Perfil e atuação do agente comunitário de saúde no contexto da Estratégia Saúde da Família em dois municípios da Paraíba

  • Dixis Figueroa Pedraza Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
  • Iná Santos Universidade Federal de Pelotas
Palavras-chave: atenção primária à saúde, desenvolvimento da comunidade, Agentes Comunitários de Saúde.

Resumo

Objetivou-se descrever o perfil e a realidade de trabalho do Agente Comunitário de Saúde (ACS) em dois municípios da Paraíba. Estudo transversal com 98 ACS. A maioria dos ACS desenvolvia as atividades estabelecidas para a profissão e trabalho burocrático. Agentes do município com menor dedicação à burocracia referiram maior atuação em mobilização comunitária e orientações sobre a saúde da criança. O desempenho do ACS pode ser prejudicado pelo envolvimento com tarefas burocráticas.

Biografia do Autor

Dixis Figueroa Pedraza, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)

Bacharel em Alimentos (Universidad de La Habana, 1995), Mestre em Nutrição em Saúde Pública (Instituto Superior de Ciencias Médicas de La Habana, 2000), Doutor em Nutrição (Universidade Federal de Pernambuco, 2005) e Pós-doutor em Epidemiologia (Universidade Federal de Pelotas, 2017). Professor Doutor do Departamento de Enfermagem e Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da Universidade Estadual da Paraíba. Membro do corpo editorial da Revista Brasileira em Promoção da Saúde (1806-1222). Experiência na área de Nutrição, com ênfase em Análise Nutricional de População, atuando nos seguintes temas: segurança alimentar e nutricional; crescimento; estado nutricional antropométrico e de micronutrientes; análise nutricional de crianças assistidas em creches; e revisão sistemática com enfoque na casuística da associação entre as deficiências de micronutrientes (ferro, vitamina A e zinco) e o crescimento linear insuficiente, no perfil do estado nutricional das crianças brasileiras assistidas em creches e na análise nutricional de populações em iniquidade social. Também tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia, atuando na avaliação das ações e programas de alimentação e nutrição na Estratégia Saúde da Família. Tem 94 artigos publicados e nove aceitos para publicação. Pesquisador Bolsista do CNPq PQ-2/Área Saúde Coletiva. 

Iná Santos, Universidade Federal de Pelotas

Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Pelotas (1977), fez residência em Medicina Geral Comunitária no Hospital Nossa Senhora Conceição (1980) e especialização em Saúde Pública na Escola de Saúde Pública da Secretaria de Saúde e Meio Ambiente do Estado do Rio Grande do Sul (1981). Tem mestrado e doutorado em Ciências Médicas, com área de concentração em Epidemiologia, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991 e 1995). Em 1994-1995 foi Research Fellow na London School of Hygiene and Tropical Medicine da Universidade de Londres. É Professora Titular e docente do Programa de Pós-graduação em Epidemiologia do Departamento de Medicina Social da Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia, atuando principalmente em avaliação de serviços e programas de saúde, estudos longitudinais e saúde materno-infantil. É Editora Associada dos Cadernos de Saúde Pública e da BMC Public Health; e membro do Conselho Editorial da Revista Brasileira de Epidemiologia, da Revista Brasileira de Nutrição, da Revista de Epidemiologia e Serviços de Saúde e da revista Maternal and Child Health Journal. Tem 230 artigos publicados e quatro aceitos para publicação. Pesquisadora Bolsista do CNPq PQ-1A. 

Referências

BORNSTEIN, Vera J.; DAVID, Helena M. S. L. Contribuições da formação técnica do agente comunitário de saúde para o desenvolvimento do trabalho da equipe saúde da família. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 107-28, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2012. (Série E. Legislação em Saúde).

______. Ministério da Saúde. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: primary care assessment tool pcatool – Brasil. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

______. Lei n. 11.350, de 5 de outubro de 2006. Regulamenta o § 5o do art. 198 da Constituição, dispõe sobre o aproveitamento de pessoal amparado pelo parágrafo único do art. 2o da Emenda Constitucional no 51, de 14 de fevereiro de 2006, e dá outras providências. Brasília, 2006.

______. Ministério da Saúde. Ministério da Educação. Referencial curricular para curso técnico de agentes comunitários de saúde: área profissional saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

______. Ministério da Saúde. Programa agentes comunitários de saúde (PACS). Brasília: Ministério da Saúde, 2001.

BRITO, Rosineide S.; FERREIRA, Nathaly E. M. S.; SANTOS, Danyelle L. A. Atividades dos Agentes Comunitários de Saúde no âmbito da Estratégia Saúde da Família: revisão integrativa da literatura. Saúde & Transformação Social, Florianópolis, v. 5, n. 1, p. 16-21, 2014.

