Cooperativismo em Goiás: como equalizar competitividade e solidariedade?

  • Mauro Pereira Santos Universidade Federal de Goiás
  • Juliana Rodrigues Universidade Federal de Goiás
  • Gabriel Medina Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: cooperativismo, agricultura familiar, desenvolvimento rural, Goiás.

Resumo

O artigo trata do desafio de cooperativas de agricultores familiares em serem competitivas no mercado e solidárias junto a seus cooperados. As cooperativas analisadas tiveram diferentes graus de inserção comercial e de eficiência na gestão, mas responderam de forma similar às necessidades dos agricultores cooperados enquanto alternativa de mercado e espaço de fortalecimento das relações sociais.

Biografia do Autor

Mauro Pereira Santos, Universidade Federal de Goiás
Mestre do Programa de Pós-graduação em Agronegócio da Universidade Federal de Goiás, na linha de pesquisa da Agricultura Familiar e professor de Graduação do Centro de Ciências de Itaberaí -GO.
Juliana Rodrigues, Universidade Federal de Goiás
Mestre do Programa de Pós-graduação em Agronegócio da Universidade Federal de Goiás, na linha de pesquisa da Agricultura Familiar e professora de Ensino Médio no Colégio Monteiro Lobato de Itapuranga-GO.
Gabriel Medina, Universidade Federal de Goiás
Pós-doutor em Políticas Ambientais pelo Imperial College London (Reino Unido); e Professor  da Escola de Agronomia da Universidade Federal de Goiás atuando nos cursos de graduação em ciências agrárias e na Coordenação do Programa de Pós-graduação em Agronegócio (linha de pesquisa em agricultura familiar).

Referências

Abramovay, R. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. São Paulo: Hucitec/Anpocs/Unicamp, 1992. (Coleção Estudos Rurais).

AMODEO, N. B. P. As cooperativas e os desafios da competitividade. Estudos Sociedade e Agricultura, n. 17, out. 2001.

Associação Nacional de Defesa Vegetal [ANDEF]. Agricultura familiar, cooperativas. São Paulo, 2014.

CALDAS, E.; NONATO, R. Compras públicas: estratégia e instrumento para a gestão do desenvolvimento local. Interações, Campo Grande, MS, v. 15, n. 1, p. 13-9, jan./jun. 2014.

CechiN, A. Cooperativas brasileiras nos mercados agroalimentares contemporâneos: limites e perspectivas. In: BUAINAIN, A. M.; ALVES, E.; SILVEIRA, J. M.; NAVARRO, Zander (Editores Técnicos). O mundo rural no Brasil do século 21. Brasília, DF: Embrapa, 2014.

COSTA, D. R. M.; CHADDAD, F. R.; FURQUIM DE AZEVEDO, P. Separação Entre Propriedade e Decisão de Gestão nas Cooperativas Agropecuárias Brasileiras. Revista de Economia e Sociologia Rural, Piracicaba, SP, v. 50, n. 2, p. 285-300, abr./jun. 2012.

DAVIS, P.; BIALOSKORSKI NETO, S. Governança e gestão de capital social em cooperativas: uma abordagem baseada em valores. ESAC Economia Solidária e Ação Cooperativa, v. 5, n. 1, jan./jun. 2010.

DUARTE, L. M. G. Capitalismo e cooperativismo no RGS: o cooperativismo empresarial e a expansão do capitalismo no setor rural do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: L&PM/Anpocs, 1986.

França, C. G.; Del Grossi, M. E.; Marques, V. P. M. A. O censo agropecuário 2006 e a agricultura familiar no Brasil. Brasília: MDA, 2009.

FREITAS, A.; FREITAS, A. Interações entre organizações coletivas na promoção do desenvolvimento local. Interações, Campo Grande, MS, v. 14, n. 2, p. 177-88, jul./dez. 2013.

GIMENES, R. M. T.; GOZER, I. C.; GOZER, D. F. A cultura da competição nas sociedades contemporâneas e as ameaças ao modelo atual de gestão financeira das cooperativas agropecuárias brasileiras. Revista de Ciências Empresariais da UNIPAR, Umuarama, PR, v. 9, n. 1 e 2, p. 109-33, jan./dez. 2008.

