de Minas Gerais. Rio de Janeiro: UFRJ/COPPE, 2008. 324p.

NASCIMENTO, A. C. D.; VALDEZ-PIZARRO, J.; MORAES, R. R. Estratégias para o fortalecimento ambiental das micro e pequenas empresas moveleiras de Marabá. Amazônia em Foco, Edição Especial: Empreendedorismo e Sustentabilidade, v. 1, p. 23-39, 2013.

OLIVEIRA, F. R.; FRANÇA, S. L. B.; SOUZA R. G.; RANGEL, L. A. D. Requisitos ambientais incorporados ao desenvolvimento de produtos em clusters e ecoparques industriais. Espacios, Caracas, Venezuela, v. 37, n. 11, p. 9, 2016.

OLIVEIRA, F. R.; FRANÇA, S. L. B.; RANGEL, L. A. D. Challenges and opportunities for circular economy in a furniture local productive arrangement in Brazil. Resources, Conservation and Recycling, In Press, 2017. Substituir pela referência abaixo (atualizada). Foi feita a atualização ao longo do texto.

OLIVEIRA, F. R., FRANÇA, S. L. B., RANGEL, L. A. D. Challenges and Opportunities for Circular Economy in a Furniture Local Productive Arrangement in Brazil. Resources, Conservation and Recycling, v.135, p. 202-209, 2018.

ROZENFELD, H.; FORCELLINI, F. A.; AMARAL, D. C.; TOLEDO, J. C.; SILVA, S. L.; ALLIPRANDINI, D. H.; SCALICE, R.; K. Gestão de desenvolvimento de produto: uma referência para a melhoria do processo. São Paulo: Saraiva, 2006.

RUIZ-SILVERA, C.; REYES, A.; MARTÍNEZ, R. Logros e impactos en el entorno social de un proyecto de cadena productiva local en bambú. Espacios, Caracas, Venezuela, v. 31, n. 2, p. 22-6, 2010.

SACHS, I. Rumo à ecossocioeconomia: teoria e prática do desenvolvimento. Paulo Freire Vieira (Org.). São Paulo: Cortez, 2007.

SALGADO, E. G.; SALOMON, V. A. P.; MELLO, C. H. P.; FASS, F. D. M.; XAVIER, A. F. Modelos de referência para desenvolvimento de produtos: classificação, análise e sugestões para pesquisas futuras. Revista Produção Online, Florianópolis, v. 10, n. 4, p. 886-911, dez. 2010.

SILVA, M. V. Apontamentos teórico-metodológicos para o conceito geográfico “Circuito Espacial da Produção”: estudo de casos em Goiás - Mitsubishi em Catalão e Complem em Morrinhos. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 34, n. 1, p. 73-91, jan./abr. 2014.

SINGER, P. Introdução à economia solidária. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2002.

UNITED NATIONS FRAMEWORK CONVENTION ON CLIMATE CHANGE (UNFCCC). Report of the Conference of the Parties on its 21st session, held in Paris from November 30 to December 11. Ginebra: United Nations, 2015.

Publicado
2019-11-05