Relação pessoa-ambiente: caminhos para uma vida sustentável

  • Elisa Ferrari Justulin Zacarias Universidade Federal do Amazonas
  • Maria Inês Gasparetto Higuchi Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA)
Palavras-chave: crise ambiental, comportamento, sustentabilidade.

Resumo

A ideia do comportamento sustentável emerge diante de um cenário de crise ambiental como uma possível solução em busca da reversão desse quadro. Entretanto há dificuldades em efetivar esse novo modo de pensar e agir, uma vez que o comportamento humano é alimentado por uma matriz complexa de filtros. Por essa razão, compreender a relação pessoa-ambiente pode fornecer instrumentos para superar esse impasse.

Biografia do Autor

Elisa Ferrari Justulin Zacarias, Universidade Federal do Amazonas

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia (PPG- CASA) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus – AM, Brasil.

Maria Inês Gasparetto Higuchi, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA)

Pesquisadora do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e professora do Programa do Pós-graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Manaus – AM, Brasil

Referências

AMERICAN PSYCHOLOGICAL ASSOCIATION (APA). Psychology & Global Climate Change: addressing multifaceted phenomenon and set of challenges. A Report of the American Psychological Association. New York, 2009.

BRASIL. Ministério Meio Ambiente (MMA); Ministério da Educação (MEC). Consumo sustentável: manual de educação. Brasília: Consumers International/MMA/MEC/IDEC, 2005. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao8.pdf>. Acesso em: 3 jun. 2016.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Ignacy Sachs e a nave espacial Terra. Revista de Economia Política, São Paulo, v. 33, n. 2, p. 360-366, abr./jun. 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-31572013000200010>. Acesso em: 25 abr. 2016.

CASTRO, Ricardo de. Educación ambiental. In: ARAGONÉS, Juan Ignacio; AMÉRIGO, María (Org.). Psicología Ambiental. Madrid: Ediciones Pirámides, 2002. p. 357-379.

CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice Azambuja. Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

CAVALCANTI, Clóvis. Sustentabilidade: mantra ou escolha moral? Uma abordagem ecológico-econômica. Estudos Avançados, São Paulo, v. 26, n. 74, p. 35-50, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142012000100004>. Acesso em: 24 abr. 2016.

CLEMENT, Charles R.; HIGUCHI, Niro. A floresta amazônica e o futuro do Brasil. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 58, n. 3, p. 44-49, jul./set. 2006. Disponível em: <http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?pid=S0009-67252006000300018&script=sci_arttext>. Acesso em: 18 abr. 2017.

CORRAL-VERDUGO, Victor. Psicología de la sustentabilidad. Un análisis de lo que nos hace pro ecológicos y pro sociales. México: Trillas, 2010.

CORRAL-VERDUGO, V. et al. Orientación a la sostenibilidad como base para el comportamiento pro-social y pro-ecológico. Medio Ambiente y Comportamiento Humano, v. 10, n. 3, p. 195-215, 2009. Disponível em: <https://mach.webs.ull.es/PDFS/Vol10_3/Vol10_3_b.pdf>. Acesso em: 24 abr. 2017.

CORRAL-VERDUGO, V.; PINHEIRO, J. Q. Aproximaciones al estudio de la conducta sustentable. Medio ambiente y comportamiento humano, v. 5, n. 1, p. 1-26, 2004. Disponível em: <https://sistemamid.com/panel/uploads/biblioteca/2014-09-30_10-57-10111187.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2017

CORRALIZA, Jose Antonio. Emoción y ambiente. In: ARAGONÉS, Juan Ignacio; AMÉRIGO, María (Org.). Psicología ambiental. Madrid: Ediciones Pirámides, 2002. p.59-76.

ELALI, Gleice Azambuja; MEDEIROS, Samia Thaís Feijó de. Apego ao lugar. In: CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice Azambuja. Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 53-62.

GIFFORD, Robert. O papel da Psicologia Ambiental na formação da Política Ambiental e na construção do futuro. Psicologia USP, v. 16, n. 1-2, p. 237–247, 2005. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/psicousp/article/viewFile/41854/45522>. Acesso em: 18 abr. 2017

GLASSER, Harold. Visions of Sustainability. Sustainability: The Journal of Record, v. 9, n. 2, p. 56-64, abr. 2016. Disponível em: <http://online.liebertpub.com/doi/pdf/10.1089/SUS.2016.29044>. Acesso em: 24 abr. 2016.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

HERCULANO, Selene. Riscos e desigualdade social: a temática da Justiça Ambiental e sua construção no Brasil. In: ENCONTRO DA ANPPAS, 1., 2002, Indaiatuba, SP. Disponível em: <http://www.anppas.org.br/encontro_anual/encontro1/gt/teoria_meio_ambiente/Selene%20Herculano.pdf>.

