Alimentos da agricultura familiar na alimentação escolar: percepções dos atores sociais sobre a legislação e sua implementação

Palavras-chave: desenvolvimento local, desenvolvimento rural, programas e políticas de nutrição e alimentação.

Resumo

O estudo objetivou conhecer percepções de diferentes atores sociais sobre a Lei 11.947/2009 e sua implementação, nas questões da agricultura familiar. Trata de pesquisa qualitativa com 35 atores da alimentação escolar em 8 municípios catarinenses. A Lei foi percebida como vetor de alimentação saudável, fortalecimento da agricultura familiar, desenvolvimento local; sua implementação foi iniciativa dos gestores técnicos do programa. Recomenda-se incentivo à participação e protagonismo dos demais atores envolvidos.

Biografia do Autor

Márcia Pozzagnol Mossmann, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ

Nutricionista. Mestre em Ciências da Saúde - Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ.

Carla Rosane Paz Arruda Teo, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ
Doutora em Ciência de Alimentos pela Universidade
Estadual de Londrina (UEL). Docente do Curso de Nutrição
e do Programa de Pós­Graduação stricto sensu em
Ciências da Saúde da Universidade Comunitária da
Região de Chapecó (Unochapecó).

Referências

ALMEIDA, L. M. M. C. et al. Políticas públicas, redes de segurança alimentar e agricultura familiar: elementos para construção de indicadores de eficácia. Estudos Sociedade e Agricultura, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, p. 205-235, out. 2006.

AZEVEDO, E; RIGON, S. A. Sistema alimentar com base no conceito de sustentabilidade. In: TADDEI, J. A.; LANG, R. M. F.; SILVA, G. L.; TOLONI, M. H. A. Nutrição em saúde pública. São Paulo: Rubio, 2010. p. 543-560

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE. Aquisição de produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar. 2. ed. Brasília: FNDE, 2016.

______. Resolução/CD/FNDE n. 4, de 2 de abril de 2015. Altera a redação dos artigos 25 a 32 da Resolução/CD/FNDE n. 26, de 17 de junho de 2013, no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Diário Oficial da União, Brasília, 03 abr. 2015. Seção 1, p. 10.

______. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Resolução n. 26, de 17 de junho de 2013. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. Diário Oficial da União, Brasília, 18 jun. 2013. Seção 1, p. 7.

______. Conselho Federal de Nutricionistas. Resolução/CFN n. 465, de 23 de agosto de 2010. Dispõe sobre as atribuições do Nutricionista, estabelece parâmetros numéricos mínimos de referência no âmbito do Programa de Alimentação Escolar (PAE) e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 25 ago. 2010. Seção 1, p. 118

______. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Lei n. 11.947, de 16 de junho de 2009. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar e do Programa Dinheiro Direto na Escola. Diário Oficial da União, Brasília, 17 jun. 2009. Seção 1, p. 2.

______. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

______. Resolução/CD/FNDE n. 32, de 10 de agosto de 2006. Estabelece as normas para a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar -PNAE. Diário Oficial da União, Brasília, 11 ago. 2006. Seção 1, p. 22.

BUARQUE, S. C. Metodologia de planejamento do desenvolvimento local e municipal sustentável. Brasília: INCRA/IICA, 1999.

CARVALHO, D. G. de. O Programa Nacional de Alimentação Escolar e a sustentabilidade: o caso do Distrito Federal. 2009. 238 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2009.

DOWBOR, L. et al. Políticas para o desenvolvimento local. São Paulo: Perseu Abramo, 2010.

FUNDO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO (FNDE). Dados físicos e financeiros do PNAE, 2015. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/programas/alimentacao-escolar/alimentacao-escolar-consultas/alimentacao-escolar-dados-f%C3%ADsicos-e-financeiros-do-pnae>. Acesso em: 15 jul. 2016.

GONZALEZ-CHICA, D. A. et al. Percepção dos cozinheiros escolares sobre o processo de utilização de produtos orgânicos na alimentação escolar em municípios catarinenses. Revista de Nutrição, Campinas, v. 26, n. 4, p. 407-418, jul./ago. 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo demográfico de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2011. Disponível em: <http://www.brasileirosnomundo.itamaraty.gov.br/a-comunidade/estimativas-populacionais-das-comunidades/estimativas-do-ibge/censo-demografico-ibge-2010.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2015.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Censo Escolar, 2013. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/basica-censo>. Acesso em: 15 jul. 2016.

______. Censo Escolar, 2012. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/basica-censo>. Acesso em: 15 jul. 2016.

JARA, C. J. A sustentabilidade do desenvolvimento local: desafios de um processo em construção. Brasília: Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA); Recife: Secretaria do Planejamento do Estado de Pernambuco (Seplan), 1998.

LEVY, R. B. et al. Distribuição regional e socioeconômica da disponibilidade domiciliar de alimentos no Brasil em 2008-2009. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 6-15, fev. 2012.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13. ed. São Paulo: HUCITEC, 2013.

PIRES, L. H. A descentralização do poder e a regionalização das soluções como instrumentos de promoção do desenvolvimento local/regional. In: DOWBOR, L. et al. Políticas para o desenvolvimento local. São Paulo: Perseu Abramo, 2010. p. 105-130.

SANTOS, L. M. P. et al. Avaliação de políticas de segurança alimentar e combate à fome no período 1995-2002: 4 - Programa Nacional de Alimentação Escolar. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 11, p. 2681-2693, nov. 2007.

SARAIVA, E. B. et al. Panorama da compra de alimentos da agricultura familiar para o Programa Nacional de Alimentação Escolar. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 4, p. 927-935, abr. 2013.

SILVEIRA, C. Desenvolvimento local e novos arranjos socioinstitucionais: algumas referências para a questão da governança. In: DOWBOR, L. et al. Políticas para o desenvolvimento local. São Paulo: Perseu Abramo, 2010. p. 41-66.

SOARES, P. et al. Potencialidades e dificuldades para o abastecimento da alimentação escolar mediante a aquisição de alimentos da agricultura familiar em um município brasileiro. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 6, p. 1891-1900, jun. 2015.

SUBIRATS, J.; KNOEPFEL, P.; LARRUE, C.; VARONNE, F. Análisis y gestión de políticas públicas. Barcelona: Ariel, 2008.

TRICHES, R. M; GERHARDT, T. E; SCHNEIDER, S. Políticas alimentares: interações entre saúde, consumo e produção de alimentos. Interações, Campo Grande, v. 15, n. 1, p. 109-120, jan./jun. 2014.

TURPIN, M. E. A alimentação escolar como fator de desenvolvimento local por meio do apoio aos agricultores familiares. Segurança alimentar e nutricional, Campinas, v. 16, n. 2, p. 20-42, jul./dez. 2009.

Publicado
2017-05-30