Cadeias produtivas sustentáveis no desenvolvimento territorial: a castanha na Bolívia e no Acre, Brasil

  • Markus Erwin Brose Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)
Palavras-chave: Servidão por dívida. Castanha. Amazônia.

Resumo

A cadeia produtiva da castanha tem sua produção limitada a dois territórios vizinhos, historicamente baseada na servidão por dívida. Ambas as regiões passaram por profundas modificações nas últimas décadas e oferecem rara oportunidade para comparar as condições de trabalho em uma mesma cadeia produtiva. Apresentamos indicadores de que, ao contrário da Bolívia, a mobilização social no Acre viabilizou a reestruturação da cadeia produtiva, tornando-a mais inclusiva e sustentável.

 

Referências

ABRAMOVAY, Ricardo. Entre Deus e o diabo: mercados e interação humana nas ciências sociais. Tempo Social. São Paulo. v. 16, n. 2, p. 35-64, 2004.

______. Para uma teoria dos estudos territoriais. In: MANZANAL, M.; NEIMAN, G.; LATTUADA, M. (Ed.) Desarrollo rural: organizaciones, instituciones y territorios. Buenos Aires: Ediciones Ciccus, 2006.

ABRAMOVAY, Ricardo; VOIVODIC, A.; CARDOSO, F.; CONROY, M. Social movements and NGOs in the construction of new markets. Economic Sociology, Strassburg. v. 11, n. 2, p. 24-30, 2010.

AGUIAR FILHO, Adonias. Sul da Bahia: chão do cacau, uma civilização regional. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976.

ASSIES, Willem. Amazon nuts, forests and sustainability in Bolivia and Brazil. Em: ROS-TONEN, M. (Ed.) NTFP research in the Tropenbos Programme: results and perspectives. Wageningen: Tropenbos Foundation, 1999.

______. From rubber estate to simple commodity production: agrarian struggles in the Northern Bolivian Amazon. The Journal of Peasant Studies, London, v. 29, n. 3-4, p. 83-130, apr./jul. 2002.

BAYMA, Marcos. Castanha-do-brasil: cadeia produtiva se destaca no agronegócio acreano. A Gazeta, Rio Branco, p. C1-7, 26 dez. 2012.

BENTANCUR, Marta. Ex-post evaluation of project STDF 114: Sustainable and effective aflatoxin management in Brazil nut. Final report for WTO, jun. 2010.

BRASS, Tom. Towards a comparative political economy of unfree labor: case studies and debates. Library of peasant studies 16. London: Frank Cass, 1999.

______. Unfree labor as primitive accumulation? Capital&Class, London, v. 35, n. 1, p. 23-38, feb. 2011.

BRASS, Tom; VAN DER LINDEN, Marcel (Ed.). Free and Unfree Labour: the debate continues. New York: Peter Lang, 1997

CABANES, Guillaume (Org.). Vivências, lutas, memórias: histórias de vida de lideranças comunitárias em Fortaleza. Fortaleza: Fundação D. Rocha, 2002.

CONCEIÇÃO, Manuel. Essa terra é nossa: depoimento sobre a vida e as lutas de camponeses no Maranhão. Petrópolis: Vozes, 1980.

COSLOVSKY, Salo. Economic development without pre-requisites: how Bolivian producers met strict food safety standards and dominated the global Brazil-nut market. World Development, New York, v. 54, p. 32-45, 2014.

COSTA, Rosangela; PIKETTY, Marie; ABRAMOVAY, Ricardo. Pagamentos por serviços ambientais, custos de oportunidade e a transição para usos da terra alternativos: o caso de agricultores familiares do Nordeste Paraense. Sustentabilidade em Debate, Brasília, v. 4, n. 1, p. 99-116, 2103.

CUELLAR, Alvaro (Ed.). Informe de Desarrollo Humano en el Norte Amazonico 2003. La Paz: PNUD, 2003.

CRESPO, Luis. Bolivia: guaraníes ‘desamparados’. BBC Mundo, 13 maio 2005. Disponível em: <www.news.bbc.co.uk>. Acesso em: 6 fev. 2014.

FILOCREÃO, Antonio. A castanha no desenvolvimento sustentável da Amazônia. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL - AMAZÔNIA E FRONTEIRAS DO CONHECIMENTO, 9-11 dez. 2008, Belém. Anais... Belém: UFPA, 2008.

FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA - UNICEF. Sin tiempo para soñar: Niños, niñas y adolescentes em la zafra y el beneficiado de la castaña. La Paz: UNICEF, 2008. (Serie Peores Formas de Trabajo Infantil).

GARLAND, Eduardo; SILVA-SANTISTEBAN, Alvaro. Enganche y servidumbre por deudas en Bolivia. Working Paper 41. Genebra: OIT, 2005.

HAGAN, Jim; WELLS, Andrew. Brassed-off: the question of labour unfreedom revisited. International Review of Social History, Cambridge, n. 45, p. 475-485, 2000.

HELBINGEN, Alan J. B. Balance is beautiful: assessing sustainable development in the rain forest of the Bolivian Amazon. PROMAB Scientific Series 3. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Utrecht, Holanda, 2001.

KEANE, Jodie; LEMMA, Alberto. The Brazil nut value chain in the northern amazon region of Bolivia. Case study project COPLA. Londres: ODI, 2009.

KOHN, Margaret. Radical space: building the house of the people. Itaca: Cornell University, 2003.

LACERDA, Franciane. Migrantes cearenses no Pará: faces da sobrevivência, 1889-1916. Belém: Editora Açaí, 2010.