HIGUCHI, Maria Inês Gasparetto; KUHNEN, Ariane. Percepção e representação ambiental – métodos e técnicas de pesquisa para a Educação Ambiental. In: PINHEIRO, José de Queiroz; GUNTHER, Hartmut (Org.). Métodos de pesquisa nos estudos pessoa-ambiente. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008. p. 181-215.

HIGUCHI, Maria Inês Gasparetto; CALEGARE, Marcelo Gustavo Aguilar; FREITAS, Camila Carla. Socialidade e espacialidade nas comunidades de Unidades de Conservação no Amazonas. In: HIGUCHI, Maria Inês Gasparetto; FREITAS, Camila Carla; HIGUCHI, Niro. Morar e viver em Unidades de Conservação no Amazonas: considerações socioambientais para os planos de manejo. Manaus: [s.n.], 2013. p. 23-62.

KUHNEN, Ariane; HIGUCHI, Maria Inês Gasparetto. Percepção ambiental. In: CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice Azambuja. Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 250-266.

KUHNEN, Ariane; IMPROTA, Rafaella Lenoir; SILVEIRA, Scheila Machado da. Comportamento humano e recursos naturais: qualidade e disponibilidade da água avaliadas pelos usuários. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 25, n. 3, p. 453-460, jul./set. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-37722009000300021>. Acesso em: 28 abr. 2016.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Zahar, 1986.

LARSON, L. R. et al. Understanding the multi-dimensional structure of pro-environmental behavior. Journal of Environmental Psychology, v. 43, p. 112-124, set. 2015. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0272494415300177>. Acesso em: 24 abr. 2017.

LEAL, Giuliana Franco. Justiça ambiental, conflitos latentes e externalizados: estudo de caso de pescadores artesanais do Norte Fluminense. Ambiente & Sociedade, v. 16, n. 4, p. 83-102, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-753X2013000400006&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 20 abr. 2017.

LEMOS, Sônia Maria; HIGUCHI, Maria Inês Gasparetto. Compromisso socioambiental e vulnerabilidade. Ambiente & Sociedade, Campinas, SP, v. 14, n. 2, p. 123-138, jul./dez. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-753X2011000200009>. Acesso em: 2 maio 2016.

MILLER JR., G. Tyler. Ciência Ambiental. Tradução da 11. ed. Norte-Americana. [S.l.]: Cencage Learning, 2007.

NASCIMENTO, Elimar Pinheiro do. Trajetória da sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Estudos Avançados, São Paulo, v. 26, n.74, p. 51-64, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ea/v26n74/a05v26n74.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2016.

OSKAMP, Stuart. Psychological contributions to achieving an ecologically sustainable future for humanity. Journal of Social Issues, v. 56, n. 3, p. 373-390, 2000. Disponível em: <https://web.stanford.edu/~kcarmel/CC_BehavChange_Course/readings/Additional%20Resources/J%20Soc%20Issues%202000/oskamp_2000_2_generalobstacles_c.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2016.

PATO, Claudia Márcia Lyra; CAMPOS, Camila Bolzan de. Comportamento ecológico. In: CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice Azambuja. Temas básicos em Psicologia Ambiental. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 122-143.

STERN, Paul. Contributions of Psychology to limiting climate change. American Psychologist, v. 66, n. 4, p. 303-314, maio/jun. 2011. Disponível em: <http://psycnet-apa-org.ez44.periodicos.capes.gov.br/journals/amp/66/4/303/>. Acesso em: 10 maio 2016.

STOKOLS, Daniel; MISRA, Shalini; RUNNERSTROM, Miryha Gould; HIPP, J. Aaron. Psychology in an Age of Ecological Crisis: From Personal Angst to Collective Action. American Psychologist, v. 64, n. 3, p. 181-193, abr. 2009. Disponível em: <http://psycnet.apa.org/?fa=main.doiLanding&doi=10.1037/a0014717>. Acesso em: 08 maio 2016.

THOGERSEN, John. Unsustainable consumption: basic causes and implications for policy. European Psychologist, n. 19, p. 84-95, jan. 2014. Disponível em: http://econtent.hogrefe.com/doi/abs/10.1027/1016-9040/a000176. Acesso em: 6 jun. 2016.

TORVISCO, Juan Martínez. Espacio personal y ecologia del pequeño grupo. In: ARAGONÉS, Juan Ignacio; AMÉRIGO, María (Org.). Psicología Ambiental. Madrid: Ediciones Pirámides, 2002. p. 102-122.

TUAN, Yi Fu. Topofilia – um estudo de percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina, PR: Eduel, 2012.

ZANIRATO, Sílvia Helena; ROTONDARO, Tatiana. Consumo, um dos dilemas da sustentabilidade. Estudos Avançados, São Paulo, v. 30, n. 88, p. 77-92, set./dez. 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142016000300077>. Acesso em: 18 abr. 2017.

Publicado
2017-07-31