Segurança e mobilidade no trânsito: percepção da população de uma capital do Brasil central

Palavras-chave: acidentes de trânsito, assunção de riscos, segurança, trânsito.

Resumo

Os acidentes de trânsito constituem-se problema de saúde pública com abundância de estudos, mas com deficiência de estudos baseados na percepção dos usuários. Conhecer a percepção da população de uma capital do Brasil central, considerando a segurança e mobilidade no trânsito foi o objetivo deste estudo. O mau comportamento dos condutores, a falta de atenção e o desrespeito às leis de trânsito foram as principais causas para os acidentes, e foram apontadas prioridades para melhorar o trânsito.

Biografia do Autor

Rodrigo Oliveira da Silva Santos, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Mestrando em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Sonia Maria Oliveira de Andrade, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professora associada da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo.

Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Graduação em Psicologia pela Universidade Católica Dom Bosco.

Beatriz Sasso Trevisan Perea Martins, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Discente de Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Referências

AGÊNCIA MUNICIPAL DE TRANSPORTE E TRÂNSITO (AGETRAN). Estatísticas. Boletim Anuário Estatístico 2012-2015. Campo Grande, MS: AGETRAN, 2016. Disponível em: <http://agetran.ms.gov.br/agetran/estat%C3%ADsticas>. Acesso em: 4 fev. 2017.

ANDRADE, S. M. O. Comportamento no trânsito: perspectiva de infratores, vítimas e usuários das vias de Campo Grande, MS. Relatório final de pesquisa. Campo Grande, 2015.

ANDRADE, S. S. C. A.; MELLO-JORGE, M. H. P. Mortalidade e anos potenciais de vida perdidos por acidentes de transporte no Brasil, 2013. Revista de Saúde Pública, São Paulo, p. 50-59, 2016.

BARRETO, M. S.; TESTON, E. F.; LATORRE, M. R. D. O.; MATHIAS, T. A. F.; MARCON, S. S. Mortalidade por acidentes de trânsito e homicídios em Curitiba, Paraná, 1996-2011. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, DF, v. 25, n. 1, p. 95-104, 2016.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Ed. rev. ampl. Lisboa: Edições Setenta, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Projeto Vida no Trânsito: plano de ação – componente nacional. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Epidemiologia das causas externas no Brasil: mortalidade por acidentes e violências no período de 2000 a 2009. In: BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Saúde Brasil 2010: Uma análise da situação de saúde e de evidências selecionadas de impacto de ações de vigilância em saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

DAMACENA, G. N.; MALTA, D. C.; BOCCOLINI, C. S.; JÚNIOR, P. R. B. S.; ALMEIDA, W. S.; RIBEIRO, L. S.; SZWARCWALD, C. L. Consumo abusivo de álcool e envolvimento em acidentes de trânsito na população brasileira, 2013. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 12, p. 3777-86, 2016.

DINIZ, E. P. H.; ASSUNÇÃO, A. Á.; LIMA, F. P. A. Por que os motociclistas profissionais se acidentam? Riscos de acidentes e estratégias de prevenção. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 30, n. 111, p. 41-50, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de referência em 1º de julho de 2015. Disponível em: <ftp://ftp.ibge.gov.br/Estimativas_de_Populacao/Estimativas_2015/estimativa_2015_TCU_20160712.pdf>. Acesso em: 25 fev. 2016.

MORAIS NETO, O. L.; MONTENEGRO, M. M. S.; MONTEIRO, R. A.; SIQUEIRA JÚNIOR, J. B.; SILVA, M. M. A.; LIMA, C. M.; MIRANDA, L. O. M.; MALTA, D. C.; SILVA JÚNIOR, J. B. Mortalidade por acidentes de transporte terrestre no Brasil na última década: tendência e aglomerados de risco. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 9, p. 2223-36, 2012.

OLIVEIRA, N. L. B.; SOUSA, R. M. C. Fatores associados ao óbito de motociclistas nas ocorrências de trânsito. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 46, n. 6, p. 1379-86, 2012.

______. Traffic accidents with motorcycles and their relationship with mortality. Revista Latino-Americana de Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 19, n. 2, p. 403-10, mar./abr. 2011.

PINTO, L. W.; RIBEIRO, A. P.; BAHIA, C. A.; FREITAS, M. G. Atendimento de urgência e emergência a pedestres lesionados no trânsito brasileiro. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 12, p. 3673-82, 2016.

PORDEUS, A. M. J.; VIEIRA, L. J. E. S.; ALMEIDA, P. C.; ANDRADE, L. M.; SILVA, A. C. G.; LIRA, S. V. G. Fatores associados à ocorrência do acidente de motocicleta na percepção do motociclista hospitalizado. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, Fortaleza, v. 23, n. 3, p. 206-12, jul./set. 2010.

ROCHA, G. S.; SCHOR, N. Acidentes de motocicleta no município de Rio Branco: caracterização e tendências. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 721-31, 2013.

SANTOS, R. O. S.; SILVA, A. P. A. S.; SOUZA, R. A.; CARDOSO, A. I. Q. Prevalência dos acidentes de trânsito envolvendo motociclistas e sua relação com a frota de veículos. Varia Scientia - Ciências da Saúde, Cascavel, v. 1, n. 2, p. 88-101, 2015.

SOARES, D. F. P. P.; BARROS, M. B. A. Gravidade dos acidentes de trânsito ocorridos em Maringá, PR. Revista Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, v. 5, supl., p. 77-84, 2006.

THIELEN, I. P.; HARTMANN, R. C.; SOARES, D. P. Percepção de risco e excesso de velocidade. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 131-9, 2008.

VERONESE, A. M.; OLIVEIRA, D. L. L. C. Os riscos dos acidentes de trânsito na perspectiva dos moto-boys: subsídios para a promoção da saúde. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 12, p. 2717-21, 2006.

VIEIRA, R. C. A.; HORA, E. C.; OLIVEIRA, D. V.; VAEZ, A. C. Levantamento epidemiológico dos acidentes motociclísticos atendidos em um centro de referência ao trauma de Sergipe. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 45, n. 6, p. 1359-63, 2011.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2013: acidentes de trânsito e motocicletas. Rio de Janeiro: Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela), 2013.

WORLD HEALTH ORGANIZATION (WHO). Global plan for the decade of action for road safety 2011-2020. Genebra: WHO, 2011. Disponível em: <http://www.who.int/roadsafety/decade_of_action/plan/plan_english.pdf?ua=1>. Acesso em: 13 fev. 2017.

Publicado
2017-09-21