Ação antidialógica no Sistema Único de Assistência Social (SUAS): reflexões a partir de Paulo Freire

  • Rafael Bianchi Silva Universidade Estadual de Londrina
  • Claudia de Godoi Ferreira de Almeida Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: interdisciplinaridade, diálogo, SUAS, Paulo Freire.

Resumo

O presente trabalho visa discutir os impactos da adoção de uma postura antidialógica pelos profissionais que compõem a equipe interdisciplinar na realização do trabalho social, no âmbito da proteção básica, do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Buscou-se apresentar como se constitui a proposta de interdisciplinaridade na política de Assistência Social e as dificuldades encontradas para sua efetivação, bem como discutir a relação entre uma ação profissional antidialógica e a questão do assistencialismo a partir das ideias de Paulo Freire.

Biografia do Autor

Rafael Bianchi Silva, Universidade Estadual de Londrina
Doutor em Educação (Unesp/Marília). Docente do Departamento de Psicologia Social e Institucional e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Estadual de Londrina (UEL)
Claudia de Godoi Ferreira de Almeida, Universidade Estadual de Londrina
Aluna do curso de graduação em Psicologia da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e bolsista de Iniciação Científica (UEL).

Referências

ALVES, Marilene. Estratégias de participação na política de assistência social na perspectiva de Paulo Freire. 2017. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo, RS, 2017.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Fundamentos ético-políticos e rumos teórico-metodológicos para fortalecer o Trabalho Social com Famílias na Política Nacional de Assistência Social. Brasília: MDSSNAS, 2016.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas sobre o PAIF – volume II. Brasília: MDSSNAS, 2012.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Orientações Técnicas: Centro de Referência de Assistência Social – CRAS. Brasília: MDSSNAS, 2009a.

______. Conselho Nacional de Assistência Social. Tipificação Nacional de Serviços Socioassistenciais (Resolução n. 109, de 11 de novembro de 2009). Brasília: MDS, 2009b.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Norma Operacional Básica de Recursos Humanos do SUAS (NOB-RH/SUAS). Brasília: MDSSNAS, 2006.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Norma Operacional Básica da Assistência Social (NOBSUAS). Brasília: MDSSNAS, 2005.

______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Política Nacional de Assistência Social (PNAS). Brasília: MDSSNAS, 2004.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

______. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

______. Educação e mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

______. Conscientização: teoria e pratica da libertação: uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. São Paulo: Moraes, 1980.

______. Educação como prática de liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

GUSDOF, Georges. Prefácio In: JAPIASSÚ, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

GUZZO, Raquel S. L.; LACERDA JUNIOR, Fernando. Fortalecimento em tempo de sofrimento: reflexões sobre o trabalho do psicólogo e a realidade brasileira. Revista Interamericana de Psicología, v. 41, n. 2, p. 231-40, 2007. Disponível em: <http://www.redalyc.org/pdf/284/28441214.pdf>.

SOUZA, Cristiane G.; BOURGUIGNON, Jussara A. Ações socioeducativas: estratégias para o favorecimento do protagonismo no contexto do Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Pleiade, Foz do Iguaçu, PR, v. 10, n. 20, p. 44-51, jul./dez. 2016.

Publicado
2018-02-26