Percepções de extensionistas rurais sobre educação alimentar e nutricional

  • Nádia Rosana Fernandes Oliveira Universidade Federal do Pampa Campus Itaqui
  • Patricia Constante Jaime Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Palavras-chave: educação alimentar e nutricional, extensão rural, segurança alimentar e nutricional.

Resumo

Trata-se de estudo com abordagem qualitativa, cujo objetivo foi analisar a percepção de extensionistas rurais sobre a educação alimentar e nutricional (EAN) em sua prática de trabalho. A compreensão e a estrutura de significações da EAN foram visualizadas sob três eixos: reconhecimento e não reconhecimento da EAN; a EAN como um dos temas da dimensão “social”; a EAN como sinônimo de Segurança Alimentar e Nutricional.

Biografia do Autor

Nádia Rosana Fernandes Oliveira, Universidade Federal do Pampa Campus Itaqui
Nutricionista graduada pelo Centro Universitário Franciscano (2007), Mestre em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria (2009) e Doutora em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (2016). Atualmente é Professora Adjunta do Curso de Nutrição da Universidade Federal do Pampa.
Patricia Constante Jaime, Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Nutricionista. Professora associada do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP). Mestre e Doutora em Saúde Pública pela FSP/USP. Pós-Doutora em Epidemiologia Nutricional pelo Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde - NUPENS / USP e em Políticas Públicas de Alimentação e Nutrição pela London School of Hygiene and Tropical Medicine, Reino Unido.

Referências

BARBOSA, Lívia et al. Trust, participation and political consumerism among Brazilian youth. Journal of Cleaner Production, n. 63, p. 93-101, 2013.

BOOG, Maria C. F. Educação em nutrição: integrando experiências. Campinas, SP: Komedi, 2013.

______. Dificuldades encontradas por médicos e enfermeiros na abordagem de problemas alimentares. Revista de Nutrição, Campinas, SP, v. 12, n. 3, p. 261-72, 1999.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Marco de referência de educação alimentar e nutricional para as políticas públicas. Brasília, DF: MDS Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, 2012.

______. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Secretaria da Agricultura Familiar Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural. Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural. Brasília, 2010.

______. Presidência da República. Casa Civil. Lei n. 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11346.htm>. Acesso em: 23 abr. 2017.

CANESQUI, Ana M.; GARCIA, Rosa W.D. Uma introdução à reflexão sobre a abordagem sociocultural da alimentação. In: CANESQUI, Ana M.; GARCIA, Rosa W. D. (Org.). Antropologia e nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2005.

CANESQUI, Ana M. Estudos antropológicos sobre adoecidos crônicos. In: CANESQUI Ana M. (Org.). Olhares antropológicos sobre adoecidos crônicos. São Paulo: HUCITEC-FAPESP, 2007. p. 19-51.

CAPORAL, Francisco R.; COSTABEBER, José A. Agroecologia e extensão rural: contribuições para a promoção do desenvolvimento sustentável. Brasília: MDA/SAF/DATER-IICA, 2004.

DIAS, Marcelo M. Extensão rural para qual desenvolvimento? In: DIAS, Marcelo M. (Org.). Abordagens atuais sobre extensão rural. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2007.

DIAS Marcelo M. Extensão rural para agricultores assentados: uma análise das boas intenções propostas pelo ‘Serviços de Ates”. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 21, n. 3, p. 499-543, 2004.

DIESEL, Vivien; HASS, Jaqueline M. Transições metodológicas: atuação extensionista na elaboração dos PDA e PRA na ATES do RS. In: DIESEL, Vivien; NEUMANN, Pedro S.; SÁ, Vinicius C. de (Org.). Extensão rural no contexto do pluralismo institucional: reflexões a partir dos serviços de Ates aos assentamentos da reforma agrária no RS. Ijuí, RS: Ed. da Unijuí, 2012. p. 271-306.

FISCHLER Claude; MASSON, Estelle. Comer: a alimentação de franceses, outros europeus e americanos. São Paulo: SENAC, 2010.

FISCHLER, Claude. Commensality, society and culture. Social Science Information, n. 50, p. 528-48, 2011.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? São Paulo: Paz e Terra, 1983.

GOMES Romeu. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO Maria C. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 33. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013. p. 79-107.

GRISA, Cátia et al. Contribuições do Programa de Aquisição de Alimentos à segurança alimentar e nutricional e à criação de mercados para a agricultura familiar. Agriculturas, v. 8, n. 3, p. 34-41, 2011.

INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA (INCRA). Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Programa de Assessoria Técnica, Social e Ambiental de ATES/RS. Termo de Cooperação Técnica UFSM/INCRA, Assessores Técnicos Pedagógicos. Diretrizes e métodos para a dimensão social na ATES/RS. Porto Alegre, 2015.

______. Projeto básico visando à licitação para a prestação de Serviços de Assessoria Técnica, Social e Ambiental (ATES), e elaboração de PDA ou PRA para as famílias assentadas no estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2013.

______. Manual operacional de Assessoria Técnica, Social e Ambiental à Reforma Agrária. Norma de execução n. 78, 31 de outubro de 2008. Brasília, 2008.

MONTEIRO, Carlos A. et al. Dietary guidelines to nourish humanity and the planet in the twenty-first century: a blueprint from Brazil. Public Health Nutrition, n. 24, p.1-12, 2015.

MOVIMENTO DOS TRABALHADORES SEM TERRA (MST). Setor de Educação. Alimentação saudável: um direito de todos. Jornada Cultural Nacional. Boletim da Educação, São Paulo, n. 13, 2015.

NEUMANN, Pedro S.; DALBIANCO, Vinicius P.; ZARNOT, Alisson V. A política pública de extensão rural em assentamentos da reforma agrária: a construção de um sistema pluralista descentralizado. In: GRISA, Cátia; SCHNEIDER, Sérgio. Políticas públicas de desenvolvimento rural no Brasil. Porto Alegre, RS: Ed. da UFRGS, 2015. p. 401-28.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A AGRICULTURA E A ALIMENTAÇÃO (FAO). O estado da segurança alimentar e nutricional no Brasil: um retrato multidimensional. Relatório 2014. Brasília, 2014.

PORTILHO, Fátima. Novos atores no mercado: movimentos sociais econômicos e consumidores politizados. Revista Política e Sociedade, n. 8, p. 199-224, 2009.

RITCHIE, Jane; LEWIS, Jane; ELAM, Gilliam. Designing and selecting samples. In: RITCHIE, Jane; LEWIS, Jane. Qualitative research practice: a guide for social science students and researchers. London: SAGE Publications, 2003. p. 77-108.

SCAGLIUSI, Fernanda B. et al. Eating at the table, on the couch and in bed: an exploration of different locus of commensality in the discourses of Brazilian working mothers. Appetite, n. 103, p. 80-6, 2016.

Publicado
2017-07-31