CARDOSO, Andréia S.; NASCIMENTO, Marilene C. Comunicação no Programa Saúde da Família: o agente de saúde como elo integrador entre a equipe e a comunidade. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, supl. 1, p. 1509-20, 2010.

COSTA, Elaine M.; FERREIRA, Danyege L. A. Percepções e motivações de agentes comunitários de saúde sobre o processo de trabalho em Teresina, Piauí. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, p. 461-78, 2012.

COSTA, Samira L.; CARVALHO, Emílio N. Agentes Comunitários de Saúde: agenciadores de encontros entre territórios. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 11, p. 2931-40.

COSTA, Simone M. et al. Agente Comunitário de Saúde: elemento nuclear das ações em saúde. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 7, p. 2147-56, 2013.

Ferraz, Lucimare; Aerts, Denise R. G. C. O cotidiano de trabalho do agente comunitário de saúde no PSF em Porto Alegre. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 347-55, 2005.

FILGUEIRAS, Andréa S.; SILVA, Ana L. A. Agente Comunitário de Saúde: um novo ator no cenário da saúde do Brasil. Physis, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 899-915, 2011.

FONSECA, Angélica F.; MENDONÇA, Maria H. M. A interação entre avaliação e a atuação dos Agentes Comunitários de Saúde: subsídios para pensar sobre o trabalho educativo. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 38, especial, p. 343-57, 2014.

FONSECA, Angélica F. et al. Avaliação em saúde e repercussões no trabalho do agente comunitário de saúde. Texto Contexto e Enfermagem, Florianópolis, SC, v. 21, n. 3, p. 519-27, 2012.

FREITAS, Lagerson M. et al. Formação dos agentes comunitários de saúde no município de Altamira (PA), Brasil. ABCS Health Science, Santo André, SP, v. 40, n. 3, p. 171-7, 2015.

GALAVOTE, Heletícia S. et al. Desvendando os processos de trabalho do agente comunitário de saúde nos cenários revelados na Estratégia Saúde da Família no município de Vitória (ES, Brasil). Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 231-40, 2011.

GARCIA, Ana Claudia P. et al. Agente comunitário de saúde no Espírito Santo: do perfil às atividades desenvolvidas. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 283-300, 2017.

GOMES, Karine O. et al. O Agente Comunitário de Saúde e a consolidação do Sistema Único de Saúde: reflexões contemporâneas. Physis, Rio de Janeiro, v. 20, n. 4, p. 1143-64, 2010.

JESUS, Andreia S. et al. Atuação do agente comunitário de saúde: conhecimento de usuários. Revista de Enfermagem UERJ, Rio de Janeiro, v. 22, n. 2, p. 239-44, 2014.

LOTTA, Gabriela S.; PAVEZ, Thais R. Agentes de implementação: mediação, dinâmicas e estruturas relacionais. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, São Paulo, v. 15, n. 56, p. 109-125, 2010.

MACHADO, Letícia M. et al. Estratégia Saúde da Família: a percepção do agente comunitário de saúde quanto a sua atuação. Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, PR, v. 14, n. 2, p. 1105-12, 2015.

MACIAZEKI-GOMES, Rita C. et al. O trabalho do agente comunitário de saúde na perspectiva da educação popular em saúde: possibilidades e desafios. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 5, p. 1637-46, 2016.

MENEGUSSI, Juliana M.; OGATA, Márcia N.; ROSALINI, Maria H. P. O agente comunitário de saúde como morador, trabalhador e usuário em São Carlos, São Paulo. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 87-106, 2014.

PEREIRA, Iara C.; OLIVEIRA, Maria A. C. O trabalho do agente comunitário na promoção da saúde: revisão integrativa da literatura. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília, v. 66, n. 3, p. 412-9, 2013.

PERES, Cássia R. F. B. et al. O agente comunitário de saúde frente ao processo de trabalho em equipe: facilidades e dificuldades. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 45, n. 4, p. 905-11, 2011.

QUEIRÓS, Agleildes A. L.; LIMA, Luci P. A institucionalização do trabalho do agente comunitário de saúde. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 257-81, 2012.

RIGON, Silvia A.; SCHMIDT, Suely T.; BÓGUS, Cláudia M. Desafios da nutrição no Sistema Único de Saúde para construção da interface entre a saúde e a segurança alimentar e nutricional. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 32, n. 3, e00164514, 2016.

SALIBA, Nemre A. et al. Agente comunitário de saúde: perfil e protagonismo na consolidação da atenção primária à saúde. Cadernos de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 318-26, 2011.

VIEIRA, M. Para além da comunidade: trabalho e qualificação dos agentes comunitários de saúde. Rio de Janeiro: EPSJV, 2011.

Publicado
2017-07-31