Desafios e contradições de um projeto solidário: o caso de uma associação de catadores de materiais recicláveis

  • Natalia Lopes Braga Universidade de Fortaleza
  • Regina Heloisa Maciel Universidade de Fortaleza
Palavras-chave: associação de trabalhadores, catadores de materiais recicláveis, trabalho.

Resumo

O trabalho objetivou descrever e analisar o funcionamento de uma associação de catadores de materiais recicláveis. Foram entrevistados seis catadores e os dados foram analisados através da análise de conteúdo. Os resultados mostraram ausência da alternância de poder, falta de autonomia por parte dos associados e baixo retorno financeiro. Ressalta-se a necessidade de práticas mais dialógicas, do desenvolvimento da autonomia dos catadores e da busca por melhorias na qualidade de trabalho dos associados.

Biografia do Autor

Natalia Lopes Braga, Universidade de Fortaleza
Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Fortaleza (2009). Especialista em Psicologia Social e Comunitária pela FATECI (2013). Mestre em Psicologia pela Universidade de Fortaleza (2015). Doutoranda em Psicologia pela Universidade de Fortaleza, início em 2015. Membro do Laboratório de Estudos sobre o Trabalho (LET), desde 2013. Coordenadora do grupo de estudos "Análise de redes sociais", do LET. Atua como colaboradora da revista científica Subjetividades (Revista do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade de Fortaleza), desde 2015. Pesquisadora trabalhando principalmente com os temas: Associações e cooperativas de trabalhadores, Redes sociais, Trabalho informal, Psicologia Social Crítica.
Regina Heloisa Maciel, Universidade de Fortaleza
Possui graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (1977), mestrado em Applied Psychology Ergonomics - University Of Wales Institute Of Science And Techonology (1981) e doutorado em Psicologia (Psicologia Experimental) pela Universidade de São Paulo (1991). Atualmente coordena o Núcleo de Estudos sobre o Trabalho e o Laboratório de Estudos sobre o Trabalho (LET) do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UNIFOR. Faz parte da Rede Observatório em Recursos Humanos, estação Ceará (ROREHS-CE) e colabora em pesquisas do Núcleo TRAMAS da Universidade Federal do Ceará e do Núcleo TRECOS da Universidade Estadual do Ceará. Editora a Revista Subjetividades (antiga Mal-estar e Subjetividade). Assessora o Sindicato dos Funcionários Públicos do Estado do Ceará e o Sindicato dos Empregados em Instituições Bancárias do Ceará. Possui experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Ergonomia, atuando principalmente nos seguintes temas: ergonomia, condições de trabalho, saúde do trabalhador, assédio moral no trabalho e burnout.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRAGA, Natalia Lopes; LIMA, Deyseane Maria Araújo; MACIEL, Regina Heloisa. Sobrevivendo só da misericórdia: a vivência de catadores de materiais recicláveis. Revista CES Psicologia, v. 9, n. 1, p. 122-34, 2016.

COUTINHO, Maria Chalfin; BEIRAS, Adriano; PICININ, Dhiancarlos; LUCKMANN, Gabriel Luiz. Novos caminhos, cooperação e solidariedade: a psicologia em empreendimentos solidários. Psicologia & Sociedade, v. 17, n. 1, p. 17-28, 2005. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822005000100002>.

FARIAS FILHO, Milton Cordeiro. Rede de catadores de materiais recicláveis: perspectivas para a organização da autogestão. Administração Pública e Gestão Social, Viçosa, v. 4, n. 3, p. 341-64, 2012.

GAIGER, Luiz Inácio. A economia solidária e a revitalização do paradigma cooperativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 28, n. 82, p. 212-27, jun. 2013. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0102-69092013000200013>.