INSTITUTO MAURO BORGES DE ESTATÍSTICAS E ESTUDOS SOCIOECONOMICOS (IMB). Banco de dados estatísticos de Goiás 2014. Disponível em: <http://www.imb.go.gov.br/visaogeral/index.html#sthash.MP5wwHc4.dpuf>. Acesso em: 10 maio 2017.

MACEDO, A.S.; ALCÂNTARA, V. C.; ANTONIALLI, L. M.; MORAIS, G. S. Gestão empresarial e social em cooperativas no espírito santo: uma análise multivariada. In: CONGRESSO SOBER, 52. Apresentação oral… 2014.

MEDINA, G.; ALMEIDA, C.; NOVAES, E.; GODAR, J.; POKORNY, B. Development conditions for family farming: lessons from Brazil. Word Development, v. 74, p. 386-96, out. 2015.

MICHELS, V. Uma contribuição à análise dos princípios de administração financeira aplicados a sociedades cooperativas de produção agrícola. 2000. 166 f. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2000.

MOREIRA, V. R.; SILVA.; MORAES, E. A.; PROTIL, R. M. O cooperativismo e a gestão dos riscos de mercado: análise de fronteira de eficiência do agronegócio paranaense. Revista de Economia e Sociologia Rural, Piracicaba, SP, v. 50, n. 1, p. 51-68, jan./mar. 2012.

MOURÃO, N.; ENGLER, R. Economia solidária e design social: iniciativas sustentáveis com resíduos vegetais para produção artesanal. Interações, Campo Grande, MS, v. 15, n. 2, p. 329-39, jul./dez. 2014.

ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS SEÇÃO GOIÁS (OCB/GO) - SESCOOP/GO. Censo do Cooperativismo Goiano 2016. Goiás, 2016.

______. Censo do Cooperativismo Goiano 2012. Goiás, 2012.

Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Smallholder integration in changing food markets. Roma: FAO, 2013.

PRADO, V.; SANTOS, M.; MEDINA G,; MARTINS,B. Passos da comercialização pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). In: Medina, G. (Org.). Agricultura familiar em Goiás: lições de para o assessoramento técnico. Goiânia: Editora UFG, 2016.

REDIN, E. Construção social de mercados: a produção orgânica nos assentamentos do Rio Grande do Sul, Brasil. Interações, Campo Grande, MS, v. 16, n. 1, p. 55-66, jan./jun. 2015.

SCHNEIDER, J. O. Globalización y cooperativismo: la dimensión local y la comunitária. Revista de la Cooperación Internacional, v. 37, n. 1, 2004.

SECRETARIA NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA (SENAES). Governo Federal. Boletim Informativo Acontece, edição especial, 2013.

SILVA, M. G.; SILVA, S. P. Para além do acesso: uma análise da relação entre mercados institucionais e empreendimentos de economia solidária no meio rural. In: IPEA. Mercado de Trabalho, 49, nov. 2011.

SILVA, Monika Weronika Dowbor. Possibilidades e limites do cooperativismo pelo prisma de entidades de representação das cooperativas: uma análise comparativa entre a Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (OCESP) e a União e Solidariedade das Cooperativas e Empreendimentos de Economia Social do Brasil (UNISOL/Brasil). 2006. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2006.

SINGER, P.; Economia Solidária e socialismo. In: ORTEGA, A. C.; ALMEIDA FILHO, N. (Org.). Desenvolvimento territorial, segurança alimentar e economia solidária. Campinas, SP: Alínea, 2007. p. 255-60.

VASCONCELOS, T. A. C. A economia solidária na construção social do desenvolvimento territorial. In: ORTEGA, A. C.; ALMEIDA FILHO, N. (Org.). Desenvolvimento territorial, segurança alimentar e economia solidária. Campinas: Alínea, 2007. p. 261-85.

Wiggins, S.; Kirsten, J.; Llambí, L. The future of small farms. World Development, v. 38, n. 10, p. 1341-8, 2010.

ZYLBERSZTAJN, D. Quatro estratégias fundamentais para cooperativas agrícolas. São Paulo: FEA-USP/Pensa, 2002.

Publicado
2017-09-21