A sustainability rereading of agrarian production systems

  • Elizabete Maria da Silva Universidade Católica Dom Bosco-UCDB http://orcid.org/0000-0001-5522-4915
  • Eloir Trindade Vasques Vieira Universidade Católica Dom Bosco
  • Lucélia da Costa Nogueira Tashima Universidade Católica Dom Bosco - UCDB
  • Denilson de Oliveira Guilherme Universidade Católica Dom Bosco - UCDB

Resumo

This review criticizes the origin and insertion of agricultural production systems and local development. It is concluded that these have met socioeconomic and environmental requirements. Conventional agriculture supplies food needs, but faces serious socio-environmental problems. Precision agriculture, more rational, is not feasible for small producers. Organic agriculture, which is more sustainable, does not compete with conventional production.

Biografia do Autor

Elizabete Maria da Silva, Universidade Católica Dom Bosco-UCDB

Student of the subject special topics of the Master's and Doctoral degrees program in Environmental Science and sustainability from Dom Bosco Catholic University (UCDB), 2014.

Eloir Trindade Vasques Vieira, Universidade Católica Dom Bosco

Student of the subject special topics of the Master's and Doctoral degrees program in Environmental Science and sustainability from Dom Bosco Catholic University (UCDB), 2014.

Lucélia da Costa Nogueira Tashima, Universidade Católica Dom Bosco - UCDB

Student of the subject special topics of the Master's and Doctoral degrees program in Environmental Science and sustainability from Dom Bosco Catholic University (UCDB), 2014.

Denilson de Oliveira Guilherme, Universidade Católica Dom Bosco - UCDB
Professor of the subject special topics of the Master's and Doctoral degrees program in Environmental Science and sustainability from Dom Bosco Catholic University (UCDB), 2014

Referências

ALTAFIN, I. Meio ambiente e modernização agrícola no Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL: O AGRONEGÓCIO DO MERCOSUL E A SUA INSERÇÃO NA ECONOMIA MUNDIAL, 37., 1999, Foz do Iguaçu. Anais… Foz do Iguaçu: Danilo RD Aguiar & JB Pinho, 1999.

ALTIERI, M. A. et al. The scaling up of agroecology: spreading the hope for food sovereignty and resiliency. Sociedad Científica Latinoamericana de Agroecologia, p. 1-20, maio 2012.

ALVES, E. et al. Um modelo de produção para a agricultura brasileira e a importância da pesquisa da Embrapa. Revista de Política Agrícola, Brasília, DF, v. 21, n. 4, p. 35-59, 2012.

ASSIS, R. L.; ROMEIRO, A. R. Agroecologia e agricultura orgânica: controvérsias e tendências. Desenvolvimento e meio ambiente, Curitiba, v. 6, p. 67-80, 2002.

AUERNHAMMER, H. Precision farming - the environmental challenge. Computers and electronics in agriculture, v. 30, n. 1, p. 31-43, 2001.

ÁVILA, V. F. de. Pressupostos para formação educacional em desenvolvimento local. Interaciones. Revista Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande, v. 1, n. 1, p. 63-76, 2000.

BEYRUTH, Z. Comunidade fitoplanctónica da Represa de Guarapiranga: 1991-92. Aspectos ecológicos, sanitários e subsídios para reabilitação da qualidade ambiental. 1996. 276f. Tese (Doutorado em Saúde Ambiental) – Universidade de São Paulo, SP, 1996.

BLACKMORE, B. S. An information system for precision farming. Silsoe. Inglaterra : The Centre for Precision Farming. In: BRIGHTON CONFERENCE ON PESTS AND DISEASES, 18-21 nov. 1996, Brighton. Proceedings... Farnham, Surrey: British Crop Protection Council, 1996. p. 1235-42. v. 3.

BRUM, A. J. A. Modernização da agricultura: trigo e soja. Petrópolis: Vozes; Ijuí: FIDENE, p. 31-89, 1988.

CAMPANHOLA, C.; VALARINI, P. J. A agricultura orgânica e seu potencial para o pequeno agricultor. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, DF, v. 18, n. 3, p. 69-101, 2001.

CAPORAL, F. R. La extensión agraria del sector público ante los desafíos del desarrollo sostenible: el caso de Rio Grande do Sul, Brasil. 1998. 516f. Tese (Doutorado em Agronomia) – Universidade de Córdoba, Espanha,1998.

COELHO, J. P. C.; SILVA, J. R. M. Agricultura de precisão. Associação dos Jovens Agricultores de Portugal, Lisboa, 2009. Disponível em: <http://agrinov.ajap.pt/diapositos/aprecisao_final/Agricultura/Diapositivos_Agricultura_de_Precisao.pdf>. Acesso em: 10 jul.2015.

COLLI, W. Organismos transgênicos no Brasil: regular ou desregular? Revista USP, São Paulo, n. 89, p. 148-73, 2011.

DIAMOND, J. Colapso: como as sociedades escolhem o fracasso ou o sucesso. São Paulo: Record, 2005. 685p.

DAVIS, G. Precision agriculture: an introduction. Water quality. University of Missouri-System, 1998. p. 8. Disponível em:<http://www.fse.missouri.edu/mpac/pubs/wq0450.pdf>. Acesso em: 17 ago. 2015

FRANCO, J. B. S. O papel da EMBRAPA nas transformações do cerrado. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 2, n. 3, jun. 2001.

GENTIL, L. V.; FERREIRA, S. M. Agricultura de precisão: Prepare-se para o futuro, mas com os pés no chão. Revista A Granja, Porto Alegre, n. 610, 1999.

