Avaliação de prestação de serviços ecossistêmicos em sistemas agroflorestais através de indicadores ambientais

  • Renan Coelho de Vasconcellos Instituto Federal do Pará - Campus Breves/PA.
  • Norma Ely Santos Beltrão Universidade do Estado do Pará - Campus Belém/PA.
Palavras-chave: sistemas agroflorestais, indicadores de sustentabilidade, carbono, nutrientes.

Resumo

Este estudo tem como objetivo avaliar, de forma qualitativa, a prestação de serviços ecossistêmicos (SE) por tipo de sistemas agroflorestais (SAF) a partir de uma base de sete indicadores ambientais pré-selecionados. Os modelos de SAFs avaliados foram os multiestratificados, em aleias, taungya e cercas-vivas. Os SAFs multiestratificados possuem maior potencial de prestação de SE por possuírem composição que mais se assemelha a uma floresta natural.

Biografia do Autor

Renan Coelho de Vasconcellos, Instituto Federal do Pará - Campus Breves/PA.
Mestre em Ciências Ambientais.
Norma Ely Santos Beltrão, Universidade do Estado do Pará - Campus Belém/PA.
Doutora em Economia Agrícola.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS (ANA) (Brasil). Programa Produtor de Água: manual operativo. Brasília: ANA, 2012. 74p.

ALVES, T. S.; CAMPOS, L. L.; ELIAS NETO, N.; MATSUOKA, M.; LOUREIRO, M. F. Biomassa e atividade microbiana de solo sob vegetação nativa e diferentes sistemas de manejos. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, PR, v. 33, n. 2, p. 341-7, 2011.

ARCO-VERDE, M. F.; AMARO, G. C. Metodologia para análise da viabilidade financeira e valoração de serviços ambientais em sistemas agroflorestais. In: PARRON, L. M.; GARCIA, J. R.; OLIVEIRA, E. B.; BROWN, G. G.; PRADO, R. B. Serviços ambientais em sistemas agrícolas e florestais do bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, 2015. Capítulo 30.

BEZERRA, B. G.; SILVA, B. B.; FERREIRA, N. J. Estimativa da evapotranspiração real diária utilizando-se imagens digitais TM-Landsat5. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 23, n. 3, p. 305-17, 2008.

BOLFE, E. L.; BATISTELLA, M. Análise florística e estrutural de sistemas silviagrícolas em Tomé-Açu, Pará. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 10, p. 1139-47, 2011.

CAMPELLO, E. F. C.; FRANCO, A. A.; FARIA, S. M. Aspectos ecológicos da seleção de espécies para sistemas agroflorestais e recuperação de áreas degradadas. In: AQUINO, A. M.; ASSIS, R. L. (Ed.). Agroecologia: princípios e técnicas para uma agricultura orgânica sustentável. Brasília, DF: Embrapa, 2005. Capítulo 20.

CHENG, K.; PAN, G.; SMITH, P.; LUO, T.; LI, L.; ZHENG, J.; ZHANG, X.; HAN, X.; YAN, M. Carbon footprint of China’s crop production - An estimation using agro-statistics data over 1993-2007. Agriculture, Ecosystems and Environment, v. 142, n. 3-4, p. 231-7, ago. 2011.

DEPONTI, C. M.; ECKERT, C.; AZAMBUJA, J. L. B. Estratégia para construção de indicadores para avaliação da sustentabilidade e monitoramento de sistemas. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, v. 3, n. 4, 2002.

FERRAZ, J. M. G. As dimensões da sustentabilidade e seus indicadores. In: MARQUES, J. F.; SKORUPA, L. A.; FERRAZ, J. M. G. (Ed.) Indicadores de sustentabilidade em agroecossistemas. Jaguariúna, SP: Embrapa, 2003.

FISHER, B.; TURNER, R. K.; MORLING, P. Defining and classifying ecosystem services for decision making. Ecological Economics, v. 68, n. 3, p. 643-53, 2009. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0921800908004424>. Acesso em: 21 out. 2012.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FROUFE, L. C. M.; SEOANE, C. E. S. Levantamento fitossociológico comparativo entre sistema agroflorestal multiestrato e capoeiras como ferramenta para execução de reserva legal. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 31, n. 67, 2011.

IDOL, T.; HAGGAR, J.; COX, L. Ecosystem services from smallholder forestry and agroforestry in the tropics. In: CAMPBELL, W. B.; ORTÍZ, S. L. Integrating agriculture, conservation and ecotourism: examples from the field. Nova York: Springer, 2011.

