Aspectos de Engenharia para a adaptação do Estádio Municipal do Pacaembu à prática do Rúgbi

  • André Ferreira Overa Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • André Munhoz de Argollo Ferrão Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
Palavras-chave: Pacaembu. Estádios esportivos. Rúgbi.

Resumo

Atualmente, o Sport Club Corinthians Paulista é o clube responsável pela maior parcela das receitas do Estádio Municipal do Pacaembu, porém, a partir de 2014, esse quadro irá se alterar, pois o Corinthians terá seu estádio próprio. Paralelamente, o Rúgbi se apresenta como um esporte em ascensão e popularização no Brasil, gerando uma nova demanda por estádios. O Pacaembu sempre foi um equipamento esportivo vanguardista, abrigando uma vasta gama de modalidades esportivas em suas dependências, atendendo às demandas da sociedade e às suas próprias no que diz respeito à viabilidade econômica e à promoção de sua identidade de “Templo do Esporte”. Em vários países do mundo, o Rúgbi é um esporte amplamente difundido, movimentando um grande mercado de fãs. Partindo-se da hipótese de que o Estádio do Pacaembu pode se tornar um palco do Rúgbi, neste Artigo apresenta-se uma análise dos parâmetros de Engenharia aplicados ao estádio para a prática do Futebol, e conclui-se que, com poucas intervenções, ele pode abrigar o Rúgbi de maneira satisfatória. Utilizando-se de parâmetros adaptados ao Rúgbi para se avaliar os quesitos técnicos de desempenho de estádios de futebol, e aplicando-os ao contexto do Estádio do Pacaembu, foi possível identificar as necessidades de adequação.

Referências

CERETO, Marcos Paulo. Arquitetura das massas: o caso dos estádios brasileiros. 2004. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2004.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL (CBF). Campeonato Brasileiro da Série A de 2011. Disponível em: <http://www.cbf.com.br/competicoes/campeonato-brasileiro/serie-a/2011>. Acesso em: 28 ago. 2012.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE RUGBY (CBRu). SPORTV transmitirá semifinais e final do Super 10. 2011. Disponível em: <http://www.sharklion.com/proyectos/cbru/main/content.php?page=20&i=3&id_noticia=441>. Acesso em: 28 ago. 2012.

INTERNATIONAL RUGBY BOARD (IRB). IRB applies for Rugby top level domain name. 2012. Disponível em: <http://www.irb.com/newsmedia/mediazone/pressrelease/newsid=2061834.html>. Acesso em: 28 ago. 2012.

______. Laws of the Game. 2012. Disponível em: <http://www.irblaws.com/downloads/EN/IRB_Laws_2012_EN.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2012.

JB WIKI. Jornal do Brasil. Fundação da cidade de São Paulo – SP: 25 de janeiro de 1554. Disponível em: <http://www.brasilwiki.com.br/noticia.php?id_noticia=49139>. Acesso em: 13 mar. 2013.

LA CORTE, Carlos de. Estádios brasileiros de futebol: uma análise de desempenho técnico, funcional e de gestão. 2007. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo/Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA. Resolução SC 05/98 de 21 de janeiro de 1998. Lex: DOE 02/04/98, p. 60.

SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTES, LAZER E RECREAÇÃO (SEME). Decreto n. 52.040 de 28 de dezembro de 2010. Lex.

______. Estádio do Pacaembu, História. Disponível em: <http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/esportes/estadio_pacaembu/historia/>. Acesso em: 28 ago. 2012.

SEVCENKO, Nicolau. Orfeu extático na metrópole: São Paulo sociedade e cultura nos frementes anos 20. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

Publicado
2015-11-25