GOMES, E. P. C.; MANTOVANI, W. Size distributions in a warm temperature forest tree populations in São Paulo, Southeastern Brazil. Naturalia, Rio Claro, v. 26, p. 131-58, 2001.

GONDONOU, J. T. S.; STOMBAUGH, C. R.; DILLON, S. A. A hearer precision histories, ISEC-ETSIAN, Universidad de Córdoba, España, 2001.

KARAN, K. F.; ZOLDAN, P. Comercialização e consumo de produtos agroecológicos: pesquisa nos locais de venda, pesquisa do consumidor – Região de Florianópolis. Relatório final. Florianópolis: Instituto CEPA/SC, 2003. 51p.

JAMES, C. Global status of commercialized biotech/GM crops: 2010. Brief n. 42. Ithaca: International Service for the Acquisition of Agri-Biotech Applications (ISAAA), 2010.

JARA, C. J. A sustentabilidade do desenvolvimento local: desafios de um processo em construção. Brasília: Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA); Recife: Secretaria do Planejamento do Estado de Pernambuco (SEPLAN), 1998.

KLUTH, B.; BOCCHI JR., U.; CENSKOWSKY, U. Pesquisa sobre o comportamento e a percepção do consumidor de alimentos orgânicos no Brasil – 2010. München: Organic Services; Jundiaí: Vitalfood, 2010. 38p.

LEVI, M.; LINTON, A. Fair trade: a cup at a time? Politics & Society, v. 31, n. 3, p. 407-32, 2003.

MANTOVANI, E. C. et al. Máquinas e operações utilizadas na agricultura de precisão. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA. 1998. Lavras. Anais... Lavras: Universitária, 1998. p. 109-57.

MANZATTO, C. V.; BHERING, S. B.; SIMÕES, M. Agricultura de precisão: propostas e ações da Embrapa solos. Rio de Janeiro: EMBRAPA Solos, 1999.

MAZOYER, M.; ROUDART, L. História das agriculturas no mundo: do neolítico à crise contemporânea. Tradução de Cláudia F. Falluh Balduino Ferreira. São Paulo: Editora UNESP; Brasília, DF: NEAD, 2010.

MILLER, W.; SUPALLA, R. NF96-305 Precision farming in Nebraska: a status report. Historical Materials from University of Nebraska-Lincoln Extension. Lincoln: University of Nebrasca, p. 1027, 1996.

MIRANDA, E. E. de. Informática brasileira em análise. Quem precisa da agricultura de precisão? Informática Brasileira em Análise. Campinas: EMBRAPA Monitoramento por Satélite, 1999. Disponível em: <http://www.cesar.org.br/analise/n_20/artigon_20.html>. Acesso em: 15 ago.2015.

MOREIRA, R. J. Agricultura familiar: processos sociais e competitividade. Mauad Editora Ltda, 1999.

MORGAN, R. P. C. Soil Erosion and Conservation. 2. ed., Harlow, Reino Unido: Longman,1997.

MORO, E. J. O mercado que separa agricultura orgânica e agroecológica. In: CONGRESSO INTERNACIONAL RESPONSABILIDADE E RECIPROCIDADE, 1., 4-5 nov. 2011, Restinga Seca, RS. Anais... Restinga Seca, 2012, p. 73-81.

ORMOND, J. G. P. et al. Agricultura orgânica: quando o passado é futuro. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 15, p. 3-34, 2002.

PLANT, R. E. Site-specific management: the application of information technology to crop production. Computers and Electronics in Agriculture, v. 30, n. 1, p. 9-29, 2001.

PEREIRA, S. J. N. O impacto do argumento ecológico nas atitudes dos consumidores – um estudo experimental. 2003. Dissertação (Mestrado em Gestão Empresarial) - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, SP, 2003.

PINHEIRO, D. A agricultura familiar e suas organizações: o caso das associações de produtores. In: Agricultura familiar: realidades e perspectivas. 3. ed., p. 337-65, 2001. v. 2.

REETZ, H. F. JR.; FIXEN, P. E. Strategic approach to site-specific systems. Site-specific Management Guidelines. 1999. Disponível em: <http://www.farmresearch.com/SSMG/ssmg-28/SSMG28.pdf>. Acesso em: 4 ago. 2015.

SACHS, I. Desenvolvimento includente, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SANTOS, G. C; MONTEIRO, M. Sistema orgânico de produção de alimentos. Revista Alimentos & Nutrição, Araraquara, v. 15, n. 1, 2004.

THEIS, T.; TOMKIN, J. Sustainability: a comprehensive foundation. Houston, Texas: Rice University, 2012.

THOMPSON, P. B. The agrarian Vision: sustainability na enironmental ethics. Lexington: University of Kentucky Press, 2010.

VARIAN, H. R. Microeconomia, princípios básicos. 5. ed. Tadução de Ricardo Inojosa e Maria José Cyhlar Monteiro. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

WILLER, H.; LERNOUD, J.; SCHLATTER, B. Current statistics on organic agriculture worldwide: organic area, producers and market. In: WILLER, H.; LERNOUD, J. The world of organic agriculture – statistics and emerging trends. [s.l.]: IFOAM; FiBL, 2014. p. 36-124.

XAVIER, E. G.; LOPES, D. C. N.; PETERS, M. D. P. Organismos geneticamente modificados. Arch. Zootec., v. 58, n. 1, p. 15-33, mar. 2009.

Publicado
2017-09-21