LEITÃO FILHO, H. F. Considerações sobre a florística de florestas tropicais e sub-tropicais do Brasil. Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais, n. 35, p. 41-6, 1987.

MILLENNIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT (MEA). Ecosystems and human well-being: current state and trends. Washington: Island Press, 2005. v. 1Disponível em: <http://www.millenniumassessment.org/documents/document.766.aspx.pdf>. Acesso em: 5 abr. 2016.

MOTTA, R. S. Manual para valoração econômica de recursos ambientais. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 1997.

NAIR, P. K. R. An introduction to agroforestry. Dordrecht, Holanda: Kluwer Academic Publishers, 1993.

PALUDO, R.; COSTABEBER, J. A. Sistemas agroflorestais como estratégia de desenvolvimento rural em diferentes biomas brasileiros. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 7, n. 2, p. 63-76, 2012.

PARRON, L. M.; RACHWAL, M. F. G.; MAIA, C. M. B. F. Estoques de carbono no solo como indicador de serviços ambientais. In: PARRON, L. M.; GARCIA, J. R.; OLIVEIRA, E. B.; BROWN, G. G.; PRADO, R. B. Serviços ambientais em sistemas agrícolas e florestais do bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, 2015. Capítulo 7.

PEREIRA, M. S.; SAUER, L.; FAGUNDES, M. B. B. Mensurando a sustentabilidade ambiental: uma proposta de índice para o Mato Grosso do Sul. Interações, v. 17, n. 2, p. 327-38, abr./jun. 2016.

POWLSON, D. S.; WHITMORE, A. P.; GOULDING, K. W. T. Soil carbon sequestration to mitigate climate change: A critical re-examination to identify the true and the false. European Journal of Soil Science, v. 62, n. 1, p. 42-55, 2011.

RAO, M. R.; NAIR, P. K. R.; ONG, C. K. Biophysical interactions in tropical agroforestry systems. Agroforestry Systems, v. 38, n. 1, 1997.

RODRIGUES, E. R.; CULLEN JR, L.; BELTRAME, T. P.; MOSCOGLIATO, A. V.; SILVA, I. C. Avaliação econômica de sistemas agroflorestais implantados para recuperação de reserva legal no Pontal do Paranapanema, São Paulo. Revista Árvore, v. 31, n. 5, 2007.

SAMPIERI, R. H.; COLLADO, C. F.; LUCIO, P. B. Metodología de la investigación. México, DF: McGraw-Hill Educación, 2014.

SILVA, R. R. Alometria, estoque e dinâmica da biomassa de florestas primárias e secundárias na região de Manaus (AM). 2007. 152f. Tese (Doutorado em Ciências de Florestas Tropicais) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus, 2007.

SOARES, M. T. S.; FROUFE, L. C. M. Estimativa de ciclagem de nutrientes em ecossistemas florestais por meio da produção e decomposição de serrapilheira. In: PARRON, L. M.; GARCIA, J. R.; OLIVEIRA, E. B.; BROWN, G. G.; PRADO, R. B. Serviços ambientais em sistemas agrícolas e florestais do bioma Mata Atlântica. Brasília, DF: Embrapa, 2015. Capítulo 11.

TEEB FOUNDATIONS. The economics of ecosystems and biodiversity: ecological and economic foundations. Londres: Earthscan, 2010.

TORRES, C. M. M. E.; JACOVINE, L. A. G.; OLIVEIRA NETO, S. N.; ALVES, E. B. B. M. Sistemas agroflorestais no Brasil: uma abordagem sobre a estocagem de carbono. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 34, n. 79, p. 235-44, 2014.

TORRES, C. M. M. E. Estocagem de carbono e inventário de gases de efeito estufa em sistemas agroflorestais, em Viçosa, MG. 2015. 97f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) – Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, MG, 2015.

VELASQUES, N. C.; JACOBI, U. S.; CARDOSO, J. H. Espécies nativas e naturalizadas utilizadas em consórcios para formação de cercas vivas. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 10, n.1, p. 3-11, 2015.

WODA, C. Indicadores para serviços ambientais em sistemas agroflorestais: um estudo de caso no nordeste paraense. In: PORRO, R. (Ed.). Alternativa agroflorestal na Amazônia em transformação. Brasília, DF: Embrapa, 2009.

Publicado
2018-02-16