A religiosidade como elemento do desenvolvimento humano

  • Maria Augusta Castilho Universidade Católica Dom Bosco - UCDB
  • Clacir José Bernardi Universidade Católica Dom Bosco
Palavras-chave: religiosidade, território, desenvolvimento humano, cultura.

Resumo

Este estudo analisa e interpreta a religiosidade em seu contexto territorial, buscando apreender as identidades coletivas e a dinâmica da religião como propriedades dessas identidades. A pesquisa pautou-se no método dedutivo, e as fontes que a viabilizaram foram: jornais, sites, livros, artigos, interpretadas à luz das categorias da religiosidade. Se a religião está ligada a uma cultura, ela é importante para determinar essa cultura. Ao sacralizar o mundo, o homem religioso atribui à significação plena de um espaço sagrado em oposição a todo o resto, como sendo sem forma e sentido.

Biografia do Autor

Maria Augusta Castilho, Universidade Católica Dom Bosco - UCDB
Docente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Local - Mestrado/Doutorado; Curso de História - Universidade Católica Dom Bosco - UCDB
Clacir José Bernardi, Universidade Católica Dom Bosco
Aluno Especial do Programa de Pós-graduação em desenvolvimento Local - Doutorado - Universidade Católica Dom Bosco - UCDB e professor do Curso de Direito (UCDB)

Referências

BENEDICT, Ruth. The science of custom. In: ______. Patterns of culture. Tradução de Olga Dória. Boston: Houghton Mifflin Company, 1934. p. 1-20.

BOAS, Frans. A mente do ser humano primitivo. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

BOISIER, Sérgio. Desarrollo territorial y descentralización. El desarrollo en el lugar y en las manos de la gente. Revista Eure, Santiago de Chile, v. XXX, n. 90, p. 27-40, set. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.cl/pdf/eure/v30n90/art03.pdf>. Acesso em: 5 jun. 2016.

CAMPBELL, Joseph; MOYERS, Bill. O poder do mito. São Paulo: Palas Atena, 1990.

CASTILHO, Maria Augusta de. O místico da fé católica em Campo Grande – devoções populares. In: CASTILHO, M. A. (Org.). O sagrado e o místico da fé católica no contexto da territorialidade urbana em Campo Grande - MS. Campo Grande, MS: UCDB, 2006.

CASTILHO, Maria Augusta; AVER, Fernando Alessio. Devoção popular a Fátima no cemitério Santo Amaro. In: CASTILHO, M. A. (Org.). O sagrado e o místico da fé católica no contexto da territorialidade urbana em Campo Grande - MS. Campo Grande, MS: UCDB, 2006.

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. 3. ed. São Paulo: Ática, 1995.

DUSSEL, D. Enrique. Caminhos de libertação latino-americana. São Paulo: Edições Loyola, 1980.

LAS CASAS, F. B. O paraíso destruído: a sangrenta história da conquista da América Espanhola. Tradução de Heraldo Barbuy. Porto Alegre: L&PM, 2011.

MARX, Karl. A origem do capital: acumulação primitiva. 6. ed. Tradução de Walter S. Maia. São Paulo; Rio de Janeiro: Global, 1989.

OLIVEN, Rubem G. Cidades, territórios e identidade. In: CARNEIRO, Sandra S.; SANT’ANNA, Maria J. G. (Org.). Cidade: olhares e trajetórias. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

PECQUER, Bernard. O desenvolvimento local para uma economia dos territórios. Paris: Syros, 2000.

PICH, Roberto Hofmeister. Dominium e ius: sobre a fundamentação dos direitos humanos segundo Francisco de Vitoria (1483-1546). Revista Teocomunicação, Porto Alegre, v. 42, n. 2, p. 376-401, jul./dez. 2012.

RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993.

RAMPAZZO, L. Antropologia, religiões e valores cristãos. São Paulo: CEDAS/Loyola, 1996.

SANCHES, Mário Antônio. Religião e ciência: o porquê do diálogo. In: ROSSI, L. A. S.; KUZMA, C. A. Cultura, religião e sociedade: um diálogo entre diferentes saberes. Curitiba: Champagnat, 2010. p. 155-167.

______. Bioética: ciência e transcendência. São Paulo: Loyola, 2004.

SANTOS, Luis Carlos. Ancestralidade e liberdade: em torno de uma filosofia africana no Brasil. Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação - RESAFE, n. 18, p. 48-61, maio/out. 2012.

SEYFERTH, Giralda. Comemoração, identidade e a memória da imigração. In: FERRERA, Ademir P. (Org.). A experiência migrante: entre deslocados e reconstruções. Rio de Janeiro: Garamond, 2010.

WEBER, A. História sociológica da cultura. Tradução de M. E. Costa da Fonseca, M. M. Duarte Sequeira. São Paulo: Mestre Jou, 1970.

ZEA, Leopoldo. Discurso desde a marginalização e a barbárie - seguido de A filosofia latino-americana como filosofia pura e simplesmente. Tradução de Luiz Gonzalo Acosta Espejo, Francisco Alcidez Candia Quintana e Maurício Delamaro. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

Publicado
2016-12-18