Análise da eficiência e o posicionamento do ranking das cooperativas de crédito do Brasil

  • Fábio José Diel Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Tarcísio Pedro Silva Universidade Regional de Blumenau (FURB)
Palavras-chave: Eficiência. Ranking. Cooperativas de crédito.

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi analisar a eficiência e o posicionamento do ranking das cooperativas de crédito do Brasil, tendo característica descritiva e documental, com tratamento quantitativo. Nos resultados, quando utilizada matriz de preferência no método AHP, o ranking original apresentado pelo BACEN altera posição de 48 das 50 cooperativas, classificando inversamente ao ranking original.

 

Referências

ARCHER, S. H. The structure of management decision theory. The Academy of Management Journal, New York, USA, v. 7, n. 4, p. 269-287, Dec. 1964.

BACCARINI, D.; ARCHER, R. The risk ranking of projects: a methodology. International Journal of Project Management, Philadelphia, USA, v. 19, n. 1, p. 139-145, 2001.

BRASIL. Lei n. 4.595 de 31 de dezembro de 1964. Dispõe sobre a Política e as Instituições Monetárias, Bancárias e Creditícias, Cria o Conselho Monetário Nacional e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L4595.htm>. Acesso em: 20 nov. 2011.

______. Lei Complementar n. 130, de 17 de abril de 2009. Dispõe sobre o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo e revoga dispositivos das Leis nos 4.595, de 31 de dezembro de 1964, e 5.764, de 16 de dezembro de 1971. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br>. Acesso em: 25 maio 2012.

______. Resolução n. 3.859 de 27 de maio de 2010. Altera e consolida as normas relativas à constituição e ao funcionamento de cooperativas de crédito. Disponível em: <www.cooperativismodecrédito.com.br>. Acesso em: 25 maio 2012.

BRITO, G. A. S.; ASSAF NETO, A. Modelo de classificação de risco de crédito de empresas. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 19, n. 46, p. 18-29, jan./abr. 2008.

BÚRIGO, F. L. Finanças e solidariedade: o cooperativismo de crédito rural solidário no Brasil. Estudos Sociedade e Agricultura (UFRJ), Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, p. 312-349, dez. 2006.

______. Finanças e solidariedade: uma análise do cooperativismo de crédito rural solidário no Brasil. 2006. 374f. Tese (Doutorado em Sociologia Política) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2006.

CARLETON, W. T. An Analytical Model for Long-Range Financial Planning. The Journal of Finance, Malden, USA, v. 25, n. 2, p. 291-315, 1970.

COOPERATIVISMO de Crédito. Disponível em: <www.cooperativismodecredito.com.br>. Acesso em: 20 nov. 2011.

CUNHA, P. R.; BEUREN, I. M. Técnicas de amostragem utilizadas nas empresas de auditoria independente estabelecidas em Santa Catarina. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 17, n. 40, p. 67-86, jan./abr. 2006.

DAUTEN, C. A. A fresh approach to the place of consumer credit in economic and financial thinking. The Journal of Finance, Malden, USA, v. 9, n. 2, p. 111-123, May 1954.

DAYSON, K.; CARBONI, B. J.; KICKUL, J.; CALDERON, M.; GARRIDO, S. R. Introduction. In. CARBONI, B. J. (Org.). Handbook of microcredit in Europe: social inclusion through microenterprise development. Cheltenham, UK: MPG Books Groupl, 2010.

FAMA, E. F. Components of Investment Performance. The Journal of Finance, Malden, USA, n. 27, v. 3, p. 551-567, 1972.

FONSECA, J. S.; MARTINS, G. A.; TOLEDO, G. L. Estatística aplicada. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1995.

FRIED, H. O.; LOVELL, C. A. K.; YAISAWARNG, S. The impact of mergers on credit union service provision. Journal of Banking & Finance, Santa Clara, USA, v. 23, p. 367-386, 1999.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

GONÇALVES, R. M. L. Condicionantes do risco de liquidez em cooperativas de economia e crédito mútuo do estado de Minas Gerais. 2005. 118f. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) – Programa de Pós-graduação em Economia Aplicada, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, MG, 2005.

GRACE, M. F.; HARRINGTON, S. E.; KLEIN, R. W. Risk-based capital and solvency screening in property-liability insurance: hypotheses and empirical tests. The Journal of Risk and Insurance, Pennsylvania, USA, n. 65, v. 2, p. 213-243, 1998.

HORRIGAN, J. O. A short history of financial ratio analysis. The Accounting Review, Pittsburgh, USA, n. 43, v. 2, p. 284-294, 1968.

LAZZARINI, S. G.; BIALOSKORSKI NETO, S.; CHADDAD, F. R. Decisões financeiras em cooperativas: fontes de ineficiência e possíveis soluções. Gestão e Produção (UFSCAR), São Carlos, SP, v. 6, n. 3, p. 257-268, dez. 1999.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas, 2007.

PINHEIRO, M. A. H. Cooperativas de crédito: história da evolução normativa no Brasil. Brasília: BCB, 2005.

______. ______. 6. ed. Brasília: BCB, 2008.

RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Caracterização da pesquisa em Contabilidade. In. BEUREN, I. M. (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2004.

ROBBINS, S.; FOSTER JR, E. Profit-planning and the finance function. The Journal of Finance, Malden, USA, v. 12, n. 4, p. 451-467, Dec., 1957.

SAATY, T. L. Método de análise hierárquica. São Paulo: Makron Books, 1991.

SANTOS, K. F.; CARMONA, C. U. M.; LEISMANN, E. L. Gerenciamento do risco de crédito em micro e pequenas empresas: recortes teórico-empíricos. Revista da Micro e Pequena Empresa, Campo Limpo Paulista, SP, v. 3, n. 3, p. 83-95, 2010.

SHIMIZU, T. Decisão nas organizações. São Paulo: Atlas, 2001.

SILVA, E. S. A eficiência econômica e social em cooperativas do setor pecuário em Pernambuco. Custos e @gronegócio on line, Recife, PE, v. 1, n. 2, p. 25-44, 2005.

SILVA, A. C. R. Metodologia da pesquisa aplicada à contabilidade: orientações de estudos, projetos, artigos, relatórios, monografias, dissertações, teses. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

SILVA, T. P.; FIORENTIN, M.; TOLEDO FILHO, J. R. Análise da eficiência e do ranking das dez maiores cooperativas de crédito do Brasil. Espacios, Caracas, v. 2, n. 32, p. 29-46, 2011.

SILVA FILHO, G. T. Avaliação de desempenho em cooperativas de crédito: uma aplicação do modelo de gestão econômica – GECON. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, MG, v. 1, n. 4, p. 266-282, 2002.

SILVA, T. P. Risco positivo na atividade de crédito que otimiza o desempenho econômico-financeiro de cooperativas de crédito. 2012. 203p. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis e Administração) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Regional de Blumenau, Blumenau, SC, 2012.

SOARES, M. M.; MELO SOBRINHO, A. D. Microfinanças: o papel do Banco Central do Brasil e a importância do cooperativismo de crédito. Brasília: BCB, 2007.

TURNOVSKY, S. J. Financial structure and the theory of production. The Journal of Finance, Malden, USA, v. 25, n. 5, p. 1061-1080, Dec., 1970.

VERGARA, S. C. Projeto e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 1998.

ZHOU, L.; LAI, K. K. Multi-agent ensemble models based on Weighted Least Square SVM for credit risk assessment. Global Congress on Intelligent Systems, Hong Kong, China, 19-21 May 2009. v. 3.

Publicado
2015-11-25