Desenvolvimento territorial no Brasil: uma análise a partir da concepção teórica de Karl Polanyi

  • Waldecy Rodrigues Universidade Federal do Tocantins Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional
  • Nayara Silva Santos Universidade Federal do Tocantins
Palavras-chave: desenvolvimento, desenvolvimento municipal, abordagem multidimensional, Karl Polanyi, economia plural.

Resumo

Este estudo objetiva analisar o desenvolvimento municipal no Brasil a partir da concepção teórica de Karl Polanyi. Para tal fim, foi criado o índice de desenvolvimento municipal polanyiano (IDMP). Os resultados encontrados mostram os municípios brasileiros, em sua maioria, têm características multidimensionais incipientes e que existe uma relação direta e positiva entre a pluralidade econômica e os níveis de qualidade vida. 

Biografia do Autor

Waldecy Rodrigues, Universidade Federal do Tocantins Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional

Professor Associado da Unviversidade Federal do Tocantins

Pós Doutor em Economia (UnB)

Doutor em Sociologia (UnB)

Mestre em Economia (UnB)

Graduação em Economia (PUC Goiás)

Nayara Silva Santos, Universidade Federal do Tocantins
Mestre em Desenvolvimento Regional (UFT)

Referências

ANDION, C. A Gestão no campo da economia solidária: particularidades e desafios. RAC, v. 9, n. 1, p. 79-101, jan./mar. 2005.

BARQUERO, V. A. Desenvolvimento endógeno em tempos de globalização. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2001.

BRANDÃO, C. A. Teorias, estratégias e políticas regionais e urbanas recentes: anotações para uma agenda do desenvolvimento territorializado. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, n. 107, p. 57-76, jul./dez. 2004.

BUARQUE, S. C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável. 4. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

BURAWOY, M. For a sociological marxism: the complementary convergence of Antonio Gramsci and Karl Polanyi. Politics & Society, v. 31, n. 2, p. 193-261, jun. 2003.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (CONAB). Conab – Fortalecendo o campo e abastecendo o país . [s.d.]. Disponível em: <http://www.conab.gov.br/conabAni.php?a=1595&t=1/>. Acesso em: 25 set. 2014.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FIRJAN). Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM). Nota metodológica. Edição 2014, ano base 2011. Disponível em: < http://www.firjan.com.br/ifdm/downloads/>. Acesso em: 12 out. 2014.

FISCHER, T. Gestão do desenvolvimento e poderes locais: marcos teóricos e avalição. Salvador, BA: Casa da Qualidade, 2002.

FRANÇA FILHO, G. C.; LAVILLE, J. Economia solidária: uma abordagem internacional. Porto Alegre: UFRGS, 2004.

HODGSON, G. M. How economics forgot history. The problem of historical specificity in social science. London: Routledge, 2001.

______. Economics and utopia: why the learning economy is not the end of history. London: Routledge, 1999.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Levantamento sistemático da produção agropecuária. Rio de Janeiro, 2013a. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/>. Acesso em: 6 ago. 2014.

______. Pesquisa sobre os objetivos do milênio (ODM). Rio de Janeiro, 2013b. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/>. Acesso em: 6 agostos de 2014.

______. PIB municipal. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/>. Acesso em: 6 ago. 2014.

______. Pesquisa sobre emprego. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/>. Acesso em: 6 ago. 2014.

______. Censo Agropecuário. Rio de Janeiro, 2006. Rio de Janeiro, 2001. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/>. Acesso em: 6 ago. 2014.

IRVING, M. A. Turismo como instrumento para desenvolvimento local: entre a potencialidade e a utopia. In: D’AVILA NETO, M. I.; PEDRO, R. M. L. R. (Org.). Tecendo o desenvolvimento. Rio de Janeiro: MAUAD/Bapera, 2003. p. 167-84.

LAVILLE, J. L. Solidariedade. In: PEDRO, H. et al. Dicionário internacional da outra economia. Coimbra, Portugal: Centro de Estudos Sociais, 2009.

MPOG/SPI. Indicadores de Programas: guia metodológico. Brasília: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, 2010.

ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS (OCB). Dados sobre as cooperativas brasileiras. Brasília, 2014. [Informações exclusivas disponíveis para os autores].

POLANYI, K. A grande transformação: as origens de nossa época. Tradução de Fanny Wrabel. 2. ed. Ria de Janeiro: Elsevier, 2012a.

______. A nossa obsoleta mentalidade mercantil. Nova Iorque: George Dalton Editor, 1947. v. 3, p. 109-17.

POLANYI, K. (Org.). A subsistência do homem e ensaios correlatos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012b.

PORTAL ODM. Acompanhamento brasileiro dos objetivos de desenvolvimento do milênio. [s.d.]. Disponível em: <http://www.portalodm.com.br/>. Acesso em: 25 set. 2014.

REIS, M. C. Desenvolvimento local e espaços sociais ampliados. 2006. Tese (Doutorado em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Seropédica, RJ, 2006.

SAUVAGE, P. Synthèse. In: OCDE. Réconcilierl’ économique etle social – vers une économie plurielle. Paris: OCDE, 1996.

SEBRAE. Monitoramento da Implementação da Lei Geral nos Municípios Brasileiros. [s.d.]. Disponível em: <http://app.pr.sebrae.com.br/leigeralnacional/VisualizarRankingEstados.do?acao>. Acesso em: jun. 2014.

Publicado
2018-02-16