Tecnologia e sociedade: Álvaro Vieira Pinto e a filosofia do desenvolvimento social

  • Geovane Ferreira Gomes Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Cidoval Morais de Sousa Universidade Estadual da Paraíba
  • Maria Cristina Piumbato Innocentini Hayashi Universidade Federal de São Carlos
Palavras-chave: Álvaro Vieira Pinto, desenvolvimento social, tecnologia e sociedade.

Resumo

O texto discute a relação entre tecnologia e desenvolvimento social. Retoma autores do pensamento social brasileiro até chegar à filosofia social de Álvaro Vieira Pinto, para quem a chegada da tecnologia estrangeira ao Brasil, apesar de promover benefício inicial incompleto, permitiu a formação de mão de obra necessária ao desenvolvimento. Serão analisados os efeitos da instalação de empresas de tecnologia em Jaguariúna, SP, e mostradas a aderência da teoria Vieira Pinto no desenvolvimento da cidade.

Biografia do Autor

Geovane Ferreira Gomes, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Engenheiro (FEI), Sociólogo (Unicamp), Mestrado em Ciëncia Tecnologia e Sociedade (UFSCar), Doutorado em Sociologia (UFSCar), Professor do Curso de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) - Campus de Paranaíba.
Cidoval Morais de Sousa, Universidade Estadual da Paraíba
É Bacharel em Comunicação Social pela Universidade Estadual da Paraíba (1995), estudou Ciências Sociais (1986-90), fez especialização em Sociologia na Universidade Federal da Paraíba (1997) e doutorou-se em Geociências pela Universidade Estadual de Campinas (2005). É professor efetivo da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), vinculado ao Programas de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional. Participa de grupos pesquisas com interesse nos seguintes temas: Mídia Regional; Educação e Ciência; Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Regional; Políticas Públicas e Desenvolvimento Regional; Cidades de pequeno e médio porte. Colabora com o PPGCTS da UFSCar. Publicou/organizou vários livros temáticos e artigos em periódicos nacionais e estrangeiros. Tem experiência na área de comunicação midiática (jornal, rádio, revista, televisão, blog, etc), direção de editoras universitária, edição científica, faz roteiros, produz documentários científicos e históricos.
Maria Cristina Piumbato Innocentini Hayashi, Universidade Federal de São Carlos
Professora Titular em Ciência da Informação (UFSCar) é docente do Departamento de Ciência da Informação e dos Programas de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade (PPGCTS/UFSCar); Educação (PPGE/UFSCar); e Educação Especial (PPGEEs/UFSCar). Bacharel em Ciências Sociais pela Unesp/Araraquara (1979), mestre (1986) e doutora (1995) em Educação pela UFSCar. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade/UFSCar (fev. 2010 - maio 2014) e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação Especial/UFSCar (set. 2004 - ago.2008), organizadora do 2º. Encontro Brasileiro de Bibliometria e Cientometria (2o. EBBC) em 2010. Tem conduzido pesquisas sobre as dimensões quantitativa e qualitativa da produção científica em várias áreas de conhecimento, por meio da Bibliometria e da Cientometria. Também realiza pesquisas sobre questões de gênero em ciência e tecnologia, expertise e think tanks brasileiros, consultas públicas online, avaliação da pós-graduação, processos de produção, comunicação e apropriação do conhecimento científico, ancorada nas abordagens dos Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia e da Sociologia da Ciência.

Referências

ANGERAMI, S.; MARTINS, I. O teste de Rosana. Época Negócios, n. 2, abr. 2007. Disponível em: <http://epocanegocios.globo.com/Revista/Common/0,,ERT21976-16642,00.html>.

BOLETIM do Comércio Exterior da Região Metropolitana de Campinas (RMC) referente ao ano de 2007. Campinas: PUC-CAMPINAS, 2008. Disponível em: <http://www.puc-campinas.edu.br/midia/arquivos/2012/jun/balanco-2007.pdf > Acesso em: 19 ago. 2015.

BRASIL. Lei n. 8.248, de 23 de outubro de 1991. Disponível em: <http://www.mct.gov.br/index.php/content/view/6093.html#inexistente>. Acesso em: 7 jan. 2010.

CARDOSO, F. H.; FALETTO, E. Dependência e desenvolvimento na América Latina: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1970.

COR DO DINHEIRO: incentivo da lei de informática beneficia universidades e centros de pesquisa brasileiros, como o Inatel, A. Revista Inatel educação + tecnologia + negócios, mar. 2004. Disponível em: <http://www.inatel.br/home/downloads2/doc_download/25-materia-da-capa>. Acesso em: 9 set 2015.

FERREIRA, F. A. C. Avaliação do Processo Produtivo Básico (PPB) na indústria de telefonia celular no período de 2000 a 2006. 2007. Monografia (Especialização Política e Gestão de C&T: Tecnologia da Informação) - Centro de Desenvolvimento Sustentável/UnB, Brasília, 2007.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala. Rio de Janeiro: Record, 2002.