LOBO, Cecilia (Coord.). Trabajo infantil y adolescente em Bolivia: guia para la acción. La Paz: Ministério de Trabajo/UNICEF/OIT, 2009.

MACIEL, Raimundo. Certificação ambiental: uma estratégia para a conservação da Amazônia. Tese (Doutorado em Economia) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

MACIEL, Raimundo; REYDON, Bastiaan. Produção de castanha-do-brasil certificada na Resex Chico Mendes: impactos e avaliações. Em: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL - SOBER, XLVI., 20-23 jul. 2008, Rio Branco. Anais... Rio Branco: UNICAMP, 2008.

MARTINS, Elson. Váyase com Dios, Mutran! Página 20, Rio Branco, 10 maio 2004. Disponível em: <www.pagina20.uol.com.br>. Acesso em: 17 out. 2013.

MONTERO, Lourdes; POVEDA, Pablo. Ser castañera: cadena productiva y condiciones laborales de la castaña em Riberalta. La Paz: CEDLA, 2003.

MORI, S. The Brazil nut industry: past, present and future. The New York Botanical Garden, Bronx, NY, 1992. Disponível em: <www.nybg.org/bsci/braznut>. Acesso em: 2 jul. 2013.

NEUMANN, Denise. Indústria quer usar Paraguai contra a China. Valor Econômico, São Paulo, p. C-4, 25 fev. 2014.

OEMER, Claudia. Living conditions of forest dependent people in the Northern Bolivian Amazon: a case study of El Sena municipality. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Freiburg, Freiburg, 2004.

PACHECO, P; BARRY, D; CRONKLETON, P.; LARSON, A. The role of informal institutions in the use of forest resources in Latin America. Bogor, Indonesia: CIFOR, 2008. (Forests and Governance Programmen, n. 15).

PEÑA, Pablo. La castaña y la shiringa en Madre de Dios. Lima: SPDA, 2010. (Cuaderno de investigación, n. 3) .

PUTNAM, Robert. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro: FGV, 1995.

RANZI, C. Raízes do Acre. 3. ed. Rio Branco: EDUFAC, 2008.

RIENSTRA, Dianna. Can a nut save the rainforest? International Trade Forum, n. 4, 2004. Disponível em: <www.tradeforum.org>. Acesso em: 10 jul. 2013.

RIBEIRO, Berta (Coord.). Etnobiologia. Petrópolis: Vozes; Brasília: FINEP, 1986. (Suma Etnológica Brasileira, v. 1).

RIBEIRO, M. Ecologia, manejo e sustentabilidade da exploração da castanha-da-amazônia pelos índios Kayapó. 2011. Tese (Doutorado em Biologia Tropical) - Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus.

RODRIGUES, G. Caminhando na floresta. Rio Branco: EDUFAC, 2009.

ROTHMAN, Franklin. A emergência do movimento dos atingidos pelas barragens da bacia do rio Uruguai 1979-1983. In: NAVARRO, Z. (Org.). Política, protesto e cidadania no campo. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1996.

SAKAMOTO, Leonardo. Os negócios da família Mutran. Carta maior. Trabalho Escravo 3. 19 fev. 2004. Disponível em: <www.cartamaior.com.br>. Acesso em: 10 jul. 2013.

SCOLESE, Eduardo. Pioneiros do MST: caminhos e descaminhos de homens e mulheres que criaram o movimento. Rio de Janeiro: Record, 2008.

SEN, Amartya. Poverty and Famine: An essay on entitlement and deprivation. Oxford: The University Press, 1990.

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS - SEBRAE. Castanha-do-brasil: opções de investimento no Acre com produtos florestais não-madeireiros. Rio Branco: Sebrae-AC, 1995. (Série Portfólios de Produtos Potenciais da Amazônia).

SILVA, Sheila. Estado e políticas públicas no mercado de castanha-do-brasil no estado do Acre: uma análise pela abordagem do desenvolvimento local. Revista IdeAS, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 103-128, jun./jul. 2010.

SOLT, Frederick. Civics or structure? Revisiting the origins of democratic quality in the Italian regions. British Journal of Political Science, London, v. 34, p. 123-135, 2004.

STOIAN, Dietmar. Shifts in forest product extraction: the post-rubber era in the Bolivian Amazon. International Tree Crops Journal, v. 10, p. 277-297, 2000.

STOIAN, Dietmar. Making the best of two worlds: rural and peri-urban livelihoods options sustained by nontimber forest products from the Bolivian Amazon. World Development, New York, v. 33, n. 9, p. 1473-1490, 2005.

TOLEDO, Karina. Agropecuária brasileira torna-se mais produtiva, porém mais excludente. Comunicado FAPESP, 4 fev. 2014. Disponível em: < http://agencia.fapesp.br/agropecuaria_brasileira_tornase_mais_produtiva_porem_mais_excludente/18569/>. Acesso em: 6 fev. 2014.

TORRES, Rodolfo. Trabajo decente: diagnostico Bolivia. La Paz: CIDA, 2010.

TRIGILIA, Carlo. Small-firm development and political subcultures in Italy. In: GOODMAN, E.; BAMFORD, J.; SAYNOR, P. (Ed.). Small-firms and industrial districts in Italy. London: Routledge, 1989. p. 174-197.

VERITÉ. Research on indicators of forced labor in the supply chains of Brazil-nuts, cattle, corn and peanuts in Bolivia. Verité, Amherst, 2011.

Publicado
2016-02-29