GIONGO, Carmen Regina; MONTEIRO, Janine Kieling. Trabalho cooperado na suinocultura: emancipação ou precarização? Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, DF, v. 35, n. 4, p. 1206-22, 2015.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA [IPEA]. Pesquisa sobre pagamento por serviços ambientais urbanos para gestão de resíduos sólidos. Brasília: IPEA, 2010.

LIMA, Jacob Carlos. Paradoxos do trabalho associado. Tempo social, Revista de Sociologia da USP, São Paulo, v. 21, n. 1, p. 113-32, 2009.

LIMA, Jacob Carlos. Participação, empreendedorismo e autogestão: uma nova cultura do trabalho? Sociologias, v. 12, n. 25, p. 158-98, 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222010000300007>.

MACIEL, Regina Heloisa; SANTOS, João Bosco; MATOS, Tereza Gláucia Rocha; MEIRELES, Gustavo Fernandes; VIEIRA, Maria Eulaidia; FONTENELLE, Marselle. Work, health and organization of street scavengers in Fortaleza, Brazil. Policy and Practice in Health and Safety, v. 8, n. 2, p. 95-112, 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1080/14774003.2010.11667750>.

MAGNI, Ana Amélia Calaça; GÜNTHER, Wanda Maria Risso. Cooperativas de catadores de materiais recicláveis como alternativa à exclusão social e sua relação com a população de rua. Saúde e Sociedade, v. 23, n. 1, p. 146-56, 2014.Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0104-12902014000100011>.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva: forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo, Cosac Naify, 2003. p. 183-314.

OLIVEIRA, Fábio. Os sentidos do cooperativismo de trabalho: as cooperativas de mão-de-obra à luz da vivência dos trabalhadores. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 19, n. especial, p. 75-83, 2007. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0102-71822007000400011>.

PICCININI, Valmiria Carolina. Cooperativas de trabalho de Porto Alegre e flexibilização do trabalho. Sociologias, porto alegre, v. 6, n. 12, p. 68-105, 2004. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1517-45222004000200004>.

PINHEIRO, Daniel Calbino. Em busca de referenciais para a gestão nos empreendimentos solidários. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, Blumenau, v. 9, n. 4, p. 61-82, 2015.

PINHEIRO, Daniel Calbino; PAULA, Ana Paula Paz. Autogestão e práticas organizacionais transformadoras: contribuições a partir de um caso empírico. Desenvolvimento em Questão, Ijuí, v. 14, n. 33, p. 233-66, 2016. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.21527/2237-6453.2016.33.233-266>.

PIRES, Aline Suelen. Autogestão, economia solidária e gênero: as trabalhadoras de cooperativas incubadas na cidade de São Carlos. 2010. 106f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2010.

PIRES, Aline Suelen; LIMA, Jacob Carlos. Fábricas recuperadas pelos trabalhadores: os dilemas da gestão coletiva do trabalho. Caderno CRH, Salvador, v. 30, n. 79, p. 69-87, 2017.

SATO, Leny; ANDRADA, Cris Fernández; ÉVORA, Iolanda Maria Aalves; NEVES, Tatiana Freitas Strokler; OLIVEIRA, Fábio. As tramas psicossociais da cooperação e da competição em diferentes contextos de trabalho. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 63, p. 2-14, 2011.

TAVARES, Augusto de Oliveira. O trabalho dos catadores da associação Engenho do Lixo: entre a necessidade econômica e o discurso da consciência ambiental. Cadernos Gestão Social, Salvador, v. 4, n. 1, p. 117-33, 2013.

VERONESE, Marília Veríssimo; GUARESCHI, Pedrinho. Possibilidades solidárias e emancipatórias do trabalho: Campo fértil para a prática da psicologia social crítica. Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 58-69, 2005. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822005000200009>.

VERONESE, Marília Veríssimo; SCHOLZ, Robinson. A difícil construção da liderança solidária compartilhada. Século XXI, Revista de Ciências Sociais, v. 3, n. 2, p. 41-64, 2013.

Publicado
2018-06-29