FREYRE, Gilberto. New world in the tropics. New York: Alfred A. Knopf, 1959.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Publifolha, 2000.

______. O mito do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1974.

GOMES, Geovane Ferreira. Da economia agrário-industrial à tecnologia da informação e comunicação: Jaguariúna-SP sob o olhar CTS. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciência, Tecnologia e Sociedade) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2010. Disponível em: <https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/1053/3294.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 21 abr. 2017.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

HUNT, E. K. História do pensamento econômico: uma perspectiva crítica. São Paulo: Elsevier, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Produto Interno Bruto dos Municípios – 2002-2005. Rio de Janeiro: IBGE, 2007. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv37310.pdf>. Acesso em: 8 set. 2015.

KLEBA, J. Tecnologia, ideologia e periferia: um debate com a filosofia da técnica de Álvaro Vieira Pinto. Convergencia: Revista de Ciencias Sociales, v. 13, n. 42, p. 73-93, set./dez. 2006.

LIPIETZ, A. Miragens e milagres: problemas da industrialização no terceiro mundo. São Paulo: Nobel, 1988.

MARX, K. A miséria da filosofia. São Paulo: Global, 1985.

MELLO, J. M. C. de. O Estado brasileiro e os limites da “estatização”. Ensaios de Opinião. (2+3) p. 14-16. Rio de Janeiro, 1977. Disponível em: <http://economidiando.blogspot.com.br/2011/09/o-estado-brasileiro-e-os-limites-da.html>. Acesso em: 9 set 2015.

MODESTO, R. V.; ANSELMO, R. C. M. S. Álvaro Vieira Pinto e o ISEB: do pensamento social para o pensamento geográfico. In: ENCONTRO INTERNO, 8., e SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFU, 12., 2008. Anais..., Uberlândia, MG: UFU, 2008. p. 1-8.

NEGRI, B. Concentração e desconcentração industrial em São Paulo: 1880-1990. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1996.

PERRUSI, M. S. Hegel: o desdobrar-se da consciência (a dialética do reconhecimento). Cadernos do CTCH, v. 4, p. 63-72, 1996.

PINTO, A. V. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008. v. 1.

PORTAL DOS TRABALHADORES. Jaguariúna recebe prêmio internacional por zerar mortalidade infantil. 16 nov. 2010. Disponível em: <http://www.portaldostrabalhadores.com.br/news-pt-br/2010-11-16/jaguariuna-recebe-premio-internacional-por-zerar-mortalidade-infantil/> Acesso em: 19 ago. 2015.

PRADO JUNIOR, Caio. Formação do Brasil contemporâneo. São Paulo: Publifolha, 2000.

PREBISCH, Raúl. El desarrollo econômico de la America Latina y algunos de sus principales problemas. Boletín Economico de America Latina, v. 7, n. 1, fev. 1962. Disponível em: <http://archivo.cepal.org/pdfs/boletinEconomico/S6200332.pdf>. Acesso em: 6 set. 2015.

PREFEITURA MUNICIPAL [de] Jaguariúna. Lei Complementar n. 33, de 12 de janeiro de 1996.

______. Lei Complementar n. 4, de 20 de dezembro de 1991.

______. Lei n. 708, de 2 de julho de 1985.

PREFEITURA DE JAGUARIÚNA: nada resiste ao trabalho. Jornal Gazeta Regional, 1992. Suplemento (Obras da Administração Tarcísio Chiavegato/Pedro Abrucês – 1989-1992).

RANIERI, J. Alienação e estranhamento: a atualidade de Marx na crítica contemporânea do capital. In: CONFERENCIA INTERNACIONAL KARL MARX Y LOS DESAFIOS DEL SIGLO XXI, 3., Cuba, 2006. Anais..., 2006. Disponível em: <www.nodo50.org/cubasigloXXI/congreso06/conf3_ranieri.pdf>. Acesso em: 9 set 2015.

SAMPAIO, A. C. A.; LIMA, J. M. Residência em software. Revista ProQualiti – Qualidade na Produção de Software, v. 2, n. 1, maio 2006. Disponível em: <http://jeltex.googlecode.com/svn/trunk/Jeltex/Material%20de%20Leitura/UML/Qualidade%20na%20Produ%C3%A7%C3%A3o%20de%20Sof%20tware.pdf >. Acesso em: 9 set 2015.

SÃO PAULO. Secretaria da Fazenda. Lei n. 6.374, de 1º de março de 1989. Disponível em: <http://info.fazenda.sp.gov.br/NXT/gateway.dll?f=templates&fn=default.htm&vid=sefaz_tributaria:vtribut>. Acesso em: 19 ago. 2015.

WEBER, M. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

Publicado
2017-05-30